A Rede Globo sustenta o título de uma das maiores redes de televisão do mundo. O intuito da emissora é preservar a confiança de milhões de telespectadores que assistem diariamente a programação no Brasil e no mundo. Atualmente a emissora abrange 98,44% do território nacional, atingindo 5.482 municípios e 99,50% da população.

Cerca de 90% da sua programação é produção própria, o que torna a TV Globo a principal geradora de emprego para artistas, produtores e técnicos. Estes profissionais são engajados na produção de mais de 2.500 horas anuais de novelas e programas, recorde mundial de teledramaturgia, além das mais de 1.800 horas anuais de telejornalismo.

A Rede Globo tinha como desafio evitar a compra desnecessária de hardware e software para uso pontual, dimensionado pela demanda de pico, além de melhorar o SLA de implantação aliada à possibilidade de confiabilidade e redundância proporcionada pela nuvem.

A CredibiliT realizou o projeto usando a camada de managed services ou seja, toda a arquitetura dos ambientes, setups da infraestrutura, suporte on-going, otimização de recursos e uso das funcionalidades da AWS. Como são ambientes críticos e que precisam de alta disponibilidade, implantaram o monitoramento e suporte no regime 24x7. Essa característica foi fundamental para o sucesso da parceira.

Sendo assim, do ponto de vista de negócio, o modelo de pagar pelo uso oferecido pela AWS se encaixa muito bem em necessidades pontuais com demanda altamente variável. Do ponto de vista técnico, as soluções oferecidas conseguem suportar, na maioria dos casos, grandes variações de demanda com bastante segurança.

Conforme explica Marcelo Guerra, foram feitos vários testes de segurança e performance antes de ser tomada a decisão da migração da Alog para a nuvem da AWS. Os serviços implantados foram o Amazon Elastic Compute Cloud (EC2), Amazon Simple Storage Service (S3), Amazon CloudFront, Amazon Relational Database Service (RDS), Amazon DynamoDB, Amazon Elastic Block Store (EBS), Amazon Elastic Transcoder sendo que, na maioria dos casos, o tempo de implantação de cada projeto foi menor que um mês. Existem 64 projetos utilizando a nuvem da Amazon Web Services como base tais como, “The Voice Brasil 2”, “Avenida Brasil”, “Big Brother Brasil”, dentre outros.

Atualmente os serviços estão sendo usados como uma alternativa para implantação rápida de sites para aplicativos públicos e internos, onde a demanda de consumo pode ser muito variável e precisa ser ajustada continuamente.

Abaixo podemos conferir a arquitetura utilizada para o programa “The Voice Brasil”:

arch-TvGlobo


Como uma parte das informações são confidenciais, o que pode-se afirmar, segundo Guerra, é que o tempo de implantação foi reduzido em 50%, aproximadamente. Além disso, há muito mais folga no SLA acordado e em algumas aplicações o número de usuários simultâneos chega a 40 mil.

“Todos os nossos projetos que se adequam ao uso de nuvem tem a AWS como solução base. Atualmente temos mais de 60 produtos na AWS, além de usá-la para aplicações de segunda tela com a TV”, diz o executivo.

Antes de finalizar, Guerra diz que não basta migrar as soluções existentes, para que elas tirem proveito do real potencial da nuvem, mas é necessário que sejam adaptadas ou criadas usando-se ao máximo as soluções que a AWS pode oferecer.

Para saber mais sobre como a AWS pode ajudar o seu planejamento na distribuição de conteúdo, visite a nossa página de detalhes do Amazon CloudFront: http://aws.amazon.com/pt/cloudfront/