Clonagem e retrocesso rápidos de banco de dados para acelerar o desenvolvimento de aplicativos

com o Amazon Aurora

O Amazon Aurora é um banco de dados relacional compatível com MySQL e PostgreSQL que combina a performance e a disponibilidade de bancos de dados comerciais tradicionais com a simplicidade e a economia de bancos de dados de código aberto. Neste tutorial, você aprenderá a clonar um cluster do Aurora DB para desenvolvimento e teste e a habilitar e usar o backtracking para "rebobinar" o cluster do DB até o momento que você especificar.

A clonagem de um cluster do Aurora é bastante útil se você quiser avaliar o impacto de alterações no banco de dados, se precisar realizar operações com cargas de trabalho intensas (como exportação de dados ou execução de consultas analíticas) ou se quiser simplesmente usar uma cópia do banco de dados de produção em um ambiente de desenvolvimento ou de teste. Você pode fazer vários clones do seu cluster de banco de dados do Aurora. Você também pode criar clones de outros clones, com a limitação de que os bancos de dados clonados precisam ser criados na mesma região dos bancos de dados originais.

O recurso de retrocesso permite retroceder o cluster de banco de dados do Aurora até o momento especificado. Com o retrocesso habilitado, o Aurora mantém um registro das alterações no banco de dados e permite voltar a um estado consistente anterior. Esse recurso permite desfazer erros facilmente. Por exemplo, se você tiver realizado acidentalmente uma ação destrutiva, como um DELETE sem uma cláusula WHERE, poderá retroceder rapidamente ao estado anterior ao acidente. Diferentemente da restauração a partir de um snapshot ou de um backup automatizado, que é uma operação mais lenta, o retrocesso permite retroceder e avançar no tempo em questão de minutos.

Neste tutorial, você criará um cluster de banco de dados do Aurora com o retrocesso habilitado. Você adicionará alguns dados a ele e o retrocederá e avançará no tempo usando o recurso de retrocesso. Você clonará o banco de dados e realizará consultas na cópia criada.

Este tutorial não está no nível gratuito e custará menos de 1 USD desde que você siga as etapas e encerre os recursos criados quando terminar.

Pré-requisitos

Você precisará poder se conectar ao banco de dados e emitir comandos para ele. Já que recomendamos evitar a atribuição de endereços IP públicos a clusters de bancos de dados, talvez você precise de uma instância do EC2 na mesma VPC do cluster do banco de dados. Se ainda não tiver uma em execução, siga estas instruções para provisioná-la.

Em seguida, você poderá instalar um cliente MySQL executando sudo yum install mysql. 

Sobre este tutorial
Duração 10 a 20 minutos                                           
Custo Menos de 1 USD
Caso de uso Bancos de dados
Produtos Amazon Aurora, Amazon RDS
Público Administradores de banco de dados, Desenvolvedores
Nível Intermediário
Data da última atualização 17 de julho de 2019

Etapa 1: Crie um cluster de banco de dados do Aurora

1.1 – Abra um navegador e navegue até o console do Amazon RDS. Se você já tiver uma conta da AWS, faça login no console. Caso contrário, crie uma nova conta da AWS para começar.

1.2 – No canto superior direito, selecione a região onde deseja executar o cluster do banco de dados do Aurora.

1.3 – Clique em “Create database” (Criar banco de dados) na janela Amazon Aurora.

Antes de prosseguir, mude para o novo fluxo de criação de banco de dados:

Opções do mecanismo

1.4 – No mecanismo de banco de dados, selecione “Amazon Aurora”.

1.5 – Em Edition (Edição), selecione “Amazon Aurora with MySQL compatibility” (Compatibilidade do Amazon Aurora com MySQL).

1.6 – Em Version (Versão), selecione a versão mais recente do Aurora compatível com MySQL 5.6. Isso é necessário porque o recurso de retrocesso só está disponível para essa versão.

1.7 – Em Database Location (Local do banco de dados), selecione “Regional”.

Recursos do banco de dados

1.8 – Selecione “One writer and multiple readers” (Um gravador e vários leitores).

Modelos

1.9 – Selecione “Production” (Produção).

Configurações

1.10 – Escolha um identificador para o cluster de banco de dados do Aurora. Por exemplo, “bancodados-1”.

Tamanho da instância do banco de dados

1.11 – Selecione uma instância grande (que termine com .large) para o banco de dados.

Disponibilidade e durabilidade

1.12 – Escolha “Create an Aurora Replica/Reader” (Criar uma réplica/leitor do Aurora).

Conectividade

1.13 – Selecione a VPC na qual deseja criar o banco de dados.

Lembre-se de que, após a criação, não será possível migrar o banco de dados para uma VPC diferente.

1.14 – Clique em “Additional connectivity configuration” (Configuração de conectividade adicional).

1.15 – Selecione o valor padrão para o grupo de sub-redes.

1.16 – Em Publicly accessible (Acessível publicamente), selecione “No” (Não).

Isso significa que você precisará se conectar ao banco de dados a partir de uma instância do EC2 na mesma VPC.

1.17 – No grupo de segurança da VPC, selecione “Create new” (Criar novo). Se você tiver um grupo de segurança que permita conexões TCP de entrada na porta 3306, poderá escolhê-lo em vez de criar um novo. 

1.18 – Em New VPC security group name (Nome do novo grupo de segurança da VPC), digite “aurora-tutorial”.

Configuração adicional

1.19 – Habilite o retrocesso.

1.20 – Em “Target Backtrack window” (janela de retrocesso de destino), digite 24. A janela de retrocesso determina quanto tempo você poderá retroceder, e o Aurora tentará reter informações suficientes no log para corresponder à janela definida.

1.21 – Em “Deletion protection” (Proteção contra exclusão), desmarque “Enable deletion protection” (Habilitar proteção contra exclusão).

A melhor prática é habilitar a proteção contra exclusão mas, se quiser excluir o banco de dados no final do tutorial, você poderá deixar essa opção desmarcada. 

Revisar e criar

Após uma rápida revisão de todos os campos do formulário, você poderá prosseguir.

1.22 – Clique em “Create database” (Criar banco de dados).

Durante a criação das instâncias, você verá uma faixa explicando como obter credenciais. É uma boa oportunidade de salvar as credenciais, pois é a única vez que você visualizará esta senha.

1.23 – Clique em “View credential details” (Visualizar detalhes da credencial).

1.24 – Salve o nome de usuário, a senha e o endpointt.

Etapa 2: Preencha o banco de dados

Abra uma janela do terminal, faça login na instância do aplicativo e use o cliente de linha de comando mysql para se conectar ao seu cluster de banco de dados do Aurora. Agora você poderá criar um banco de dados e uma tabela e gravar alguns registros.

2.1 – Conecte-se ao banco de dados primário:

$ mysql -h endpoint -P 3306 -u admin -p

Toda vez que um comando mostrar endpoint, você precisará digitar o nome de host do endpoint salvo na etapa 1.24.

Da mesma forma, quando a senha for solicitada, insira a senha que você salvou na etapa 1.24.

2.2 – Crie um banco de dados e grave alguns dados.

mysql> CREATE database tutorial;
Query OK, 1 row affected (0.01 sec)

Agora você pode usar o banco de dados do tutorial, criar tabelas e adicionar alguns registros.

Etapa 3: Retroceda o banco de dados

3.1 – Clique no seu cluster de banco de dados do Aurora.

3.2 — Clique em “Actions” (Ações) e selecione “Backtrack” (Retrocesso).

Retroceder cluster do banco de dados

3.3 – Selecione uma data e hora. O Aurora retrocederá o cluster de banco de dados até o momento especificado sem criar um novo cluster. Você pode selecionar uma hora antes do momento em que criou um banco de dados ou uma tabela.

3.4 – Clique em “Backtrack DB cluster” (Retroceder cluster do banco de dados).

Você verá uma tela com uma faixa azul informando a execução da operação de retrocesso.

Depois de algum tempo, você verá uma faixa verde indicando que a operação de retrocesso foi concluída.

Agora você pode se conectar ao banco de dados como fez na etapa 2 e verificar que ele retornou a um estado anterior. Você pode repetir a operação de retrocesso e adiantar o banco de dados no tempo.

Etapa 4: Clone o banco de dados

4.1 – Selecione seu banco de dados.

4.2 – Clique em “Actions” (Ações) e selecione “Create clone” (Criar clone).

4.3 – Escolha um identificador, por exemplo “bancodados-1-clone”.

4.4 – Clique em “Create Clone” (Criar clone).

Você verá uma lista dos bancos de dados com seu cluster de banco de dados do Aurora clonado.

Nenhuma ação realizada nesse clone afetará o cluster de banco de dados original. Você pode localizar os endpoints do banco de dados clonado de sua réplica clicando no nome do cluster clonado:

Você verá os endpoints na seção “Endpoints”.

Agora você pode se conectar ao banco de dados clonado como fez na etapa 2 e verificar que ele é idêntico ao original: verifique os bancos de dados, as tabelas, os usuários e os registros que você criou para confirmar que eles foram incluídos no banco de dados clonado. Você pode modificá-lo e fazer qualquer teste que quiser com ele. Em seguida, verifique o banco de dados original para confirmar que não foi afetado.

Etapa 5: Exclua o cluster

Para concluir este tutorial, você aprenderá a excluir o cluster de banco de dados do Aurora quando ele não for mais necessário. Para excluir o cluster de banco de dados do Aurora, acesse o Painel do RDS e siga estas instruções: 

5.1 – Selecione “Databases” (Bancos de dados) no painel esquerdo.

Será mostrada uma lista de todos os clusters de banco de dados do Aurora. Comece excluindo o banco de dados clonado. 

5.2 – Selecione a instância do gravador.

5.3 – Clique em “Actions” (Ações) e selecione “Delete” (Excluir).

Você será solicitado a informar se deseja criar um backup final. Isso costuma ser uma boa ideia, mas não é necessário para este tutorial.

5.4 – Desmarque a caixa “Create final snapshot” (Criar snapshot final) e marque a caixa “I acknowledge...”(Confirmo...).

5.5 – Digite “delete me” (exclua-me) e clique em “Delete” (Excluir).

O status do cluster mudará para “Deleting” (Excluindo).

5.6 – Selecione a instância do leitor do cluster de banco de dados do Aurora que você criou para este tutorial. 

5.7 – Clique em “Actions” (Ações) e selecione “Delete” (Excluir).

5.8 – Você será solicitado a confirmar a ação. Digite “delete me” (exclua-me) e clique em “Delete” (Excluir).

5.9 – Selecione a instância do gravador do cluster de banco de dados do Aurora que você criou para este tutorial.

5.10 – Clique em “Actions” (Ações) e selecione “Delete” (Excluir).

Você será solicitado a informar se deseja criar um backup final. Isso costuma ser uma boa ideia, mas não é necessário para este tutorial. 

5.11 – Desmarque a caixa “Create final snapshot” (Criar snapshot final) e marque a caixa “I acknowledge...”(Confirmo...).

5.12 – Digite “delete me” (exclua-me) e clique em “Delete” (Excluir).

O status do cluster mudará para “Deleting” (Excluindo).

Parabéns

Você criou um cluster de banco de dados do Aurora com o retrocesso habilitado. Você aprendeu a configurar o intervalo de tempo que permite retroceder e avançar o banco de dados no tempo. Por último, você aprendeu a clonar um cluster de banco de dados do Aurora.

Este tutorial foi útil para você?

Agradecemos a sua atenção
Gostaríamos de saber do que você gostou.
Fechar
Desculpe por ter desapontado
Encontrou algo desatualizado, confuso ou incorreto? Envie seus comentários para nos ajudar a melhorar este tutorial.
Fechar