A Lafarge ficou na 6ª posição na classificação do Carbon Disclosure Project e entrou para o Índice Dow Jones de Sustentabilidade global, em 2010, pelo reconhecimento de suas ações de desenvolvimento de sustentabilidade. Com um centro de pesquisas líder em materiais de construção, a Lafarge tem a inovação como sua maior prioridade, trabalhando para viabilizar construções sustentáveis e a criatividade arquitetônica.

Presente em mais de 70 países, a Lafarge precisa administrar um site da web para cada um deles. Com cargas variáveis de sites, eles gostariam de poder adicionar e remover servidores de acordo com a necessidade. Também eram necessários sites de alto desempenho, assim como um ambiente robusto para desenvolver, testar, pré-produzir e produzir websites. Eles decidiram transferir seus websites para a Amazon Web Services (AWS).

Dominique Moulin, Gerente Corporativo de TI/IS/TI, Lafarge Group, explica porque a empresa escolheu trabalhar com a AWS: “A elasticidade foi um dos principais motivos. A capacidade de adicionar e remover instâncias instantaneamente para acompanhar as nossas cargas de sites era essencial para nós.” François Dufraisse, Gerente de Novas Tecnologias, Lafarge Group, acrescenta: "Alcançar um bom desempenho era muito importante para o gerenciamento dos nossos websites. A Lafarge está presente em mais de 70 países. Em todos os países, websites públicos são gerenciados com a AWS. Também utilizamos a AWS para desenvolver, testar, pré-produzir e produzir os ambientes desses websites. Até agora o uso do Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2) e do Amazon Simple Storage Service (Amazon S3) tem sido bem-sucedido”.

Dominique Moulin e François Dufraisse avaliam no momento o Amazon Virtual Private Cloud (Amazon VPC) com possíveis extensões posteriores para outros aplicativos e uso no grupo. François Dufraisse afirma: "Com o Amazon VPC, foi possível expandir a utilização da AWS para algumas das nossas intranets ou aplicativos internos."

Para criar a solução, a equipe de desenvolvimento utilizou Java/J2EE, WebSphere, Oracle, Linux e Riverbed. Durante o desenvolvimento, a equipe aprendeu duas lições importantes. Dominique Moulin diz que primeiro "É importante estar bem apoiado por uma empresa capacitada capaz de gerenciar as operações do website na AWS. Nós escolhemos a EDIFIXIO". Em segundo lugar, devido à sensibilidade de software com relação ao chipset da Intel, a equipe teve que verificar o chipset para cada instância criada.

Atualmente, o website corporativo do grupo e websites de 22 países estão on-line. François Dufraisse comenta, "Graças à flexibilidade da AWS, estamos melhor preparados para lidar com períodos de pico durante eventos especiais como os resultados trimestrais do grupo". Dominique Moulin e François Dufraisse planejam utilizar a AWS para outros aplicativos e unidades de empresas (os websites de outros 20 países estão em andamento). Dominique Moulin observa: "A utilização da AWS nos permite passar de capex para opex, o que resulta em melhor escalabilidade, maior rapidez de resposta e flexibilidade."

Para saber mais sobre como a AWS pode ajudá-lo a executar seus sites na nuvem, visite: http://aws.amazon.com/websites/.