A Unilever foi criada em 1930 com a fusão da Margarine Unie, produtora de margarina holandesa e da Lever Brothers, fabricante britânica de sabonetes. Hoje, a gigante dos bens de consumo vende alimentos, produtos para o lar, bebidas e produtos de higiene pessoal em mais de 190 países. A Unilever tem sedes em Londres, Reino Unido e Roterdã, Holanda, além de subsidiárias em mais de 90 países. A empresa emprega mais de 170.000 pessoas. Em 2012, a Unilever relatou uma receita superior a 51 bilhões EUR.

A Unilever North America, em Englewood Cliffs, Nova Jersey, precisou reprojetar a infraestrutura para apoiar a abordagem de marketing digital da Unilever. Antes, a Unilever usava datacenters locais para hospedar propriedades da web, todos com tecnologias e processos diferentes. “Precisávamos padronizar nosso ambiente apoiar um menor tempo de introdução no mercado”, disse Sreenivas Yalamanchili, gerente técnico global de serviços de marketing digital (DMS). A Unilever otimiza seu modelo de negócios testando uma campanha de marketing em um país piloto. Se a campanha for bem-sucedida, é implantada pela empresa em outros países e regiões. A organização de TI queria usar a nuvem para implementar o mesmo processo.

Após uma RFP abrangente e um processo de análise envolvendo mais de 16 empresas, a Unilever escolheu a Amazon Web Services (AWS). As prioridades da Unilever na escolha de uma plataforma de marketing digital incluíam flexibilidade, infraestrutura global, tecnologia e um sofisticado ecossistema de associados. “Com a AWS, temos o mesmo provedor de hospedagem para todas as regiões, o que significa que não precisamos personalizar e ajustar as soluções de hospedagem por região”, afirmou Yalamanchili. “A Unilever é dedicada a oferecer grandes marcas aos consumidores, a empresa não é uma área de TI. Podemos gastar menos e obter mais inovação trabalhando com a AWS e os associados da rede de parceiros da AWS.”

A equipe de TI da Unilever tinha dois objetivos com a migração para a AWS: oferecer uma plataforma de tecnologia comum para sites com arquitetura de entrega de conteúdo regional e migrar as propriedades da web existentes para a nuvem.

Para desenvolver a plataforma, a Unilever participou de um workshop da AWS para projetar a arquitetura. Em seguida, a equipe de DMS criou uma plataforma piloto (um site de recuperação de desastres para hospedagem de terceiros em Miami) para análise pelas partes interessadas. Após obter aprovação empresarial, a Unilever escolheu a CSS Corporation, uma parceira de consultoria Advanced da rede de parceiros da Amazon (APN), para integração de sistemas e desenvolvimento de aplicativos. A equipe da DMS trabalhou com a CSS para desenvolver um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) global. A plataforma de CMS permite que as agências criem sites de marcas em todo o mundo e os publiquem em várias regiões da AWS. A Unilever usa um load balancer HAProxy para aprimorar a performance dos sites e executa bancos de dados no Microsoft SQL Server e no MySQL.

Para a recuperação de desastres, a Unilever armazena dados de backup, snapshots, arquivos de mídia de produtos e receitas no Amazon Simple Storage Service (Amazon S3), e usa o EBS Snapshot Copy para copiar snapshots do Amazon Elastic Block Store (Amazon EBS) da região Leste dos EUA (Norte da Virgínia) para a região Oeste dos EUA (Norte da Califórnia). “Projetamos uma solução de recuperação de desastres para proteger nosso sistema de gerenciamento de conteúdo, a arquitetura de implantação de conteúdo e muitas propriedades da web com classificação GOLD, bem como para que a empresa se sentisse confiante na Nuvem AWS”, disse Yalamanchili. A figura 1 demonstra a arquitetura da Unilever na AWS.

unilever-arch-diag

Figura 1. Arquitetura da Unilever na AWS

A Unilever e a CSS criaram imagens de máquina da Amazon (AMIs) executando Windows e Linux para uso em aproximadamente 400 instâncias do Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2). O Amazon Virtual Private Cloud (Amazon VPC) oferece flexibilidade para implantações e acesso à Internet. Nick Morgan, arquiteto empresarial de marketing digital, comenta: “A vantagem de usar a AWS é a facilidade com que podemos escalar as instâncias de acordo com a natureza da popularidade de uma campanha. Usamos o Auto Scaling e a escalabilidade manual para sites como Recipedia.com e Axeapollo.com. Podemos implantar instâncias em regiões e zonas de disponibilidade da AWS diferentes e usar snapshots do Amazon EBS para restaurar os serviços.”

Para migrar as propriedades da web para a nuvem, a Unilever criou ambientes de pré-produção e produção de vários sites atuais na AWS. Quando as agências de criação e produção da Unilever certificaram o site no ambiente de pré-produção, a Unilever alterou o endereço DNS do ambiente de produção para entrar em operação na AWS.

Após um lançamento piloto bem-sucedido, a Unilever migrou mais de 500 propriedades da web de seus datacenters para a AWS em menos de cinco meses. Desde então, a Unilever tem mais de 1.700 propriedades da web em execução na AWS em todo o mundo. “Globalmente, em toda a nossa empresa, nos esforçamos para criar modelos repetíveis, e é fácil padronizar nosso ambiente de hospedagem com a AWS”, comentou Yalamanchili. “Se uma campanha de marketing que implantamos na região Leste dos EUA (Norte da Virgínia) tiver êxito, poderemos replicá-la facilmente na região Ásia-Pacífico (Cingapura) para os países da APAC.”

A CSS forneceu à Unilever imagens de máquina de diferentes sistemas operacionais, APIs e ferramentas para automatizar o processo de lançamento de um novo projeto. “A forma como a CSS automatizou a execução de instâncias reduziu o tempo de lançamento de um projeto em cerca de 75%”, afirmou Morgan. “O que antes demorava quatro dias, agora fazemos em apenas um dia. Não criamos servidores web e de banco de dados do zero todas as vezes. Podemos simplesmente clonar e reutilizar imagens.”

Para a Unilever, a mudança para a Nuvem AWS aprimorou a agilidade empresarial e a eficiência operacional. “Antes, a solicitação de um site para uma campanha de marketing era um processo demorado”, afirmou Yalamanchili. “Usando a AWS, reduzimos o tempo de lançamento de campanhas de marketing digital de duas semanas para uma média de dois dias. Isso representa uma velocidade sete vezes maior que o ambiente tradicional. Se um gerente de marca tiver uma ideia, poderá implementá-la antes da concorrência”,

“O uso da AWS economiza tempo”, ele continua. “Eu posso simplesmente acessar o site da AWS e agregar números para calcular custos. Isso facilita a configuração de um modelo de faturamento padrão para sites. Nosso parceiro, CSS, leva menos de 12 horas para calcular a definição de preço de um site da campanha. Posso dizer com tranquilidade ao meu pessoal de marketing que temos capacidade para qualquer coisa que quisermos fazer. Podemos nos concentrar na inovação, e não na infraestrutura.”

“A outra vantagem é a capacidade de resposta da Nuvem AWS”, disse Yalamanchili. “Usando a AWS, um dos gerentes de marca conseguiu alterar completamente uma campanha em 24 horas. Isso não aconteceria com a infraestrutura física.”

“A AWS nos ouve e ajuda a gerar ideias para fazer as coisas de uma forma diferente, que gera benefícios”, comentou Morgan. “Eu realmente gosto da velocidade de inovação da AWS.” Yalamanchili acrescenta: “Com a AWS, o cliente prevalece, sempre. Ouvindo e inovando em produtos e serviços, a AWS nos provou que o cliente é o mais importante.”

Para saber mais sobre como a AWS pode ajudar a executar sites, acesse a nossa página: http://aws.amazon.com/websites/.

Para obter mais informações sobre como a CSS Corporation pode ajudar sua empresa a operar na nuvem AWS, consulte o anúncio da CSS Corporation no diretório de parceiros da AWS.