O PostgreSQL tornou-se o banco de dados relacional de código aberto preferencial de muitos desenvolvedores empresariais e startups e é usado pelos principais aplicativos geoespaciais e móveis. O Amazon RDS facilita a configuração, a operação e a escalabilidade de implementações de PostgreSQL na nuvem. Com o Amazon RDS, você pode usar implementações escalonáveis do PostgreSQL em minutos, com capacidade de hardware redimensionável e econômica. O Amazon RDS gerencia tarefas administrativas complexas e demoradas, como instalação e atualização do software PostgreSQL, gerenciamento de armazenamento, replicação para alta disponibilidade taxa de transferência de leitura, e backups para recuperação de desastres.


logo_postgresql_sm

Comece a usar a AWS gratuitamente

Crie uma conta gratuita

O nível gratuito da AWS inclui 750 horas de microinstância de banco de dados por mês durante um ano, 20 GB de armazenamento e 20 GB para backups com o Amazon Relational Database Service (RDS).

Consulte os detalhes do nível gratuito da AWS »

O Amazon RDS para PostgreSQL fornece acesso aos recursos de um mecanismo de banco de dados PostgreSQL conhecido. Isso significa que o código, as aplicações e as ferramentas que você já utiliza com os seus bancos de dados existentes podem ser usados com o Amazon RDS.

Com apenas alguns cliques no AWS Management Console, você pode implementar um banco de dados PostgreSQL com parâmetros automaticamente configurados para o melhor desempenho. O Amazon RDS para instâncias de banco de dados do PostgreSQL pode ser provisionado com armazenamento padrão ou armazenamento de IOPS provisionadas. Após o provisionamento, você poderá escalar até 16 TB de armazenamento e 40.000 IOPS. O Amazon RDS for PostgreSQL também possibilita aumentar a escala horizontal além da capacidade de um único banco de dados para cargas de trabalho de banco de dados com uso intensivo de leitura.

O Amazon RDS para PostgreSQL foi projetado para desenvolvedores ou empresas que exigem todos os recursos e capacidades de um banco de dados PostgreSQL, ou que desejam migrar aplicativos e ferramentas existentes que usam um banco de dados PostgreSQL. Como o Amazon RDS para MySQL fornece a você o acesso direto ao software de banco de dados PostgreSQL conhecido em execução na sua Instância de banco de dados do Amazon RDS, seus aplicativos devem funcionar sem problemas.

  • Parâmetros pré-configurados – as implementações do Amazon RDS para PostgreSQL são pré-configuradas com um conjunto sensato de parâmetros e definições apropriados para a classe da instância de banco de dados selecionada. Você pode simplesmente executar uma instância do PostgreSQL e conectar seu aplicativo em minutos, sem necessidade de configuração adicional. Se você quiser um controle adicional, poderá obtê-lo usando os grupos de parâmetros do banco de dados.
  • Monitoramento e métricas – o Amazon RDS fornece métricas Amazon CloudWatch para suas implementações de instância de banco de dados gratuitamente. Você pode usar o Console de Gerenciamento da AWS para visualizar as principais métricas operacionais para implantações da instância de banco de dados, incluindo utilização de computação/memória/capacidade de armazenamento, atividade de E/S e conexões de instância de banco de dados.
  • Notificações de evento de banco de dados – o Amazon RDS oferece notificações do Amazon SNS por e-mail ou SMS para suas implementações de instância de banco de dados. Você pode usar o Console de Gerenciamento da AWS ou as APIs do Amazon RDS para assinar mais de 40 eventos de banco de dados diferentes associados às suas implantações do Amazon RDS.
  • Correção automática do software – o Amazon RDS garantirá que o software PostgreSQL, responsável pela capacitação da implementação, permaneça atualizado com as correções mais recentes. Você pode exercer controle opcional com relação a quando e se a Instância de Banco de Dados é corrigida por meio do DB Engine Version Management.
  • Propósito geral (SSD) – O armazenamento de propósito geral (SSD) do Amazon RDS proporciona uma linha de base consistente de 3 IOPS por GB provisionado e oferece capacidade de intermitência de até 3.000 IOPS.

    É possível converter o armazenamento magnético para o armazenamento de propósito geral (SSD). Será observado um pequeno impacto de disponibilidade durante a conversão.

    Para saber mais e começar a usar o armazenamento de propósito geral (SSD) do Amazon RDS, consulte a seção General Purpose (SSD) Storage do Amazon RDS User Guide.

  • IOPS provisionadas (SSD) – Você pode provisionar até 16 TB de armazenamento e 40.000 IOPS por instância de banco de dados. As IOPS reais obtidas podem ser diferentes da quantidade provisionada, dependendo da carga de trabalho do banco de dados, do tipo de instância e da escolha de mecanismo de banco de dados. Consulte a seção Factors That Affect Realized IOPS do Amazon RDS User Guide.

Você pode converter o armazenamento de padrão para IOPS provisionadas e obter uma taxa de transferência consistente e latências de E/S baixas. Fazendo isso, haverá um breve impacto sobre a disponibilidade. Você pode dimensionar separadamente IOPS (em incrementos de 1.000) e armazenamento em tempo real sem qualquer tempo de inatividade. Você pode aumentar ou diminuir a escala de IOPS, dependendo de fatores como variações sazonais de tráfego para os aplicativos.

Para saber mais e começar a usar as IOPS provisionadas do Amazon RDS, consulte a seção Provisioned IOPS storage do Amazon RDS User Guide.

  • Backups automatizados – Ativado por padrão, o recurso de backup automatizado do Amazon RDS permite a recuperação pontual para a instância de banco de dados. O Amazon RDS fará backup do banco de dados e de logs de transação, e armazenará ambos por um período de retenção especificado pelo usuário. Isso permite que você restaure a instância de banco de dados a qualquer segundo durante o período de retenção, até os últimos cinco minutos. O período de retenção de backup automático pode ser configurado para até trinta e cinco dias.
  • Snapshots de banco de dados – Snapshots de banco de dados são backups da instância de banco de dados iniciados pelo usuário. Esses backups completos do banco de dados serão armazenados pelo Amazon RDS até que você os exclua explicitamente. Você pode criar uma nova Instância de Banco de Dados com base em um DB Snapshot onde desejar. Você também pode copiar snapshots de banco de dados em regiões da AWS para casos de uso de migração geográfica ou recuperação de desastre.
  • Classe da instância de banco de dados – Usando as APIs do Amazon RDS ou com alguns cliques no AWS Management Console, você pode escalar os recursos de computação e de memória aumentando ou diminuindo a implementação. As operações de escalabilidade normalmente são concluídas em alguns minutos.
  • Armazenamento – À medida que os requisitos de armazenamento aumentam, você também pode fornecer armazenamento adicional imediato com um período de interrupção zero. Se você estiver usando IOPS provisionadas do RDS, também poderá dimensionar o throughput da instância de banco de dados especificando a taxa de IOPS entre 1.000 a 40.000 IOPS, em incrementos de 1.000 IOPS, e dimensionar o armazenamento de 100 GB a 16 TB.
  • Implantações Multi-AZ – esta opção de implementação para suas instâncias de banco de dados aprimora a disponibilidade do banco de dados e protege as suas atualizações mais recentes contra interrupções não planejadas. Ao criar ou modificar sua Instância de banco de dados para ser executada como uma implantação Multi-AZ, o Amazon RDS automaticamente provisionará e gerenciará uma Réplica "em espera" em uma Zona de disponibilidade diferente (infraestrutura independente em uma local físico separado). As atualizações e bancos de dados são realizadas simultaneamente nos recursos em espera e primários, para evitar atrasos de replicação. Caso ocorra uma manutenção programada de banco de dados, uma falha da Instância de banco de dados ou uma falha de Zona de disponibilidade, o Amazon RDS automaticamente fará um failover para a espera atualizada para que as operações de banco de dados possam ser retomadas rapidamente sem intervenção administrativa. Antes do failover, não é possível acessar diretamente a espera, nem usá-la para atender ao tráfego de leitura. Saiba mais »
  • Réplicas de leitura – Este recurso de replicação facilita s escalabilidade horizontal elástica além das restrições de capacidade de uma única instância de banco de dados para cargas de trabalho de banco de dados com uso intensivo de leitura. Você pode criar uma ou mais réplicas de uma determinada instância de banco de dados de origem em uma região da AWS e atender ao tráfego de leitura de aplicativos de alto volume usando várias cópias dos dados, aumentando dessa forma a taxa de transferência de leitura agregada. O Amazon RDS usa a replicação nativa do PostgreSQL para propagar as alterações realizadas em uma instância de banco de dados de origem para qualquer réplica de leitura associada. Observe que, como as réplicas de leitura usam a replicação padrão do PostgreSQL, podem ficar defasadas em relação às instâncias de banco de dados de origem. Saiba mais »

O Amazon RDS permite criptografar bancos de dados PostgreSQL usando chaves gerenciadas pelo AWS Key Management Service (KMS). Em uma instância de banco de dados executada com a criptografia do Amazon RDS, os dados ociosos armazenados no armazenamento subjacente são criptografados, bem como seus backups automáticos, réplicas de leitura e snapshots.

Ao usar o Amazon VPC, é possível isolar as instâncias de banco de dados na sua própria rede virtual e conectar com a infraestrutura de TI atual utilizando o padrão VPN IPSec criptografado do setor. Para aprender mais sobre o Amazon RDS in VPC, consulte o Guia do usuário do Amazon RDS. Além disso, ao usar o Amazon RDS, é possível configurar as definições do firewall e controlar o acesso de rede às suas instâncias de banco de dados.

  • PostGIS – o PostGIS é um extensor de banco de dados espacial para banco de dados de objeto relacional do PostgreSQL. Ele acrescenta compatibilidade com objetos geográficos, permitindo executar consultas de localização para processamento no SQL.
  • Extensões de linguagens – o PostgreSQL permite que linguagens de procedimento sejam carregadas no banco de dados por meio de extensões. Quatro extensões de linguagem são incluídas com o PostgreSQL, oferecendo suporte a Perl, pgSQL, Tcl e JavaScript (por meio do mecanismo de JavaScript V8).
  • Dicionários de pesquisa de texto completo – o PostgreSQL é compatível com pesquisa de texto completo, que oferece o recurso de identificar documentos em linguagem natural que satisfaçam uma consulta e, opcionalmente, classificá-los por relevância para essa consulta. Os dicionários, além de melhorarem a qualidade da busca, normalização e remoção de palavras de parada, também melhoram o desempenho das consultas.
  • Tipos de dados HStore e JSON – o PostgreSQL inclui suporte para o tipo de dados "JSON" e duas funções JSON. Isso permite o retorno de JSON diretamente do servidor de banco de dados. O PostgreSQL tem uma extensão que implementa o tipo de dados "hstore" para armazenamento de pares de chave/valor em um único valor do PostgreSQL.
  • pg_stat_statements – A extensão pg_stat_statements permite rastrear estatísticas de execução para todas as instruções SQL executadas na instância, como ID do usuário, número exato de consultas executadas e o tempo total consumido.
  • Wrappers de dados externos – A extensão postgres_fdw permite acessar e modificar dados armazenados em outros servidores PostgreSQL como se fossem tabelas em uma instância de banco de dados do Amazon RDS para PostgreSQL.
  • Recursos básicos do mecanismo PostgreSQL – para obter uma lista detalhada dos recursos básicos do mecanismo PostgreSQL, consulte aqui.