Samsung Logo

Samsung reacomoda 1,1 bilhão de usuários de três continentes migrando do Oracle para o Amazon Aurora com o AWS Database Migration Service

2020

Ao que tudo indica, a nuvem é grande o suficiente para todos. Ela comporta até mesmo a Samsung Electronics, segunda maior empresa de TI do mundo em receita. Com a explosão no número de usuários (acima de 1,1 bilhão) do Samsung Account, serviço de certificação e autorização da empresa, a gigante do setor eletrônico decidiu migrar o imenso banco de dados, deixando para trás a solução herdada monolítica de datacenter na Internet da Oracle, que era cara e dificultava o dimensionamento para acomodar o crescente tráfego. Na nuvem, a Samsung Electronics considerou a Amazon Web Services (AWS) a opção ideal para a mudança. Em menos de 18 meses, a Samsung Electronics migrou dados globais do Samsung Account para o Amazon Aurora, um banco de dados relacional compatível com MySQL e PostgreSQL criado para a nuvem. A dispensa do Oracle resultou em uma redução de gastos significativa, pois a Samsung se libertou dos custos de licenciamento restritivos do banco de dados herdado on-premises. Com a migração para o Aurora nativo da nuvem, a Samsung pôde se concentrar na inovação e se posicionou para o crescimento esperado da empresa.

334728128
kr_quotemark

A escalabilidade do Amazon Aurora é o melhor benefício, sobretudo se focarmos no custo."

Salva Jung
Arquiteto-chefe e gerente de engenharia

 

A Samsung reduziu os custos mensais do banco de dados em 44%.

Migração da arquitetura monolítica para microsserviços

O Samsung Account é o gateway pelo qual usuários acessam dispositivos e serviços da Samsung, como Bixby, SmartThings e Samsung Pay. Cerca de 400 milhões dos 1,1 bilhão de usuários do Samsung Account estão ativos na plataforma, com cerca de 80 mil solicitações por segundo, tornando essencial o bom funcionamento do sistema. Embora a solução de banco de dados hospedada pela Oracle no datacenter na Internet fosse adequada ao ser implantada 10 anos atrás, a Samsung Electronics precisava de um sistema mais flexível e orientado a microsserviços para atender melhor os usuários atuais e futuros. Segundo Jung, a Oracle não estava pronta para a arquitetura de microsserviços, nem tinha preços razoáveis para isso.

“É mais difícil atualizar a arquitetura baseada em Oracle porque trata-se de uma aplicação monolítica”, explicou Salva Jung, arquiteto-chefe e gerente de engenharia na Samsung. Expandir o sistema datado sem período de inatividade ficou arriscado e caro, levando à incerteza quanto à capacidade de lidar com o dimensionamento para acomodar tanto os novos usuários e serviços como o volume de tráfego gerado. “Queríamos uma nova tecnologia e uma arquitetura de microsserviços para suportar o tráfego futuro de dispositivos e serviços da Samsung.” Ao migrar para a AWS, a Samsung obteve acesso a ferramentas como o Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2), que oferece capacidade computacional segura e redimensionável na nuvem.

A tentativa de atingir a escala necessária na arquitetura monolítica apresentava riscos e custos que a Samsung não estava disposta a aceitar. A transição de um grande volume de dados do Samsung Account não seria simples, especialmente considerando a exigência da Samsung de que não se interrompessem os serviços. A Samsung precisava deixar de lado um banco de dados central, dividindo bancos de dados em seções adequadas a usos de microsserviços. O Aurora totalmente gerenciado e compatível com o PostgreSQL foi a opção mais econômica e o melhor destino para a migração de dados. 

Simplificação da grande migração com o AWS Database Migration Service

Para a Samsung, um dos recursos mais atrativos do Aurora foi o fato de 85% a 90% das consultas de PostgreSQL no Aurora coincidirem com as consultas existentes do Oracle, ou seja, a conversão das consultas em PostgreSQL do Amazon Aurora seria praticamente automática. A empresa tinha entre 2 TB e 4 TB de dados para migrar em cada uma das três regiões — a União Europeia, a China e os Estados Unidos. Ela precisava de ajuda para garantir que tudo corresse bem.

A Samsung Electronics começou o processo de migração na União Europeia em outubro de 2018, criando linhas dedicadas entre o datacenter na Internet e a interface de programação de aplicações, que funcionava como o gateway para o Aurora. A transição se iniciou com o AWS Database Migration Service (AWS DMS), que oferece suporte a migrações de dados, incluindo migrações heterogêneas entre diferentes plataformas de banco de dados, como Oracle e Aurora. À medida que os dados saíam do datacenter na Internet para um novo local, o AWS DMS garantia que o banco de dados de origem continuasse operacional para que os usuários finais ainda pudessem acessar o Samsung Account normalmente. Ao mesmo tempo, o AWS DMS replicou o banco de dados heterogêneo em grande escala, duplicou 2 TB ou 3 TB de dados dos usuários em torno de 4 dias e roteou o tráfego de usuários, um por um, do datacenter na Internet para a nuvem. Em mais ou menos 22 semanas, a Samsung fez a transição para o Aurora, migrando 4 TB de dados e convertendo quase 3 mil consultas. “A AWS trouxe as melhores informações no momento oportuno”, afirmou Jung. “A AWS tinha várias ferramentas e serviços para ajudar na migração — o AWS DMS é um exemplo.”

A Samsung concluiu o processo na UE em abril de 2019, na China em outubro de 2019, nos Estados Unidos em março de 2020, todas com períodos mínimos de inatividade. “Tivemos poucos períodos de inatividade”, disse Jung. “O importante é que detectamos problemas rapidamente e minimizamos o impacto no usuário.”

Otimização da experiência da Samsung e dos clientes

Após a migração, a Samsung está totalmente preparada para o crescimento futuro. Por exemplo, o Aurora agora permite que a Samsung escale perfeitamente até 15 réplicas do Aurora, endpoints independentes em um cluster de banco de dados do Aurora usado para escalar operações de leitura e aumentar a disponibilidade, nas zonas de disponibilidade de cada região. Com a escalabilidade do Aurora, a Samsung pode atender mais usuários em menos tempo do que antes: agora 90% de latência equivale a menos de 60 ms. A automação da solução na nuvem também permite que a Samsung ofereça mais recursos a usuários com mais rapidez.

Jung reconhece que a Samsung não poderia atender os clientes tão bem com o sistema antigo. “Se tivéssemos mantido o datacenter na Internet, correríamos o risco de queda nos servidores, gerando longos períodos de inatividade para o sistema do Samsung Account”, afirmou Jung. “Ao fazermos a migração, conseguimos receber muito tráfego e prestar muitos serviços. A escalabilidade do Aurora é o melhor benefício, especialmente se focarmos no custo.”

Segundo Byungyul Ko, administrador de banco de dados da Samsung, a empresa economiza 44% em custos operacionais mensais com o PosgreSQL do Aurora comparado ao Oracle, além de poupar em despesas adicionais do Oracle, que tinha altas taxas de licenciamento do datacenter na Internet, e economizar mais 22% em taxas de manutenção. Com o Aurora, a Samsung paga conforme o uso e só pelo que utiliza, sem taxas iniciais ou licenças restritivas.

Em busca de mais oportunidades na nuvem

O escopo dos benefícios da migração para o Aurora revela novas possibilidades. Por exemplo, a equipe da Samsung pretende explorar como o mecanismo de banco de dados da AWS pode fornecer análises e insights melhores. “Desejamos criar o data lake este ano”, disse Kiheung Park, arquiteto-chefe de dados. “Há várias opções na nuvem. Podemos agregar todos os dados em uma região para analisar melhor os dados do usuário.”

Ao migrar para o Aurora, a Samsung conseguiu transformar a arquitetura monolítica de banco de dados em uma solução mais rápida, ágil e econômica que simplificou o serviço para a equipe e os usuários finais. Isso mostra que nenhuma empresa, nem as do porte da Samsung, está realmente condicionada ao datacenter herdado. Há muito espaço na nuvem e inúmeras oportunidades.

Para saber mais sobre o AWS Database Migration Service e outros bancos de dados, acesse aws.amazon.com/products/databases.


Sobre a Samsung Electronics Co.

A Samsung Electronics, segunda maior empresa de TI do mundo em receita, é a principal empresa do conglomerado Samsung. Ela é a maior fabricante mundial de celulares e uma grande fabricante de vários outros produtos e componentes eletrônicos.

Benefícios com os bancos de dados da AWS

  • Passou por uma migração global de workload essencial à missão em 18 meses
  • Permitiu latência de 60 ms ou menos em 90% do tempo
  • Reduziu em 44% os custos mensais de banco de dados

Serviços da AWS usados

AWS DMS

O AWS Database Migration Service ajuda você a migrar bancos de dados para a AWS de modo rápido e seguro. O banco de dados de origem permanece totalmente operacional durante a migração, minimizando o tempo de inatividade de aplicações que dependem dele. 

Saiba mais »

Amazon Aurora

O Amazon Aurora é um banco de dados relacional compatível com MySQL e PostgreSQL criado para a nuvem e que combina a performance e a disponibilidade de bancos de dados empresariais tradicionais com a simplicidade e a economia de bancos de dados de código aberto.

Saiba mais »


Comece a usar

Empresas de diferentes portes em todos os setores transformam os negócios diariamente com a AWS. Fale com nossos especialistas e comece sua própria jornada para a Nuvem AWS hoje mesmo.