O blogue da AWS

Novidade: mais uma zona de estabilidade em Ohio, nos Estados Unidos

Por Jeff Bar

 

Como parte de nossa estratégia de expandir ainda mais o alcance global da AWS, estamos felizes em anunciar mais uma nova zona de disponibilidade no leste dos Estados Unidos, em Ohio. Agora, junto com a zona de disponibilidade da Virgínia, nossos clientes dessa região terão acesso ainda mais rápido e de baixa latência aos serviços da infraestrutura oferecida pela AWS.

Os Detalhes

A nova zona de disponibilidade de Ohio, EUA, oferece total suporte ao Amazon EC2 e serviços relacionados como Amazon Elastic Block Store (EBS), Amazon Virtual Private Cloud (VPC), Auto Scaling, Amazon Elastic Load Balancing, NAT Gateway, Spot Instances e Hosts Dedicados.

A nova zona de disponibilidade suporta ainda uma extensa gama de serviços como Amazon API Gateway, AWS Certificate Manager, AWS CloudFormation, Amazon CloudFront, AWS CloudHSM, Amazon CloudWatch (inclusive eventos e logs), AWS CloudTrail, AWS CodeCommit, AWS CodeDeploy, AWS CodePipeline, AWS Config, AWS Database Migration Service, AWS Direct Connect, Amazon DynamoDB, EC2 Container Registry, Amazon EC2 Container Service (ECS), Amazon Elastic File System, Amazon ElasticCache, AWS Elastic Beanstalk, Amazon EMR, Amazon ElasticSearch Service, Amazon Glacier, AWS Identity And Acess Management (IAM), AWS Import/Export Snowball, AWS Key Management Service (KMS), Amazon Kinesis, AWS Lambda, AWS Marketplace, Mobile Hub, AWS OpsWorks, Amazon Relational Database Service (RDS), Amazon Redshift, Amazon Route 53, Amazon Simple Storage Service (S3), AWS Service Catalog, Amazon Simple Notification Service (SNS), Amazon Simple Queue Service (SQS), AWS Storage Gateway, Amazon Simple Workflow Service (SFW), AWS Trusted Advisor, VM Import/Export, e AWS Web Application Firewall.

A zona de Ohio sustenta todos os tamanhos de instâncias C4, D2, I2, M4, R3, T2 e X1. Assim como em cada nova região, as instâncias devem ser migradas através de uma Virtual Private Cloud (saiba mais detalhes aqui.).

Alta conexão

Veja algumas métricas interessantes sobre as conexões entre regiões (os nomes são denominados por códigos de aeroportos, como é comum em todo o mundo; todos os tempos de latência giram em torno de 2ms):

  • 10 ms para ORD (base de duas redes Direct Connect locais hospedadas pela QTS e Equinix, e um Internet exchange point).
  • 12 ms para IAD (base para a região leste dos EUA (Virgínia).
  • 18 ms para JFK (base para outro Internet exchange point).
  • 52 ms to SFO (base para a região oeste dos EUA (Califórnia).
  • 68 ms para PDX (base para a região oeste dos EUA (Oregon)

Com apenas 12 ms de latência de ida e volta entre Ohio e Virgínia, você pode fazer bom uso de benefícios únicos da AWS entre as regiões, como replicar instâncias do Amazon S3, ou fazer réplicas de leitura para Amazon Aurora. A transferência de dados entre as duas regiões custa o preço Inter-AZ (US$ 0,01 por GB), tornando as suas conexões entre as regiões ainda mais econômicas.

Também estamos trabalhando em conjunto com Universidade do Estado de Ohio para fornecer AWS Direct Connect para acesso ao OARnet. Esta rede de 100 gigabityes conecta faculdades, escolas, hospitais de pesquisa médica, e o governo do estado, fornecendo conexão de alta velocidade em rede dedicada da AWS para professores locais, estudantes e pesquisadores.

14 regiões, 38 zonas de disponibilidade, e muito mais a caminho

O lançamento dessa nova zona de disponibilidade em Ohio (3-AZ) expande nosso alcance global para um total de 14 regiões e 38 zonas de disponibilidade. Nós já estamos prontos para inaugurar também uma segunda região AWS na China, assim como outras novas regiões AWS no Canadá, França e no Reino Unido.

Como tem ocorrido algumas confusões no mercado sobre as diferenças entre as regiões e zonas de disponibilidade, é importante esclarecer as diferenças entre esses dois termos. Cada Região AWS é uma localidade física onde temos uma ou mais Zonas de Disponibilidade ou AZs. Cada Zona de Disponibilidade, por sua vez, consiste em um ou mais data centers, e cada um deles possui sua própria energia de redundância, rede e conexões, sendo todos alojados em instalações separadas. Ter duas ou mais zonas de disponibilidade em cada região, como agora no leste dos EUA, possibilita ao seu negócio executar aplicações com muito mais disponibilidade, tolerantes à falhas e duráveis do que em áreas com somente uma AZ.

Nós gostamos de brincar com algumas analogias sobre a diferença entre os dois termos, como, por exemplo, “hotéis vs. quartos de hotéis”, ou “macieiras vs. maçãs”. Independente da analogia, o importante é saber o que significam. Para maiores detalhes, acesse nossa página sobre todas as regiões AWS e ZAs do mundo aqui.