Geral

P: O que é o Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 é um serviço gerenciado de streaming de aplicativos que possibilita que os usuários acessem imediatamente seus aplicativos de desktop em qualquer lugar. O Amazon AppStream 2.0 simplifica o gerenciamento de aplicativos, melhora a segurança e reduz custos migrando os aplicativos de uma empresa dos dispositivos físicos dos seus usuários para a Nuvem AWS. O protocolo de streaming do Amazon AppStream 2.0 proporciona aos usuários uma performance fluida e responsiva, praticamente igual ao de um aplicativo instalado nativamente. Com o Amazon AppStream 2.0, as empresas podem obter maior flexibilidade, melhor escalabilidade e a agilidade necessária para oferecer suporte a uma ampla variedade de requisitos de computação e de armazenamento para seus aplicativos.

P: Qual é a diferença entre o Amazon AppStream e o Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 é o serviço de streaming de aplicativos de desktop de próxima geração da AWS. O Amazon AppStream era um serviço com base em SDK que os clientes usavam para configurar seus próprios serviços de streaming com engenharia do tipo DIY (faça você mesmo). O Amazon AppStream 2.0 disponibiliza um serviço gerenciado de streaming sem nenhum esforço do tipo DIY. O Amazon AppStream 2.0 oferece uma variedade maior de tipos de instâncias, faz o streaming de aplicativos de desktop para navegadores web compatíveis com HTML5 sem precisar de plug-ins, simplifica o gerenciamento do ciclo de vida dos aplicativos e permite que os aplicativos acessem serviços na VPC.

P: É possível continuar a usar o serviço Amazon AppStream original?

Não. Não é possível usar o serviço Amazon AppStream original. O Amazon AppStream 2.0 oferece uma variedade maior de tipos de instâncias, faz o streaming de aplicativos de desktop para navegadores sem precisar de plug-ins, simplifica o gerenciamento do ciclo de vida dos aplicativos e permite que os aplicativos acessem serviços na VPC.

P: Quais os benefícios do streaming em relação à renderização local de conteúdo?

O streaming interativo do aplicativo a partir da nuvem oferece vários benefícios:

Acesso instantâneo: o streaming de um aplicativo usando o Amazon AppStream 2.0 permite que os usuários comecem a usar imediatamente o aplicativo usando um construtor de imagens ou uma frota sempre ativa, sem a demora associada a downloads de arquivos grandes e instalações demoradas.

Elimine restrições de dispositivo: é possível aproveitar o poder computacional da AWS para proporcionar experiências que normalmente não seriam possíveis devido às restrições de GPU, CPU, memória ou armazenamento físico dos dispositivos locais.

Suporte multiplataforma: é possível iniciar o streaming de aplicativos atuais para navegadores, sem qualquer modificação.

Facilidade de atualização: Como o seu aplicativo é gerenciado centralmente pelo Amazon AppStream 2.0, basta fornecer uma nova versão do aplicativo ao Amazon AppStream 2.0 para atualizá-lo. Nada mais é necessário para que todos os seus usuários sejam atualizados, sem que precisem executar qualquer ação.

Maior segurança: ao contrário do software empacotado e dos downloads digitais, em que o aplicativo fica suscetível a roubos ou engenharia reversa, o Amazon AppStream 2.0 armazena e executa o aplicativo com segurança nos datacenters da AWS e disponibiliza apenas um streaming interativo de pixels para os usuários.

P: Alguns aplicativos funcionam melhor com o Amazon AppStream 2.0 do que outros?

Muitos tipos de aplicativos funcionam bem como aplicativos de streaming, como CAD, CAM, CAE, modelagem 3D, simulação, jogos, software de edição de vídeo e fotos, imagens médicas e ciências biológicas. Esses aplicativos se beneficiam muito do streaming, pois são executados no vasto ambiente de recursos computacionais da AWS. Ainda assim, os usuários podem interagir com os aplicativos usando dispositivos com baixo consumo de energia, apresentando praticamente, sem nenhuma mudança perceptível na performance.

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte a microfones?

Sim. O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte à maioria dos microfones análogos e USB, inclusive microfones incorporados.

P: Como os usuários habilitam a entrada de áudio em uma sessão de streaming do Amazon AppStream 2.0?

Os usuários habilitam a entrada de áudio na barra de ferramentas do Amazon AppStream 2.0 selecionando o ícone Settings e selecionando Enable Microphone.

P: Quais navegadores oferecem suporte à entrada de áudio em uma sessão do Amazon AppStream 2.0?

A maioria dos navegadores compatíveis com HTML5 oferece suporte à entrada de áudio em uma sessão do Amazon AppStream 2.0, incluindo Chrome, Edge e Firefox. O Microsoft Internet Explorer 11 (IE11) não oferece suporte à entrada de áudio. A opção de microfone não será exibida na barra de ferramentas do Amazon AppStream 2.0 em sessões de streaming executadas no IE11.

P: O Amazon AppStream 2.0 aceita um mouse 3D?

No momento, o Amazon AppStream 2.0 não oferece suporte a mouses 3D.

P: O que é necessário para um usuário acessar aplicativos transmitidos do Amazon AppStream 2.0?

Um usuário precisa ter aplicativos configurados por um administrador, um navegador atualizado compatível com HTML5, uma conexão de Internet de banda larga com capacidade de pelo menos 1 Mbps e acesso de saída à Internet via HTTPS (443).

P: Os usuários podem configurar definições de localização e idioma para seus aplicativos?

Sim. Os usuários podem definir o fuso horário, a localidade e o método de entrada a ser usado nas sessões de streaming para que correspondam às suas preferências de localização e idioma.

P: Os usuários podem copiar e colar entre um dispositivo local e os aplicativos de streaming do Amazon AppStream 2.0?

Sim. Os usuários que usam o Google Chrome para acessar aplicativos de streaming podem copiar e colar texto entre o dispositivo local e os aplicativos de streaming da mesma forma que copiam e colam entre aplicativos no dispositivo local como, por exemplo, usando atalhos de teclado. Para outros navegadores, os usuários podem usar a ferramenta de área de transferência web do Amazon AppStream 2.0.

P: Os aplicativos do Amazon AppStream 2.0 podem ser executados offline?

Não. O Amazon AppStream 2.0 exige uma conexão contínua com a Internet para acessar aplicativos.

P: O que o Amazon AppStream 2.0 gerencia em meu nome?

Recursos de streaming: o Amazon AppStream 2.0 executa e gerencia recursos da AWS para hospedar o aplicativo, implantá-lo nesses recursos e escalá-lo para atender às demandas dos clientes.

Gerenciamento simplificado de aplicativos: o Amazon AppStream 2.0 disponibiliza instantaneamente a versão mais recente de um aplicativo aos usuários e elimina o trabalho cansativo de aplicar patches e atualizar aplicativos em todos os dispositivos de usuários finais. Como o seu aplicativo é gerenciado centralmente pelo Amazon AppStream 2.0, basta fornecer uma nova versão do aplicativo ao Amazon AppStream 2.0 para atualizá-lo. Os aplicativos podem ser atribuídos dinamicamente aos usuários e removidos instantaneamente a qualquer momento, aumentando a flexibilidade da empresa e reduzindo custos.

P: Posso usar tags para categorizar recursos do AppStream 2.0?

Sim. Você pode atribuir tags para gerenciar e rastrear os seguintes recursos do Amazon AppStream 2.0: construtores de imagens, imagens, frotas e pilhas. A AWS permite que você atribua metadados aos seus recursos da AWS na forma de tags. As tags permitem que você categorize os recursos do AppStream 2.0 de forma que identifique facilmente o propósito desses recursos e acompanhe os custos de maneira adequada. Por exemplo, você pode usar tags para identificar todos os recursos usados por um determinado departamento, projeto, aplicativo, fornecedor ou caso de uso. Em seguida, você pode usar o AWS Cost Explorer para identificar tendências, isolar fatores de custo e detectar anomalias na sua conta.

Você pode atribuir ou remover tags usando o console de gerenciamento, a interface da linha de comando ou a API do AppStream 2.0. As tags têm uma chave e um valor correspondente. Você pode atribuir até 50 tags por recurso do AppStream 2.0.

Experimente os aplicativos de exemplo

P: Posso experimentar os aplicativos de exemplo?

Sim. Acesse Try Sample Applications para obter facilmente uma experiência de teste do serviço Amazon AppStream 2.0 sem necessidade de configuração.

P: O que é necessário para começar a usar o Try It Now?

É necessário ter uma conta da AWS e uma conexão de Internet de banda larga com uma largura de banda de pelo menos 1 Mbps para usar o Try It Now. Também é necessário ter um navegador compatível com HTML5.

P: O uso do Try It Now será cobrado?

Nenhuma taxa da AWS será cobrada pelo uso do Try It Now. No entanto, poderão ser geradas outras taxas, como cobranças de Internet ou banda larga, para a conexão da experiência Try It Now.

P: Que aplicativos podem ser usados com o Try It Now?

O Try It Now inclui aplicativos conhecidos de produtividade, design, engenharia e desenvolvimento de software em execução no Amazon AppStream 2.0 disponíveis para teste. Para obter uma lista completa dos aplicativos disponíveis, acesse a página do catálogo do Try It Now depois de fazer login na conta da AWS.

P: Por quanto tempo é possível fazer o streaming de aplicativos usando o Try It Now?

É possível fazer o streaming de aplicativos inclusos no Try It Now durante até 30 minutos. Após 30 minutos, a sessão de streaming será encerrada automaticamente e todos os dados que não forem salvos serão excluídos.

P: É possível salvar arquivos no Try It Now?

É possível salvar arquivos no armazenamento de sessões do Amazon AppStream 2.0 e fazer o download deles para o dispositivo cliente antes do término da sessão de streaming. Os arquivos não são salvos quando a sessão do Try It Now é desconectada nem quando é encerrada. Além disso, todos os dados que não forem salvos serão excluídos.

P: É possível enviar um aplicativo para que seja incluído no Try It Now?

Sim. É possível enviar uma solicitação para incluir o aplicativo no Try It Now. Depois de receber a solicitação, a AWS geralmente a analisa e envia uma resposta em até 10 dias úteis.

Conceitos básicos

P: Como começar a usar o Amazon AppStream 2.0?

É possível começar a usar o Amazon AppStream 2.0 ao acessar o Console de Gerenciamento da AWS ou ao usar o AWS SDK. Acesse Stream Desktop Applications para ver um tutorial em 10 etapas.

P: É necessário configurar quais recursos para fazer o streaming de aplicativos usando o Amazon AppStream 2.0?

É necessário criar uma pilha do Amazon AppStream 2.0 na conta da AWS para começar a fazer o streaming de aplicativos para os usuários. Uma pilha inclui uma frota de instâncias do Amazon AppStream 2.0 que executa e faz o streaming de aplicativos para usuários finais. Cada instância é executada usando uma imagem do Amazon AppStream 2.0 que contém aplicativos e utiliza um tipo de instância que o próprio usuário seleciona para sua frota. Para saber mais sobre os recursos do Amazon AppStream 2.0, consulte esta página.

P: Como criar uma imagem do Amazon AppStream 2.0 para importar aplicativos?

É possível criar uma imagem do Amazon AppStream 2.0 usando um construtor de imagens por meio do Console de Gerenciamento da AWS. O construtor de imagens permite instalar e testar aplicativos da mesma maneira como seria feito com qualquer desktop Windows e, depois, criar a imagem. Você pode concluir todas as etapas de instalação, teste e criação da imagem sem sair do console.

P: Quais tipos de instância estão disponíveis para usar com frotas do Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 disponibiliza um menu de tipos de instâncias para a configuração de uma frota ou um construtor de imagens. É possível selecionar o tipo de instância que corresponda melhor aos aplicativos e aos requisitos do usuário final. Você pode escolher entre as famílias de instâncias de uso geral; otimizadas para computação; otimizadas para memória; e design, desktop ou profissional gráfico.

P: Posso alterar um tipo de instância após criar uma frota?

Sim. Você pode alterar o tipo de instância após criar uma frota. Para alterar o tipo de instância, será necessário parar a frota, editar o tipo de instância e iniciar a frota novamente. Para obter mais informações, consulte Criar pilhas e frotas do AppStream 2.0s.

P: É possível conectar instâncias do Amazon AppStream 2.0 à VPC?

Sim. É possível escolher a quais VPCs as instâncias do Amazon AppStream 2.0 (frota e construtores de imagens) se conectam. Ao criar a frota, ou executar o construtor de imagens, é possível especificar uma ou mais sub-redes na VPC. Se existir uma VPC com uma conexão VPN na rede local, as instâncias do Amazon AppStream 2.0 na frota poderão se comunicar com a rede local. O controle sobre o acesso à rede dentro da VPC é mantido normalmente, usando todas as opções de configuração normais, como grupos de segurança, listas de controle de acesso à Internet e tabelas de roteamento. Para obter mais informações sobre a criação de uma VPC e o trabalho com sub-redes, consulte a seção Como trabalhar com VPCs e sub-redes.

P: Posso usar branding personalizado com o Amazon AppStream 2.0?

Sim. Você pode personalizar a experiência dos usuários com o Amazon AppStream 2.0 usando logotipo, cor, texto e links de ajuda na página de catálogo do aplicativo. Para substituir o branding e os links de ajuda padrão do AppStream 2.0, faça login no console do AppStream 2.0, navegue até Stacks e selecione uma pilha de aplicativos. Em seguida, clique em Branding, escolha Custom, selecione as opções e clique em Save. O branding personalizado será aplicado a todos os novos catálogos de aplicativos iniciados usando o logon único (SSO) do SAML 2.0 ou a API CreateStreamingURL. A qualquer momento, você pode voltar a usar o branding e os links de ajuda padrão do AppStream 2.0. Para saber mais, consulte Adicionar sua marca personalizada ao Amazon AppStream 2.0.

P: Posso definir configurações de aplicativo padrão para meus usuários?

Sim, você pode. Isso inclui perfis de conexão de aplicativos, configurações de navegador e plugins de instalação.

P: Os usuários podem salvar configurações de aplicativos?

Sim. Você pode habilitar configurações persistentes de aplicativos e do Windows para usuários no AppStream 2.0. Plug-ins, configurações de barra de ferramentas, favoritos de navegador, perfis de conexão de aplicativos e outras configurações dos usuários serão salvas e aplicadas sempre que uma sessão de streaming for iniciada. As configurações dos usuários são armazenadas em um bucket do S3 controlado por você em sua conta da AWS.

Para saber mais sobre as configurações persistentes de aplicativos, consulte Enable Application Settings Persistence for Your AppStream 2.0 Users.

P: As configurações persistentes de aplicativos de usuários são cobradas?

Não há cobranças adicionais do AppStream 2.0 pelo uso desse recurso. No entanto, as configurações persistentes de aplicativos dos usuários são armazenadas em um bucket do Amazon S3 na sua conta e você será cobrado pelo armazenamento do S3 utilizado para os dados das configurações dos usuários. Consulte a definição de preço do Amazon S3 ou Enable Application Settings Persistence for Your AppStream 2.0 Users para obter mais informações.

P: Há um limite para o tamanho de arquivo das configurações persistentes de aplicativos dos usuários?
Por padrão, o tamanho de arquivo máximo do perfil do usuário é 1 GB.. Para aumentar esse valor, consulte Enable Application Settings Persistence for Your AppStream 2.0 Users.

P: As configurações de aplicativos dos usuários persistirão entre pilhas?
Sim. As configurações de aplicativos dos usuários persistirão entre pilhas.

P: Como são protegidas as configurações de aplicativos dos usuários?
As configurações de aplicativos dos usuários são criptografadas em trânsito para o bucket do S3 em sua conta usando endpoints SSL do Amazon S3. As configurações ociosas de aplicativos dos usuários são criptografadas usando chaves de criptografia gerenciadas pelo S3.

Imagens

P: Como criar imagens usando meus próprios aplicativos?

É possível usar o construtor de imagens do Amazon AppStream 2.0 para criar imagens usando seus próprios aplicativos. Para saber mais, acesse o tutorial nesta página.

P: Com qual sistema operacional meus aplicativos precisam ser compatíveis?

O Amazon AppStream 2.0 faz o streaming de aplicativos que podem ser executadas no Windows Server 2012 R2 de 64 bits. É possível adicionar suporte a aplicativos de 32 bits usando as extensões WoW64. Se o aplicativo tiver outras dependências, como o .NET Framework, inclua essas dependências no instalador do aplicativo.

P: É possível instalar um software antivírus na imagem do Amazon AppStream 2.0 para proteger aplicativos?

É possível instalar qualquer ferramenta, inclusive programas antivírus, na imagem do AppStream 2.0. No entanto, é necessário garantir que esses aplicativos não bloqueiem o acesso ao serviço AppStream 2.0. Recomendamos testar os aplicativos antes de publicá-los para os usuários.

P: É possível personalizar o sistema operacional usando políticas de grupo?

Qualquer alteração feita na imagem usando o construtor de imagens por meio de políticas locais de grupo será refletida nas imagens do AppStream 2.0. As personalizações efetuadas com políticas de grupo baseadas em domínio somente podem ser aplicadas a frotas que ingressaram no domínio.

P: Como as imagens do Amazon AppStream 2.0 serão atualizadas com atualizações do serviço AppStream 2.0?

O AppStream 2.0 lança regularmente imagens básicas que incluem atualizações do sistema operacional Microsoft Windows e do agente do AppStream 2.0. O software do agente do AppStream 2.0 é executado em instâncias de streaming e permite que os usuários façam streaming de aplicativos. Quando você cria uma nova imagem, a opção Always use latest agent version é selecionada por padrão. Quando essa opção está selecionada, qualquer novo construtor de imagens ou instância de frota iniciada a partir da sua imagem usará sempre a última versão do agente do AppStream 2.0. Se essa opção for desmarcada, a imagem usará a versão do agente selecionada ao iniciar o construtor de imagens. As atualizações do sistema operacional Windows são disponibilizadas exclusivamente por meio dessas imagens básicas. Para manter o sistema operacional atualizado nas imagens, é necessário recriar as imagens usando a imagem básica da AWS mais recente.

P: Como serão atualizadas minhas imagens do Amazon AppStream 2.0 com atualizações do Microsoft Windows?

Será necessário criar novas imagens do AppStream 2.0 para aplicar atualizações do Windows. Para fazer isso, é possível criar uma nova instância de construtor de imagens por meio de uma imagem atual, aplicar atualizações da Microsoft e criar uma nova imagem. As instâncias de streaming atuais serão substituídas por instâncias executadas por meio da nova imagem em até 16 horas ou imediatamente após os usuários terem se desconectado dela, o que ocorrer primeiro. Para substituir imediatamente todas as instâncias da frota por instâncias executadas usando a imagem mais recente, interrompa a frota, altere a imagem usada e a inicie novamente.

P: Como atualizar aplicativos em uma imagem atual?

Para atualizar aplicativos na imagem, ou para adicionar novos aplicativos, execute o construtor de imagens usando uma imagem atual, atualize os aplicativos e crie uma nova imagem. As instâncias de streaming atuais serão substituídas por instâncias executadas por meio da nova imagem em até 16 horas ou imediatamente após os usuários terem se desconectado dela, o que ocorrer primeiro. Para substituir imediatamente todas as instâncias da frota por instâncias executadas usando a imagem mais recente, interrompa a frota, altere a imagem usada e a inicie novamente.

P: É possível conectar aplicativos do Amazon AppStream 2.0 a recursos atuais, como um servidor de licenciamento?

Sim. O Amazon AppStream 2.0 permite executar instâncias de streaming (frotas e construtores de imagem) na VPC, o que significa que é possível controlar o acesso a recursos atuais por meio de aplicativos do AppStream 2.0. Para obter mais informações, consulte Configurações de rede para instâncias de frota e do construtor de imagens.

P: Posso copiar imagens do Amazon AppStream 2.0?

Sim. Você pode copiar suas imagens de aplicativos do Amazon AppStream 2.0 entre regiões da AWS. Para copiara uma imagem, inicie o console do AppStream 2.0 e selecione a região que contém a imagem. No painel de navegação, selecione Images, selecione a imagem, clique em Actions, selecione Copy e escolha a região da AWS de destino. Também é possível usar a API CopyImage para copiar imagens programaticamente. Consulte Marcar e copiar uma imagem para obter mais informações.

Instâncias gráficas

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece instâncias com GPU acelerada?

Sim. O Amazon AppStream 2.0 oferece as famílias de instâncias de design, desktop e profissional gráfico.

As instâncias de design gráfico são ideais para entrega de aplicativos como Adobe Premiere Pro, Autodesk Revit e Siemens NX, que precisam da aceleração de hardware por meio de DirectX, OpenGL ou OpenCL. Baseadas em GPUs AMD FirePro S7150x2 Server e equipadas com tecnologia AMD Multiuser GPU, as instâncias começam com 2 vCPUs, 7,5 GiB de memória de sistema e 1 GiB de memória gráfica e vão até 16 vCPUs, 61 GiB de memória de sistema e 8 GiB de memória gráfica.

A família de instâncias de desktop gráfico oferece um único tipo de instância com uma GPU NVIDIA baseada na K520 com 1.536 núcleos CUDA, 8 vCPUs, memória de sistema de 15 GiB e memória gráfica de 4 GiB. Esse tipo de instância é ideal para executar aplicativos gráficos de desktop, como Siemens NX, SolidWorks, ESRI ArcGIS, entre outros que usam DirectX, OpenGL, OpenCL e CUDA. A família de desktops gráficos é uma escolha muito eficiente, porém econômica, com uma definição de preço que começa em algumas dezenas de centavos por hora.

A família de instâncias de profissional gráfico oferece três tipos de instâncias diferentes para apoiar os aplicativos gráficos mais exigentes. Existem três tipos de instâncias de profissional gráfico baseadas nas GPUs NVIDIA Tesla M60, com 2.048 cores de processamento paralelo, que apresentam a partir de 16 vCPUs, com 122 GiB de memória de sistema e 8 GiB de memória gráfica, chegando a 64 vCPUs, com 488 GiB de memória de sistema e 32 GiB de memória gráfica. Esses tipos de instâncias são ideais para cargas de trabalho gráficas que precisam de uma quantidade enorme de capacidade de processamento paralelo para visualização, codificação de vídeo e renderização 3D, incluindo aplicativos como o Petrel da Schlumberger Software, o DecisionSpace da Landmark ou o Ikena da MotionDSP. Para obter mais informações sobre definição de preço e tipos de instâncias disponíveis, consulte a definição de preço do Amazon AppStream 2.0.

P: Qual é a resolução de tela máxima das instâncias de desktop gráfico e profissional gráfico do Amazon AppStream 2.0?

As instâncias de design gráfico, desktop gráfico e profissional gráfico do Amazon AppStream 2.0 oferecem suporte a uma resolução máxima de 2560x1440.

P: Quantos monitores podem ser usados com as instâncias de desktop gráfico e profissional gráfico do Amazon AppStream 2.0?

No momento, você só pode usar um único monitor com as instâncias de desktop gráfico e profissional gráfico do Amazon AppStream 2.0.

Frotas

P: Que tipos de frotas estão disponíveis com o Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 oferece dois tipos de frotas: sempre ativa e sob demanda. As instâncias de uma frota sempre ativa estão sempre no estado de execução, mesmo que não haja nenhum usuário conectado. Essa opção é destinada a usuários que precisam de alta disponibilidade e acesso instantâneo a aplicativos. As instâncias de frotas sob demanda não são iniciadas até que um usuário se conecte a uma instância da frota. Esse tipo de frota é recomendado para usuários que podem esperar até 2 minutos para iniciar um aplicativo e para aplicativos de streaming que são usados esporadicamente.

P: Posso alterar uma frota sempre ativa do Amazon AppStream 2.0 para sob demanda ou vice-versa?

Somente é possível especificar o tipo da frota no momento de sua criação. Não é possível alterar o tipo da frota após a sua criação.

P: Quais são os benefícios das frotas sempre ativas e sob demanda do Amazon AppStream 2.0?

As frotas sempre ativas são recomendadas para usuários que precisam de alta disponibilidade e acesso instantâneo a aplicativos. As instâncias de frotas sob demanda não são iniciadas até que um usuário se conecte a uma instância da frota. Essas instâncias são recomendadas para usuários que podem aguardar até 2 minutos para iniciar um aplicativo e para aplicativos de streaming com uso esporádico.

  Sob demanda Sempre ativa
 Instâncias Interrompida Em execução
Início da sessão do usuário Até 2 minutos Acesso instantâneo
Otimizada para Até 2 minutos Disponibilidade instantânea de aplicativos
Casos de uso Casos de uso em que a redução de custos é essencial, como na área de educação Empresas que precisam de disponibilidade instantânea de aplicativos

Suporte a plataformas

P: Quais sistemas operacionais cliente são compatíveis?

O Amazon AppStream 2.0 pode fazer o streaming de aplicativos para navegadores compatíveis com HTML5, incluindo as versões mais recentes do Google Chrome, do Mozilla Firefox, do Microsoft Internet Explorer e do Microsoft Edge em dispositivos de desktop, como PCs Windows, Chromebooks e Linux, além de computadores Mac.

P: Quais sistemas operacionais de servidor são compatíveis?

O Amazon AppStream 2.0 é compatível com aplicativos de streaming que podem ser executadas no Windows Server 2012 R2, um sistema operacional de 64 bits. É possível adicionar suporte a aplicativos de 32 bits usando as extensões WoW64. Se o aplicativo tiver outras dependências, como o .NET Framework, inclua essas dependências no instalador do aplicativo.

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece compatibilidade com quais regiões da AWS?

Consulte a página de produtos e serviços regionais da AWS para obter detalhes sobre a disponibilidade do serviço Amazon AppStream 2.0 por região

P: Quais tipos de instância estão disponíveis para usar com frotas do Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 disponibiliza um menu de tipos de instâncias para a configuração de uma frota. É possível selecionar o tipo de instância que corresponda melhor aos aplicativos e aos requisitos do usuário final. Você pode escolher entre as famílias de instâncias de uso geral; otimizadas para computação; otimizadas para memória; e design, desktop ou profissional gráfico.

Auto Scaling

P: Como é feito o ajuste de escala do Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 usa o Fleet Auto Scaling para executar instâncias do AppStream 2.0 que executam um aplicativo, bem como para ajustar o número de servidores para atender à demanda de sessões de usuário final. Cada sessão de usuário final é executada em uma instância separada e todas os aplicativos transmitidos em uma sessão são executados na mesma instância. Uma instância é usada para fazer o streaming de aplicativos para apenas um usuário e é substituída por outra nova no final da sessão.

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece compatibilidade com qual política de escalabilidade?

O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte a políticas de escalabilidade fixas e dinâmicas. Use uma política de escalabilidade fixa para manter um número constante de instâncias e usuários do Amazon AppStream 2.0 que podem iniciar uma sessão de streaming. Use uma política de escalabilidade dinâmica para escalar com base no uso das instâncias do Amazon AppStream 2.0 no seu ambiente.

P: O que é uma política de Fleet Auto Scaling do Amazon AppStream 2.0?

Uma política de Fleet Auto Scaling é uma política dinâmica de escalabilidade que permite escalar o tamanho de uma frota de acordo com a oferta de instâncias disponíveis para a demanda dos usuários. É possível definir políticas de escalabilidade que ajustam automaticamente o tamanho da sua frota com base em várias métricas de utilização, bem como otimizam o número de instâncias em execução para que correspondam à demanda dos usuários.

P: Como posso criar políticas de Auto Scaling para minha frota do Amazon AppStream 2.0?

Você poderá criar políticas automáticas de escalabilidade ao acessar a guia Fleets no console do AppStream 2.0 ou ao usar o AWS SDK.

P: Quais métricas do CloudWatch do Amazon AppStream 2.0 posso usar para criar políticas de Fleet Auto Scaling?

Você pode usar as seguintes métricas para criar políticas de Fleet Auto Scaling:

• Utilização de capacidade: você pode escalar a frota com base na porcentagem de instâncias em uso nessa frota
• Capacidade disponível: você pode escalar a frota com base no número de instâncias disponíveis nessa frota
• Erro de capacidade insuficiente: você pode provisionar novas instâncias quando os usuários não puderem iniciar sessões de streaming devido à falta de capacidade

Para obter mais informações, consulte Auto Scaling de frota para o Amazon AppStream 2.0.

P: A minha frota do Amazon AppStream 2.0 poderá ter mais do que uma política de Fleet Auto Scaling associada?

Sim. Você poderá ter até 50 políticas do Fleet Auto Scaling associadas a uma única frota. Cada política permite que você defina um único critério e uma única ação para redimensionar sua frota.

P: Qual é o tamanho mínimo que posso definir para uma frota do Amazon AppStream 2.0 usando políticas de Fleet Auto Scaling?

Você poderá definir suas políticas do Fleet Auto Scaling para ajustar a escala até zero instâncias. As políticas de escalabilidade associadas à frota diminuirão a capacidade dela até que a frota atinja o mínimo definido ou a configuração padrão de uma, caso você não tenha definido um mínimo. Para obter mais informações, consulte Auto Scaling de frota para o Amazon AppStream 2.0.

P: Qual é o tamanho máximo que posso definir para uma frota do Amazon AppStream 2.0 usando políticas de Fleet Auto Scaling?

As políticas do Fleet Auto Scaling aumentarão a capacidade da sua frota até que ela atinja o máximo definido ou até que os Service Limits se apliquem. Para obter mais informações, consulte Auto Scaling de frota para o Amazon AppStream 2.0. Para obter informações sobre limites de serviço, consulte Amazon AppStream 2.0 Service Limits.

P: Existem custos adicionais para usar políticas do Fleet Auto Scaling com frotas do Amazon AppStream 2.0?

Não existem custos adicionais para o uso de políticas do Fleet Auto Scaling. No entanto, cada alarme do CloudWatch criado e usado para acionar políticas de escalabilidade para frotas do AppStream 2.0 poderão gerar cobranças adicionais do CloudWatch. Para obter mais informações, consulte a definição de preço do Amazon CloudWatch.

Armazenamento persistente

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece armazenamento persistente para que eu possa salvar e acessar arquivos entre sessões?

Sim. O Amazon AppStream 2.0 oferece várias opções de armazenamento persistente de arquivos para permitir que os usuários armazenem e recuperem arquivos entre sessões de streaming de aplicativos. Você pode usar uma pasta inicial baseada no Amazon S3, no Google Drive for G Suite ou no Microsoft OneDrive for Business. Todos podem ser acessados na guia my files em uma sessão ativa de streaming do AppStream 2.0. O conteúdo pode ser salvo ou aberto diretamente por meio do menu File na maioria dos aplicativos.

As pastas iniciais são uma opção de armazenamento persistente nativa do AppStream 2.0. Os usuários podem acessar uma pasta inicial na instância de streaming e salvar conteúdo nessa pasta. Os arquivos são armazenados em um bucket do S3 criado automaticamente na sua conta da AWS. Para saber mais, acesse Habilitar e administrar pastas base para os usuários do AppStream 2.0.

Você pode habilitar o Google Drive G Suite e os usuários podem vincular sua conta do G Suite para acessar os arquivos no Google Drive. As mudanças são sincronizadas automaticamente com o Google Drive. Para saber mais, acesse Habilitar e administrar o Google Drive para os usuários do AppStream 2.0.

Você pode habilitar o Microsoft OneDrive for Business e os usuários podem vincular sua conta do OneDrive for Business para acessar arquivos no OneDrive. As alterações são sincronizadas automaticamente com o OneDrive for Business. Para saber mais, acesse Enable and Administer OneDrive for Your AppStream 2.0 Users.

P: Como os usuários acessam o armazenamento persistente por meio de suas sessões do Amazon AppStream 2.0?

Os usuários podem acessar uma pasta inicial durante sua sessão de streaming de aplicativos. Qualquer arquivo que eles salvarem em sua pasta inicial estará disponível para ser usado no futuro. Os usuários também podem conectar sua conta do G Suite para acessar o Google Drive e conectar a sua conta do Microsoft OneDrive for Business para acessar o OneDrive com o AppStream 2.0. Arquivos adicionados e alterações em arquivos existentes durante uma sessão de streaming são sincronizados automaticamente entre o AppStream 2.0 e as opções de armazenamento persistente dos usuários.

P: Posso habilitar várias opções de armazenamento persistente para uma pilha do Amazon AppStream 2.0?

Sim. Você pode habilitar as pastas iniciais, o Google Drive for G Suite e o Microsoft OneDrive for Business. Para otimizar a largura de banda da Internet, crie um VPC endpoint para o Amazon S3 e autorize o AppStream 2.0 a acessar esse VPC endpoint. Dessa forma, os dados das pastas iniciais serão roteados por meio da VPC e os dados do Google Drive ou do OneDrive por meio da Internet pública.

P: Como faço para habilitar o Google Drive for G Suite for Amazon AppStream 2.0?

Durante a criação de uma pilha do Amazon AppStream 2.0, selecione a opção de habilitar o Google Drive para essa pilha, informe os nomes de domínio do seu G Suite e crie a pilha. Para saber mais, acesse Habilitar e administrar o Google Drive para os usuários do AppStream 2.0.

P: Um usuário pode remover sua conta do Google Drive for G Suite?

Sim. Os usuários podem remover as permissões de acesso do AppStream 2.0 a suas contas do Google na página de permissões das suas contas do Google.

P: Posso controlar quais contas do Google Drive for G Suite são integradas ao AppStream 2.0?

Sim. Somente as contas de usuário com o seu nome de domínio da organização do G Suite podem usar suas contas do Google Drive. Os usuários não podem vincular nenhuma outra conta. Para saber mais, acesse Habilitar e administrar o Google Drive para os usuários do AppStream 2.0.

P: Que tipo de dados os usuários podem armazenar no Google Drive durante uma sessão de streaming?

Todos os tipos de arquivos permitidos pelo Google Drive podem ser armazenados durante a sessão de streaming. Para obter mais detalhes sobre os tipos de arquivos com suporte do Google Drive, consulte as perguntas frequentes sobre o Google Drive.

P: Os usuários podem transferir arquivos de seu dispositivo ao Google Drive durante a sessão de streaming?

Sim. Os usuários podem transferir arquivos de e para seu dispositivo e o Google Drive usando o recurso MyFiles na barra de ferramentas da sessão de streaming. Acesse Habilitar o armazenamento persistente para os usuários do AppStream 2.0 para saber mais.

P: Como faço para habilitar o Microsoft OneDrive for Business para o Amazon AppStream 2.0?

Durante a criação de uma pilha do Amazon AppStream 2.0, selecione a opção de habilitar o OneDrive for Business para essa pilha, informe os nomes de domínio do seu OneDrive for Business e crie a pilha. Para saber mais, acesse Enable and Administer OneDrive for Your AppStream 2.0 Users.

P: Posso controlar quais contas do Microsoft OneDrive for Business se integram ao AppStream 2.0?

Sim. Somente as contas de usuário com os nomes de domínio do OneDrive for Business podem usar suas contas. Os usuários não podem vincular nenhuma outra conta. Para saber mais, acesse Enable and Administer OneDrive for Your AppStream 2.0 Users.

P: Um usuário pode remover o Microsoft OneDrive for Business?

Sim. Os usuários podem remover as permissões que o AppStream 2.0 têm para sua conta online do OneDrive for Business.

P: Que tipo de dados os usuários podem armazenar no Microsoft OneDrive for Business durante uma sessão de streaming?

Todos os tipos de arquivos permitidos pelo OneDrive for Business podem ser armazenados durante a sessão de streaming. Para obter mais detalhes sobre os tipos de arquivo com suporte do OneDrive for Business, consulte a documentação do OneDrive for Business.

P: Os usuários podem transferir arquivos de seu dispositivo ao Microsoft OneDrive durante a sessão de streaming?

Sim. Os usuários podem transferir arquivos de e para seu dispositivo e o Microsoft OneDrive usando o recurso MyFiles na barra de ferramentas da sessão de streaming. Para saber mais, acesse Enable and Administer OneDrive for Your AppStream 2.0 Users.

Monitoramento

P: Como posso monitorar o uso dos meus recursos de frota do Amazon AppStream 2.0?

Existem duas maneiras de monitorar frotas do Amazon AppStream 2.0. Na primeira, o console do AppStream 2.0 disponibiliza uma visualização leve e em tempo real sobre o estado da frota do AppStream 2.0, além de oferecer até duas semanas de dados de uso histórico. As métricas são exibidas automaticamente e não exigem nenhuma configuração.

Na segunda, você pode acessar as métricas do AppStream 2.0 usando o CloudWatch. O console do CloudWatch permite especificar intervalos de geração de relatórios, criar painéis e gráficos personalizados e definir alarmes.

Para saber mais, acesse Monitoramento dos recursos do Amazon AppStream 2.0.

P: Quais informações posso obter por meio das métricas de uso do Amazon AppStream 2.0?

Você pode ver o tamanho da sua frota do Amazon AppStream 2.0, o número de instâncias em execução, o número de instâncias disponíveis para aceitar novas conexões e a utilização da sua frota. Com o passar do tempo, você poderá rastrear essas métricas para otimizar as configurações da frota de acordo com as suas necessidades.

Ao usar o Amazon CloudWatch, também será possível definir alarmes para notificar você sobre alterações na sua frota ou quando a capacidade não for suficiente para apoiar seus usuários.

Para obter uma lista completa das métricas disponíveis, consulte Monitoramento dos recursos do Amazon AppStream 2.0.

P: Posso criar métricas personalizadas do Amazon CloudWatch para o Amazon AppStream 2.0?

Sim. Você pode criar métricas personalizadas para o Amazon AppStream 2.0. Para obter mais informações, consulte Publicar métricas personalizadas.

P: Com que frequência as métricas do Amazon AppStream 2.0 são publicadas no Amazon CloudWatch?

O Amazon AppStream 2.0 envia métricas para o Amazon CloudWatch a cada minuto. As métricas são armazenadas no CloudWatch usando a política padrão de retenção. Para obter mais informações, consulte as Perguntas frequentes sobre o Amazon CloudWatch.

P: Como posso criar alarmes do CloudWatch para o Amazon AppStream 2.0?

É possível criar alarmes do Amazon CloudWatch para o Amazon AppStream 2.0 usando o console ou as APIs do CloudWatch.

P: Existem custos adicionais para o uso de métricas do CloudWatch com o Amazon AppStream 2.0?

Não há cobrança adicional pela visualização de métricas do CloudWatch para o AppStream 2.0. Você pode incorrer em cobranças adicionais pela definição de alertas do CloudWatch e pela recuperação de métricas por meio das APIs do CloudWatch. Para obter mais informações, consulte a definição de preço do Amazon CloudWatch.

P: O Amazon AppStream 2.0 oferece um conjunto de APIs públicas?

O Amazon AppStream 2.0 inclui APIs que podem ser usadas para integrar e estender facilmente o serviço. As APIs permitem criar, atualizar e excluir recursos do Amazon AppStream 2.0, além de fornecer informações detalhadas sobre os estados dos recursos. Você pode criar URLs para que administradores conectem construtores de imagens para instalar aplicativos, bem como criar URLs para que usuários acessem os aplicativos do AppStream 2.0. Consulte a nossa referência de APIs para obter mais informações.

Streaming

P: Qual protocolo de streaming o Amazon AppStream 2.0 usa?

O Amazon AppStream 2.0 usa NICE DCV para fazer o streaming de aplicativos para usuários. O NICE DCV é um protocolo proprietário usado para fazer o streaming de aplicativos de vídeo de alta qualidade diante de condições de rede instáveis. Ele transmite vídeo e áudio codificados usando H.264 sobre HTTPS padrão. O protocolo também captura as entradas do usuário e as envia por HTTPS de volta aos aplicativos sendo transmitidas por meio da nuvem. As condições da rede são medidas constantemente durante esse processo, e as informações são enviadas de volta ao codificador no servidor. O servidor responde de modo dinâmico alterando a codificação de vídeo e áudio em tempo real para produzir um streaming de alta qualidade para uma grande variedade de aplicativos e condições de rede.

P: Qual é a latência de rede máxima recomendada ao acessar o Amazon AppStream 2.0?

Embora o protocolo de comunicação remota tenha uma latência máxima de ida e volta recomendada de 250 ms, a melhor experiência do usuário é obtida com até 100 ms. Se você estiver localizado a mais de 3.200 quilômetros das regiões da AWS onde o Amazon AppStream 2.0 está disponível no momento, ainda poderá usar o serviço, mas a experiência poderá apresentar uma capacidade de resposta menor.

Segurança

P: Como faço para restringir o acesso à rede de frotas e construtores de imagens executados em uma VPC?

Os grupos de segurança permitem especificar o tráfego de rede permitido entre instâncias de streaming e recursos em uma VPC. Você pode restringir o acesso à rede atribuindo um construtor de imagens ou uma frota aos grupos de segurança na VPC. Para obter mais informações, consulte Security groups para sua VPC.

P: Posso usar grupos de segurança de VPC existentes para proteger frotas e construtores de imagem do AppStream 2.0?

Sim. Você pode atribuir um construtor de imagens ou uma frota a grupos de segurança de VPC existentes.

P: Quantos grupos de segurança posso aplicar a uma frota ou a um construtor de imagens?

Você pode atribuir um construtor de imagens ou uma frota a até cinco grupos de segurança.

P: Posso alterar os grupos de segurança aos quais as frotas são atribuídas após sua criação?

Sim. Você pode alterar os grupos de segurança aos quais as frotas são atribuídas, desde que elas estejam no status interrompida (stopped).

Você também pode alterar as regras de um grupo de segurança em uma VPC a qualquer momento usando o console do Amazon EC2. Observe que as novas regras se aplicarão a todos os recursos atribuídos a esse grupo de segurança. Para obter mais informações, consulte Security groups para sua VPC.

P: Posso alterar os grupos de segurança aos quais os construtores de imagens são atribuídos após sua criação?

Não. Não é possível alterar os grupos de segurança aos quais as frotas foram atribuídas após sua criação. Para atribuir um construtor de imagens a grupos de segurança diferentes, será necessário criar um novo construtor de imagens.

Você também pode alterar as regras de um grupo de segurança em uma VPC a qualquer momento usando o console do Amazon EC2. Observe que as novas regras se aplicarão a todos os recursos atribuídos a esse grupo de segurança. Para obter mais informações, consulte Security groups para sua VPC.

P: Como os dados armazenados nas pastas iniciais de um usuário são protegidos?

Os arquivos e as pastas armazenados nas pastas iniciais de um usuário são criptografados em trânsito usando endpoints SSL do Amazon S3. Os arquivos e as pastas ociosos são criptografados usando chaves de criptografia gerenciadas pelo Amazon S3.

P: Como os dados do aplicativo transmitido são criptografados para o cliente?

O vídeo transmitido e as saídas do usuário são criptografados por SSL e enviados via HTTPS da instância do Amazon AppStream 2.0 executando os aplicativos para os usuários finais.

P: Posso controlar a transferência de dados entre o AppStream 2.0 e os dispositivos dos usuários?

Sim. Você pode optar por permitir que os usuários transfiram dados entre aplicativos de streaming e os dispositivos locais deles por meio da ação de copiar ou colar, de upload ou download de arquivos ou de impressão. Para saber mais, acesse Criar pilhas e frotas do AppStream 2.0.

Identidade

P: Como posso autenticar usuários com aplicativos do Amazon AppStream 2.0?

Há três opções para autenticar usuários com o Amazon AppStream 2.0: usar o gerenciamento de usuários incorporado, criar uma identidade personalizada ou configurar acesso federado usando o SAML 2.0.

Usando o gerenciamento de usuários incorporado, é possível configurar e gerenciar usuários no console de gerenciamento do AppStream 2.0 na guia User Pool. Para adicionar um novo usuário, basta ter o nome, o sobrenome e um endereço de e-mail. Para saber mais sobre o gerenciamento de usuários no AppStream 2.0, consulte Gerenciar o acesso usando o grupo de usuários do AppStream 2.0.

Ao usar o login federado para autenticar usuários, é possível configurar a federação de identidades usando o SAML 2.0, o que permite o uso do diretório atual de usuários para controlar o acesso a aplicativos disponíveis por meio do AppStream 2.0. Para obter detalhes sobre como configurar a integração do SAML, consulte as etapas descritas aqui.

Ao criar um serviço de atribuição de direitos, você deve autenticar usuários usando uma identidade personalizada ou um serviço, como o Login with Amazon. Após autenticar um usuário, a identidade personalizada deverá chamar o Amazon AppStream 2.0 para criar um novo URL de streaming. O AppStream 2.0 retorna um URL para a sessão, que pode ser aberto em um navegador para iniciar a sessão de streaming.

P: Posso usar o Amazon AppStream 2.0 com meu diretório atual de usuários, inclusive o Microsoft Active Directory?

Sim. O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte à federação de identidades usando o SAML 2.0, o que permite que você utilize seu diretório de usuários atual para gerenciar o acesso de usuários finais aos aplicativos do AppStream 2.0. Para obter detalhes sobre como configurar a integração do SAML, consulte as etapas descritas aqui.

P: Que tipo de federação de identidades é aceita pelo Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte à federação usando o SAML 2.0 (provedor de identidade iniciado). Este tipo de acesso federado permite que um usuário faça login realizando antes a autenticação com um provedor de federação de identidades para depois acessar os aplicativos do AppStream 2.0.

P: Quais são os requisitos para configurar a federação de identidades com o Amazon AppStream 2.0?

Para configurar a federação de identidades com o Amazon AppStream 2.0, você precisa de um provedor de identidade SAML 2.0 que se conecte a um diretório atual compatível com LDAP, como o Microsoft Active Directory. Microsoft Active Directory Federation Services (ADFS), Ping Identity, Okta e Shibboleth são todos exemplos de provedores de identidade SAML 2.0 que funcionarão com o AppStream 2.0.

P: Posso controlar quais usuários acessam o Amazon AppStream 2.0?

Sim. Usando o gerenciamento de usuários incorporado, você pode controlar quais usuários têm acesso a pilhas do Amazon AppStream 2.0 na guia User Pool do console de gerenciamento do AppStream 2.0. Para saber mais sobre o gerenciamento de usuários no AppStream 2.0, consulte Gerenciar o acesso usando o grupo de usuários do AppStream 2.0.

Usando o SAML 2.0, você pode controlar quais usuários têm acesso às pilhas do Amazon AppStream 2.0 mapeando os usuários no seu serviço de federação para a função do IAM que tem permissões para a pilha. Consulte a documentação do AppStream 2.0 para obter informações e orientações detalhadas sobre serviços de federação conhecidos no mercado.

P: Posso permitir a autenticação multifator para os meus usuários?

Sim. Você pode ativar a Multi-Factor Authentication usando a federação com SAML 2.0 ou o seu próprio serviço de atribuição de direitos.

P: Os usuários podem escolher qual pilha do Amazon AppStream 2.0 eles desejam acessar durante o login?

Sim. É possível configurar cada pilha do Amazon AppStream 2.0 como uma entidade ou um pacote no seu serviço de federação. Isso permite que os usuários selecionem qual pilha eles desejam acessar quando fazem o login no portal de aplicativos.

P: Quem pode acessar o console de gerenciamento do aplicativo do Amazon AppStream 2.0?

É possível usar o AWS Identity and Access Management (IAM) para adicionar usuários à conta da AWS e conceder a eles acesso para ver e gerenciar aplicativos do Amazon AppStream 2.0. Para obter mais informações, consulte “O que é o IAM?” no Guia do usuário do IAM.

Suporte ao domínio do Microsoft Active Directory

P: É possível associar construtores de imagens do Amazon AppStream 2.0 aos domínios do Microsoft Active Directory?

Sim. As imagens do Amazon AppStream 2.0 podem ser associadas aos domínios do Microsoft Active Directory. Isso permite aplicar políticas atuais do AD a instâncias de streaming, além de disponibilizar aos usuários acesso de logon único a sites de Intranet, compartilhamentos de arquivos e impressoras de rede usando seus próprios aplicativos. Os usuários são autenticados usando um provedor de SAML 2.0 de sua escolha e podem acessar aplicativos que exigem uma conexão com o domínio do AD.

P: Quais versões do Microsoft Active Directory são aceitas?

Microsoft Active Directory Domain Functional Level, Windows Server 2008 R2 e outras versões mais recentes são aceitas pelo Amazon AppStream 2.0.

P: Quais opções de diretório do AWS Directory Services são aceitas pelo Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 oferece suporte ao AWS Directory Services Microsoft AD. Outras opções, como AD Connector e Simple AD não são compatíveis. Para saber mais sobre o AWS Microsoft AD, consulte O que é AWS Directory Service?.

P: Como associar instâncias do Amazon AppStream 2.0 ao domínio do Microsoft Active Directory?

Para começar, será necessário um domínio do Microsoft Active Directory que possa ser acessado por meio da Amazon VPC, as credenciais de um usuário com autoridade para associar-se ao domínio e a Organizational Unit (OU – Unidade organizacional) do domínio que você deseja associar à sua frota. Para obter mais informações, consulte Uso do Active Directory com o AppStream 2.0.

P: É possível usar uma estrutura atual de Organization Units (OU) com o Amazon AppStream 2.0?

Sim. Você pode usar a sua estrutura de unidade organizacional (OU) existente com o Amazon AppStream 2.0. Para saber mais, consulte Uso do Active Directory com o AppStream 2.0.

P: O que é associado ao domínio do Microsoft Active Directory por meio do Amazon AppStream 2.0?

O Amazon AppStream 2.0 criará automaticamente um objeto de computador exclusivo para cada instância de frota e construtor de imagens configurados para associar-se ao domínio do Microsoft Active Directory.

P: Como identificar objetos de computador do Amazon AppStream 2.0 no domínio do Microsoft Active Directory?

Objetos de computador do Amazon AppStream 2.0 são criados apenas na OU especificada do Microsoft Active Directory. O campo de descrição indica que o objeto é uma instância do AppStream 2.0, como também a qual frota o objeto pertence. Para saber mais, consulte Uso do Active Directory com o AppStream 2.0.

P: Como os objetos de computador criados pelo Amazon AppStream 2.0 são excluídos do domínio do Microsoft Active Directory?

Os objetos de computador criados pelo Amazon AppStream 2.0 que não são mais usados permanecerão no Active Directory (AD). Se a frota ou o construtor de imagens do AppStream 2.0 for excluído, atualize uma frota ou um construtor de imagens para uma nova OU ou selecione um AD diferente. Para remover objetos não utilizados, será necessário excluí-los manualmente do domínio do AD. Para saber mais, consulte Uso do Active Directory com o AppStream 2.0.

P: Como disponibilizar para usuários acesso a instâncias de streaming Amazon AppStream 2.0 associadas a um domínio do Microsoft Active Directory?

Para habilitar o acesso a usuários, será necessário configurar acesso federado usando um provedor de SAML 2.0 de sua escolha. Isso permite usar o diretório de usuários existente para controlar o acesso a aplicativos de streaming disponíveis por meio do Amazon AppStream 2.0. Para obter detalhes sobre como configurar a integração do SAML 2.0, consulte as etapas descritas Configuração do SAML.

P: É possível conectar usuários gerenciados ao domínio do Active Directory por meio dos Grupos de Usuários?

Não. No momento, não é aceita a conexão de usuários dos Grupos de Usuários a recursos de domínio associado. Para saber mais sobre os Grupos de Usuários, consulte Gerenciar o acesso usando o grupo de usuários do AppStream 2.0.

Definição de preço e faturamento

P: Quanto custa o Amazon AppStream 2.0?

Serão cobrados os recursos de streaming no ambiente do Amazon AppStream 2.0 e as taxas de usuários mensais por usuário exclusivo autorizado acessando aplicativos por meio do Amazon AppStream 2.0. O pagamento é feito sob demanda e não é necessário nenhum compromisso em longo prazo.

Os recursos de streaming consistem em instâncias do Amazon AppStream 2.0 na frota do Amazon AppStream 2.0, bem como instâncias do construtor de imagens. Você pode ter frotas sempre ativas e sob demanda. Nas frotas sempre ativas, você paga pelas instâncias executadas da frota, mesmo que não haja usuários conectados. Essas instâncias são cobradas por hora e o preço por hora é baseado no tipo de instância selecionado. Nas frotas sob demanda, você paga pelas instâncias em execução da frota somente quando um ou mais usuários estão conectados. Essas instâncias são cobradas por hora e o preço por hora é baseado no tipo de instância selecionado. Em uma frota sob demanda, se uma instância estiver em execução, mas não houver nenhum usuário conectado, você pagará uma taxa horária nominal de instância sob demanda interrompida, que é a mesma para todos os tipos de instância em uma região. As instâncias de construtor de imagens estão disponíveis apenas como sempre ativas, e você paga pelas instâncias em execução, mesmo que não haja usuários conectados. A cobrança das instâncias de frotas sempre ativas e sob demanda, bem como das instâncias de construtor de imagens, incluem o custo dos volumes de armazenamento usados pela imagem do Amazon AppStream 2.0 e a largura de banda de saída usada pelo protocolo de streaming.

É possível controlar o número de instâncias em execução usando políticas de escalabilidade fixas ou dinâmicas.

A taxa de usuário mensal é usada para pagar pela Licença de acesso de assinante dos Serviços de desktop remoto da Microsoft (RDS SAL). A taxa é cobrada por usuário exclusivo autorizado e é cobrada integralmente (não é proporcional), independentemente de quando o usuário acessou o Amazon AppStream 2.0 pela primeira vez no mês em questão. Escolas, universidades e instituições públicas podem qualificar-se para taxas de usuário reduzidas. Consulte Termos e documentos de licenciamento da Microsoft para obter os requisitos de qualificação. Caso você ache que esteja qualificado, entre em contato conosco. Analisaremos as informações e trabalharemos com você para reduzir a taxa do Microsoft RDS SAL. Não serão geradas taxas de usuário durante a utilização de instâncias do construtor de imagens.

P: É possível trazer as próprias licenças e revogar taxas de usuário?

Sim. Se você tiver a mobilidade de licenças da Microsoft, será possível qualificar-se para trazer suas próprias licenças RDS CAL da Microsoft e usá-las com o Amazon AppStream 2.0. Para os usuários cobertos pelas suas licenças, não serão geradas taxas de usuário mensais. Para obter mais informações sobre o uso das licenças atuais RDS SAL da Microsoft com o Amazon AppStream 2.0, acesse esta página ou consulte um representante da Microsoft.

P: Quais são os requisitos para a redução da taxa de usuário em escolas, universidades e instituições públicas??

Escolas, universidades e instituições públicas podem qualificar-se para taxas de usuário reduzidas. Consulte Termos e documentos de licenciamento da Microsoft para obter os requisitos de qualificação. Caso você ache que esteja qualificado, entre em contato conosco. Analisaremos as informações e trabalharemos com você para reduzir a taxa do Microsoft RDS SAL. Não serão geradas taxas de usuário durante a utilização de instâncias do construtor de imagens.

P: O que preciso fornecer para a qualificação como escola, universidade ou instituição pública?

Será necessário informar à AWS a razão social completa, o endereço do escritório central e o URL do site público da instituição. A AWS usará essas informações para qualificar a instituição para as taxas de usuário reduzidas do AppStream 2.0 para instituições educacionais elegíveis. O uso do software da Microsoft está sujeito aos termos da Microsoft. Você é responsável por cumprir os termos do licenciamento da Microsoft. Se tiver dúvidas sobre o licenciamento ou os direitos ao software da Microsoft, consulte sua equipe jurídica, a Microsoft ou seu revendedor da Microsoft. Você concorda que podemos fornecer as informações à Microsoft para aplicar a definição de preço educacional ao seu uso do Amazon AppStream 2.0.

P: A qualificação para as taxas de usuário RDS SAL reduzidas do Amazon AppStream 2.0 afeta outros Serviços de nuvem AWS?

Não. As taxas de usuário são específicas do Amazon AppStream 2.0 e não afetarão nenhum outro serviço de nuvem AWS ou licença que você tiver.

P: Posso usar tags para obter detalhes sobre o uso e os custos do Amazon AppStream 2.0 no meu relatório mensal de faturamento da AWS?

Sim. Quando você define as tags para que sejam exibidas no relatório de alocação de custos mensal, essas tags também serão incluídas na fatura mensal da AWS. Dessa forma, você poderá monitorar facilmente os custos de acordo com as suas necessidades. Para isso, comece atribuindo tags aos recursos do Amazon AppStream 2.0 seguindo as etapas de Marcação dos recursos do Amazon AppStream 2.0. Em seguida, selecione as chaves de tag a incluir no seu relatório de alocação de custos seguindo as etapas de Como configurar um relatório mensal de alocação de custos.

P: Existem custos associados à aplicação de tags em recursos do Amazon AppStream 2.0?

Não há custos adicionais para o uso de tags com o Amazon AppStream 2.0.

Saiba mais sobre a definição de preço do Amazon AppStream 2.0

Acesse a página de definição de preço