JCPM

Grupo JCPM leva e-commerce a shoppings com infraestrutura em cloud da AWS

2020

Com mais de 85 anos de história ligada ao varejo, o Grupo JCPM tem hoje forte atuação no setor de shopping centers, com participação em 11 empreendimentos, posicionando-se entre os cinco maiores do País. Os centros comerciais, cujas características arquitetônicas e ambientais são referência no segmento, destacam-se também por criarem tendência no mercado. Na última década, o grupo vem fortalecendo o shopping como espaço de convivência e, mais recentemente, diversificando as possibilidades de consumo dos seus clientes. Em 2019, de forma pioneira na região, passou a implantar o e-commerce. 100% pensada para a nuvem, a iniciativa foi totalmente desenvolvida na nuvem da AWS.

start a python tutorial
kr_quotemark

O uso da infraestrutura AWS nos permitiu absorver o grande volume de transações trazido pela pandemia e trouxe agilidade para implantar nove novas operações quando nossos clientes, lojistas e consumidores, mais precisavam".

Sergio Barretto
Gerente de Inovação do Grupo JCPM  

O desafio

Os 11 shoppings localizados nas principais capitais do Nordeste (Salvador, Recife, Fortaleza e Aracaju) são capazes de gerar quase 50 mil empregos diretos. Acompanhando de perto a evolução do varejo, há alguns anos o grupo vem repensando o que será o shopping do futuro e que energia deveria colocar para transformar esse negócio.

O gerente de inovação do grupo, Sergio Barretto, lembra que neste contexto o e-commerce surgiu naturalmente como uma força a ser considerada no processo de transformação da jornada de consumo e na construção de novos modelos de negócios para os shopping centers, agora considerando jornadas de relacionamento físicas e digitais, para lojistas e consumidores. É um novo modelo, que já deu origem a um novo termo no mercado: o “figital” (físico + digital).

“Queremos ser ‘catalizadores de negócios’ para os nossos lojistas, criando espaços e ferramentas, físicos e digitais, que simplifiquem suas atividades e proporcionem relações perenes com os clientes, dentro e fora dos shoppings. Ao mesmo tempo, queremos ser ‘parceiros de vida’ dos nossos clientes, com uma relação tão próxima que nos permita individualizar a experiência e ofertas para cada um de acordo com sua expectativa e o seu momento de vida”, afirma. Para Barretto, o grupo entendeu que a construção dessa jornada digital é um passo fundamental para entregar essa visão, criando mais valor para lojistas e clientes.

Ao pensar o que deveria ser a plataforma de e-commerce, decidiu-se seguir o conceito de expansão do shopping center, criando uma camada digital para negócios e conveniência, atendendo às demandas do consumidor final e criando um caminho fácil para o lojista. Pelas características do novo negócio, agora “figital”, o grupo JCPM definiu que esta jornada seria 100% realizada na nuvem.

Barretto destaca que o modelo desenvolvido era diferente das lojas eletrônicas tradicionais e respeitava o shopping como um ativo físico importante. “Não desenvolvemos um marketplace, mas uma plataforma de vendas somente para quem tem loja física no shopping e voltada para o público que está na zona de influência do shopping, que pode utilizá-la quando não puder ir às lojas. É para o público que está mais próximo da gente. É importante destacar que são opções de consumo complementares. O shopping vai sempre ter o poder de atração do consumidor por oferecer o lazer e o entretenimento também. O e-commerce completa a operação e oferece comodidade ao cliente”, explica.

Pensando nisso, além da plataforma, foi montada uma operação logística que faz a coleta dos pedidos nas lojas e a entrega aos clientes. O modelo permite ao cliente fazer um pedido multiloja e receber suas compras em uma entrega única. “Para isso, precisávamos de uma empresa em que pudéssemos confiar para a transformação de nossos negócios. Que permitisse, por exemplo, o custeio por unidade, que nos deixasse enxergar o volume total, entender quem está utilizando o que, e fazer o billing adequado do consumo”, lembra Sérgio.

Por que Amazon Web Services

Misael Santos, líder de produtos digitais da empresa, lembra que a escolha da AWS foi natural, uma vez que a plataforma já era utilizada por outras empresas do grupo. O projeto foi desenhado pelo time de inovação e pela Valcann, parceira da AWS, e teve seu primeiro teste – em um único shopping – entregue em maio de 2019.

Com o início da pandemia do coronavírus, o projeto - que estava em apenas um shopping e já tinha previsão de expansão - foi acelerado para atender os demais. “Em meados de março o volume de acessos e de consumo a partir da plataforma no shopping RioMar Recife aumentou em mais de 10 vezes. É um negócio que hoje tem o efeito de rede”, diz.

O CTO da Valcann, Carlos Diego, lembra que o desenvolvimento da plataforma exigiu uma série de adequações na infraestrutura. “O plano era que os lançamentos ocorressem ao longo de 2020, mas, por conta da pandemia, tivemos que realizá-los em dois meses”, diz. Com isso, todos os shoppings administrados pela holding JCPM, são sete no total, foram incluídos na plataforma até o final de julho

Diego explica que a plataforma utilizada hoje pelo grupo tem princípios de escalabilidade, elasticidade e serverless já previstos. “O nosso objetivo foi tornar a infraestrutura da aplicação mais desacoplada e independente”, diz, lembrando que hoje o time trabalha em uma segunda fase de desacoplamento e implementação de serviços gerenciados, que dará autonomia para o Grupo JCPM.

Trata-se de um ambiente multi tenant onde cada shopping terá seu modelo de custeio adequado para seu consumo da plataforma. Além disso, a plataforma oferece uma integração completa com a infraestrutura de backoffice dos lojistas. “Esse é um diferencial. Não é uma plataforma que trabalha de forma independente. Ela é conectada com diferentes negócios e diferentes sistemas dos lojistas. Aos poucos estamos construindo essa integração para entregar mais conveniência na ponta”, explica Diego.

Para entregar esta conveniência, os serviços AWS são utilizados em quatro frentes da infraestrutura. As aplicações e banco de dados utilizam o Amazon EC2 Auto Scaling. Os serviços de cache são garantidos pelo Amazon ElastiCache. Já o ambiente de monitoramento e automação é gerenciado pelo Amazon CloudWatch. A infraestrutura conta ainda com os serviços Amazon Aurora, AWS Certificate Manager (ACM), AWS CloudFormation, Amazon Elastic File System (EFS), Amazon Simple Storage Service (Amazon S3) e AWS Lambda.

Os benefícios

O uso da plataforma trouxe uma série de benefícios para o Grupo JCPM e, principalmente, para os lojistas de seus shoppings, que puderam manter as vendas mesmo com as lojas físicas fechadas. Tanto é assim que, desde sua criação, o interesse de lojistas em aderir à plataforma cresceu muito e já atinge mais de 60% deles, com um catálogo que já conta com mais de 40 mil itens. A partir de março, com o início do isolamento social, as vendas online tiveram um salto de mais de 100 vezes. Isso na ponta do lojista e do consumidor final.

“Do lado do Grupo JCPM, o uso da infraestrutura AWS traz ganhos potenciais de 5% mais disponibilidade, com uma redução de 25% no TCO”, ressalta Misael. O uso da nuvem também permitiu a entrega da plataforma em tempo recorde para os shoppings de Fortaleza, Salvador e Aracaju, além de reduzir o tempo de entrega de novos deploys em Dev e o timeline de integração com os lojistas.

A plataforma de e-commerce também trouxe benefícios para as comunidades localizadas no entorno dos shoppings. “Tivemos uma iniciativa já utilizando a plataforma, criando ali espaços para doações dirigidas às instituições com as quais nos relacionamos”, diz. Para isso, foram criadas “lojas” cujos produtos são cupons de doação. O cliente compra os cupons e colabora com estas instituições, em ação realizada em parceria com o Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM).

Próximos passos

Misael lembra que a pandemia não trouxe mudanças conceituais na visão de futuro do grupo, mas a acelerou. Com isso, o executivo acredita que mais investimentos de médio e curto prazos devem ser feitos. “Outros negócios concorrentes que andavam adormecidos despertaram para a necessidade de se transformar. Por isso a velocidade agora é importante e contar com um parceiro como a AWS é fundamental para darmos cadência a nossos projetos”, afirma.

Nesse sentido, o foco é ampliar a entrega de valor criada com a oferta integrada de ativos físicos e digitais. “Esperamos entregar muito mais conveniência na relação do lojista com o próprio shopping. Há um mundo de serviços a se explorar quando se fala em digitalização de shoppings”, afirma, já prevendo a implementação de serviços como o Amazon CloudFront, o AWS WAF, o Amazon DynamoDB e o Amazon Simple Queue Service (Amazon SQS).


Sobre o Grupo JCPM

Com 85 anos de existência, o Grupo JCPM tem forte atuação no setor de Shopping Center, posicionando-se entre os cinco maiores do País. Investe e desenvolve projetos também no segmento Imobiliário. Há 33 anos, comanda um dos principais conglomerados de Comunicação do Nordeste, o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, com jornal impresso, TV Jornal, Rádio Jornal e Portal NE10, desenvolve e comercializa empreendimentos imobiliários e, recentemente, iniciou a produção de vinhos, com o desenvolvimento da Quinta Maria Izabel, na Região do Douro, em Portugal.  

Na área social, criou e mantém a Fundação Pedro Paes Mendonça, na Serra do Machado, interior de Sergipe, onde realiza programas nas áreas de educação, saúde, acolhimento aos idosos, estímulo à geração de renda e a projetos culturais. Nas capitais onde atua, mantém o Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social, cujo foco são jovens de 16 a 24 anos, com programas de elevação da qualificação da juventude, estímulo e apoio à inserção no mercado de trabalho. 

Benefícios com AWS

  • Aumento de 25% de produtividade;
  • Aumento de 5% de uptime da infraestrutura;
  • Crescimento de mais de 100 vezes nas vendas online (2020 x 2019).

 

Serviços AWS utilizados

AWS CloudFormation

O AWS CloudFormation oferece uma linguagem comum para modelar e provisionar recursos de aplicativos da AWS e terceirizados em um ambiente de nuvem.

Saiba mais »

Amazon Aurora

O Amazon Aurora é um banco de dados relacional compatível com MySQL e PostgreSQL e criado para a nuvem que combina a performance e a disponibilidade de bancos de dados comerciais avançados com a simplicidade e a economia de bancos de dados de código aberto.

Saiba mais »

Amazon ElastiCache

Com o Amazon ElastiCache você pode configurar, executar e escalar conhecidos repositórios de dados na memória compatíveis com código aberto na nuvem.  

Saiba mais »

Amazon CloudWatch

O CloudWatch fornece dados e insights práticos para monitorar aplicativos, responder às alterações de performance em todo o sistema, otimizar a utilização de recursos e obter uma visualização unificada da integridade operacional.  

Saiba mais »


Comece agora

Empresas de todos os tamanhos e setores estão transformando seus negócios todos os dias usando a AWS. Entre em contato com nossos especialistas e comece hoje sua jornada na nuvem.