natura-logo@2x

Natura cria Centro de Excelência em Cloud & DevOps (CCoE) com apoio da AWS para acelerar sua jornada de transformação digital

2020

A Natura passa a contar com um Centro de Excelência em Cloud & DevOps, criado com o apoio da equipe AWS Professional Services, para acelerar as entregas dos times de desenvolvimento/engenharia, garantindo qualidade e segurança na implantação e operação dos produtos.

Customer-References-industry-Professional-Services_cropped-v5
kr_quotemark
Após 3 meses da implantação do CoE, ganhamos muito em agilidade e qualidade. Em agosto de 2020, nossa equipe realizou mais de 6 mil entregas através da nova plataforma, o que representou um volume de deploy 200% maior do que o realizado antes da implementação do CoE”.

Renzo Petri
head de Cloud Platform Engineering & DevOps da Natura

Operações globais e inovação

A Natura teve, por muito tempo, a ambição de se tornar global. Como uma empresa que sempre valorizou as relações, fazia todo sentido que esse plano fosse realizado ao lado de companhias parceiras com propósitos e valores semelhantes. Dessa forma, em 2012, a Natura juntou forças com a marca australiana Aesop. Em 2017, com a britânica The Body Shop; em 2018 as três empresas formaram o grupo Natura &Co. E em janeiro de 2020, a Avon passou a integrar essa família.
 
Natura &Co é um grupo orientado por propósitos e formado por quatro empresas icônicas do ramo da beleza. É o quarto maior grupo global dedicado ao setor de beleza, líder global na relação direta com o consumidor, com presença em mais de 100 países, promove uma melhor maneira de viver e fazer negócios, comprometido em gerar impacto econômico, social e ambiental positivo.
 
Diante dessa transformação a Natura, uma das empresas do grupo, continua sendo líder das vendas diretas no Brasil com 6,8 mil colaboradores e 1,8 milhão de consultoras presenciais e on-line na América Latina. Dentre a estratégia da Natura, um dos pilares é o de fortalecer o modelo de Venda por Relações por meio da omnicanalidade, atingindo alta produtividade das consultoras e avanços expressivos em sua transformação digital. Todas as consultoras já nascem integradas no mundo online e off-line e incorporam cada vez mais recursos para ampliar o relacionamento com seus clientes.
 
Nessa inovação do modelo de negócios, dividido em value streams e focado nas jornadas do consumidor final e da consultora, a Natura passou a contar com um Centro de Excelência em Cloud & DevOps, criado com o apoio da equipe AWS Professional Services, para acelerar as entregas dos times de desenvolvimento/engenharia, garantindo qualidade e segurança na implantação e operação dos produtos. O plano agora é expandir este modelo para outras empresas do grupo que possuem uma agenda importante de integração.
 

“Sem dúvida a jornada de Cloud é um dos principais habilitadores de nossa estratégia, para que possamos inovar sempre de forma ágil, segura e escalável levando beleza para o mundo”.

Renata Marques
CIO Natura&Co Latam

Desafio

Parte dos objetivos estratégicos definidos pela Natura são: fortalecer a preferência, o desejo e o poder da marca; buscar maior diferenciação e inovação nas categorias e revitalizar a arquitetura de marcas-filhas; estratégia de globalização e multi-multi; ampliar o poder da nova venda direta, integrando os modelos de consultoria on-line e off-line e melhorando a experiência de compra dos consumidores; expandir a presença omnicanal; acelerar a transformação digital do negócio; acelerar a entrada em mercados internacionais que permitam crescimento escalável; e adotar modelos inovadores de gestão e organização de pessoas, que viabilizem os negócios futuros.

Para apoiar o crescimento e os pilares estratégicos, a companhia já havia iniciado, há oito anos, uma série de mudanças organizacionais relacionadas à tecnologia, como a reorganização da forma de trabalhar. Isso abriu caminho a uma nova Plataforma de Negócios estruturada na Natura, que cruza competências como inteligência de dados, user experience (UX), service design e inovação aberta. A ideia é fomentar novas oportunidades de negócios a partir desse ecossistema, ao envolver também as áreas de Venda por Relações, digitalização e varejo.

“Após a definição do novo modelo, o desafio era implementar e revisar de maneira acelerada (de seis para três meses) a forma de trabalhar com cloud para que, ao final de 2019, já tivéssemos como apoiar os squads nas melhoras práticas de Cloud e garantir uma stack de DevOps renovada”, explica o head de Cloud Platform Engineering & DevOps da Natura, Renzo Petri. Uma das definições deste processo, na área de tecnologia e plataformas, foi a criação de um modelo de jornadas suportados por Centros de Excelência (Cloud&DevOps, Arquitetura, Agilidade, UX, Dados e Engenharia).

Petri destaca que os Centros de Excelência (CoE) possuem a missão de fomentar melhores práticas, promover treinamentos, definir playbooks e métodos/habilitadores tecnológicos para toda a organização.

“Depois de muitas análises, começamos a preparar a escolha de um parceiro para a implementação do CoE de Cloud e DevOps em nossa estrutura junto com o time”, explica Petri, lembrando que a empresa deveria auxiliar não apenas na formação do CoE, mas viabilizar a estratégia de negócios definida para os próximos anos e diminuir o lead time de entregas dos times de produtos/engenharia; sempre garantindo qualidade e segurança através da adoção de serviços de nuvem.

Por que AWS

A escolha acabou recaindo sobre a Amazon Web Services, que já é fornecedora desde 2016, na ocasião hospedando produtos digitais da companhia e hoje está apoiando na criação da nova plataforma global de vendas da Natura&Co Latam. Segundo Petri, a escolha se deu pelo modelo apresentado. “O grande diferencial na escolha da AWS nessa jornada foi a realização de entrevistas detalhadas com executivos olhando não apenas para a tecnologia, mas entendendo nossa estratégia, visão de futuro e muito orientado à experiência para nosso cliente/consultora antes mesmo de apresentarem a proposta técnica. Quando a AWS apresentou a proposta, nos enxergamos nela”, afirma.

Somente depois de entender o nível de maturidade da Natura é que a equipe AWS Professional Services preparou os workshops de apresentação do projeto. “Esse cuidado nos chamou a atenção. A adaptabilidade e o fato de trazerem casos próximos de nosso mercado nos ajudaram bastante também”, lembra Petri.

Durante três meses, a equipe de consultores da AWS realizou workshops, entrevistas, sessões técnicas com os colaboradores e parceiros da Natura com o objetivo de identificar onde deveriam mudar o foco das pessoas, processos e ferramentas.  Em outra frente, foi realizado um assessment do nível de DevOps da companhia, que era fator decisivo para a escala necessária dos produtos que estavam prevendo. Estas iniciativas permitiram ao time de Petri entender seus pontos fortes e fracos em diversas disciplinas e, ao mesmo tempo, criar uma cultura de comunidade e colaboração dentro da organização.

O executivo lembra que, até ali, nunca havia sido realizado um workshop sobre os fundamentos de DevOps na companhia. “Colocamos mais de 150 pessoas no auditório da Natura e Avon para falar sobre o assunto com a AWS. Pessoas de todas as áreas puderam participar desse momento e começaram a entender o que era DevOps e o que queríamos construir juntos”, diz.

O trabalho também trouxe aprimoramentos aos processos de documentação sobre o tema e para os times técnicos. Foi criada uma série de playbooks, com vídeos explicativos, welcome kit e informações sobre DevOps & Cloud que serviram de referência para o CoE e Jornadas. Este acervo está hoje aberto para que todos os colaboradores e parceiros possam contribuir e evoluir.

Hoje já são mais de 25 squads apoiados pelo Centro de Excelência de Cloud & DevOps que, na prática, possuem autonomia para construção e operação dos seus produtos com agilidade, qualidade e segurança, seguindo as práticas sugeridas pelo CoE. Petri lembra que, no modelo anterior praticado na companhia, existia um processo totalmente centralizado de entrega de componentes em cloud e com diversos fóruns, o que poderia atrasar as entregas. Agora é possível que um time de desenvolvedores tenha um ambiente de experimentação totalmente provisionado em cloud em menos de 15 minutos através de uma plataforma de autosserviço.

“Com a sinergia entre o nosso time e o da AWS e com a chegada da nossa nova plataforma DevOps, conseguimos empoderar as squads de desenvolvimento permitindo criar, manter e monitorar os seus recursos em cloud de forma rápida, eficaz e segura. Com isso conseguimos diminuir de forma drástica as atividades repetitivas que tínhamos e agora estamos utilizando esse tempo para trazer inovações que nos ajudem no nosso principal objetivo, que é melhorar a experiência de nossos desenvolvedores para entregar ainda mais valor às consultoras e consumidores da Natura com produtos inovadores”.

Gustavo Zampieri
especialista em Cloud & DevOps da Natura

Para conseguir esse nível de autonomia sem perder governança, o CoE conta com uma estrutura de engenheiros especializados em Cloud, automação, DevOps, denominados de Cloud Platform Engineers (CPE), que hoje são responsáveis por implementar, evoluir e manter a plataforma DevOps do grupo com toda a stack de DevOps, desde o provisionamento até a monitoração. Na ponta, os squads, através dos DevOps Engineerings e desenvolvedores, podem provisionar sua infra cloud para evolução do seu produto sem precisar escrever sequem um linha de scripts de infraestrutura cloud.
 
Renzo Petri ressalta não se tratar apenas da criação do CoE, mas da implantação de uma nova estrutura na Natura. Com o novo modelo, sua área e os demais centros de excelência vêm garantindo cada vez mais autonomia para as áreas de negócio. “No último mês tivemos uma entrega que trouxe 78% de redução de custos de cloud em um dos produtos da empresa sem a participação do time de engenheiros especializados e totalmente liderado e entregue pela squad. Demos autonomia para as áreas de produto sem perder governança e controle”.

Benefícios

“Com a implementação do CoE e do time de engenharia de plataforma DevOps, ganhamos em agilidade. Em agosto do 2020, nossa área proporcionou 6 mil entregas, o que representou um volume de deploy 200% maior do que o realizado antes da implementação do CoE”, revela Petri.

O uso da nuvem também acabou com as reclamações por causa da demora no provisionamento de infraestrutura. No modelo anterior, um ambiente de machine learning era provisionado em uma semana e meia. No novo modelo, um cientista de dados consegue utilizar o mesmo em 15 minutos.

“Criar a área de CPE (Cloud Platform Engineer) não só nos permitiu desenvolver uma plataforma que atenda aos squads, mas também possibilitou proporcionar padronizações, garantir segurança, escalabilidade a fim de entregar um produto final na ponta com as melhores práticas de mercado, sempre pensando em qualidade, custo e resiliência”.

Luciano Beja
especialista em Cloud & DevOps da Natura

Após a implantação do CoE cabia medir a evolução das práticas DevOps. Essa medida foi obtida através de pesquisa interna comparando a percepção do ambiente realizada em fevereiro e agosto de 2020: no quesito cultura e organização a aprovação subiu 131%; em desenvolvimento e arquitetura 136%; em práticas de engenharia 35%; em testes e verificação 32%; e em operações e suporte 19%.

Próximos passos

Petri revela que a Natura agora está trabalhando na consolidação e evolução de sua plataforma DevOps com o objetivo de oferecer ainda mais autonomia para outras áreas da companhia e unidades do grupo. “Estamos evoluindo para que a ponta consiga provisionar o serviço quando precisar, sem a participação dos DevOps Engineers e garantir que tenhamos mais sinergia e evolução nas práticas de SRE”, prevê.

Com isso, o próximo passo da Natura é o de estabelecimento de um Cloud Business Office, incluindo aspectos de arquitetura corporativa, sistemas, soluções e infraestrutura, onboarding da equipe, modelo de governança, modelo de testes, operações de monitoramento, etc. Esse passo vai ampliar a sinergia entre os CoEs de Cloud e de Arquitetura e acelerar a aplicabilidade das práticas e definições de arquitetura, infraestrutura e testes através de uma plataforma de autosserviço, garantindo a autonomia das equipes na ponta, mas sem deixar de lado a governança do ambiente.

O fato de ser cada vez mais uma rede social digital cria oportunidades exponenciais para a Natura.  A digitalização empodera as consultoras e melhora a experiência dos consumidores e a eficiência dos processos.

Com a chegada da Avon, o grupo Natura &Co passou a operar de forma integrada em toda a América Latina. É um potencial enorme. Juntas, as quatro empresas têm uma jornada importante pela frente. Como grupo, Natura &Co tem presença em 18 países da América Latina, com uma receita bruta de quase US$ 5 bilhões em 2019, mais de 4 milhões de consultoras e revendedoras, 18 mil colaboradores e 1,5 bilhão de unidades vendidas em 2019.

Ancorado pela digitalização o grupo está estruturando a plataforma de negócios do Bem Estar Bem, que permitirá acelerar a concepção de novos produtos, serviços e experiências para consultoras, revendedoras e consumidores, conectando as redes de pessoas e os portfólios das marcas por meio de serviços, produtos e conteúdo.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Líder no setor de venda direta no Brasil, com mais de 1,7 milhão de consultoras, faz parte de Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Natura, Avon, The Body Shop e Aesop. A natura foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação BCorp no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. Com operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México, Peru e Malásia, os produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as Consultoras, por meio do e-commerce, app Natura, nas lojas próprias ou nas franquias “Aqui tem Natura”.

Sobre a Natura &Co

A Natura &Co é um grupo global de cosméticos, multicanal e multimarcas, que inclui Avon, Natura, The Body Shop e Aesop. A Natura &Co registrou receita líquida de R$ 14,4 bilhões em 2019 e R$ 32,9 bilhões em termos proforma, incluindo a Avon. As quatro empresas que formam o grupo estão comprometidas em gerar impacto econômico, social e ambiental positivo. Por 130 anos, a Avon defendeu as mulheres: fornecendo produtos de beleza inovadores e de qualidade, vendidos principalmente para mulheres, por meio de mulheres. Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira no segmento de cosméticos e cuidados pessoais, líder em vendas diretas. Fundada em 1976 em Brighton, Inglaterra, por Anita Roddick, a The Body Shop é uma marca global de beleza que busca fazer uma diferença positiva no mundo. A marca de beleza australiana Aesop foi criada em 1987 com o objetivo de criar uma gama de produtos excepcionais para a pele, cabelos e corpo.

Benefícios com AWS

  • Aumento de 200% na capacidade de entrega de projetos;
  • Redução no tempo de provisionamento de ambientes de 10 dias para 15 minutos;
  • Melhora no nível de satisfação e percepção dos usuários internos;
  • Maior autonomia para as equipes de desenvolvimento.


Serviços AWS utilizados

AWS Professional Services

A adoção da nuvem AWS pode proporcionar vantagens empresariais sustentáveis. A complementação da sua equipe com as habilidades e experiências especializadas pode ajudar a alcançar esses resultados. A organização da AWS Professional Services é uma equipe global de experts que pode ajudar a alcançar objetivos de negócios usando a Nuvem AWS.

Saiba mais »


Comece agora

Empresas de todos os tamanhos e setores estão transformando seus negócios todos os dias usando a AWS. Entre em contato com nossos especialistas e comece hoje sua jornada na nuvem.