mobly-logo@2x

Na nuvem AWS, Mobly ganha agilidade e escalabilidade para crescer

2021

Criada em 2011, em pouco tempo a Mobly tornou-se a maior loja online de móveis e decoração do Brasil. O crescimento veio acompanhado da ampliação do modelo de negócio, que passou a incluir também canais de markteplace e lojas físicas. No ano passado a companhia, que tem um portfólio de 200 mil produtos, atendeu quase 1 milhão de clientes, o que só foi possível porque ela conta hoje com 100% de sua infraestrutura operando a partir da nuvem AWS.
Mobly-MegaStore
kr_quotemark

Escolhemos a AWS por isso. É uma empresa que sempre lançou serviços inovadores e fazia todo sentido contar com um parceiro que nos trouxesse essa inovação”

Henrique Weber
João Batista, head de infraestrutura e segurança da Mobly

Desafio

A Mobly nasceu em 2011 como um e-commerce de móveis e decoração. Em pouco tempo tornou-se a maior loja online do setor, incluindo depois canais de marketplace e lojas físicas ao seu modelo de negócio. Em 2020, a companhia reportou uma receita líquida de R$ 603,1 milhões, um crescimento de 48,2%. A marca própria da empresa respondeu por 42% das vendas. No ano, a companhia contabilizou 985 mil clientes ativos e um volume bruto de mercadorias (GMV) de R$ 950,3 milhões, alta de 57,6% sobre 2019.

Este crescimento trouxe desafios para a área de TI da Mobly. Nos primeiros anos de atividades, toda a sua estrutura de TI estava em um grande data center, ainda no modelo de hosting. O head de infraestrutura e segurança da Mobly, João Batista, lembra que a companhia não nasceu na nuvem e, por isso, tinha sua própria estrutura. “Lá no início nos vimos diante de um grande problema de escalabilidade. Desde o lançamento tivemos um crescimento orgânico muito grande, que vem se mantendo até hoje”, explica. Neste modelo, era difícil administrar o parque de hardware e também o site, mesmo antes da criação do marketplace.

Batista lembra que a situação se tornava ainda mais complexa nos períodos de Black Friday, quando os acessos ao site cresciam até 500%. Essa complexidade levou a companhia a estudar o uso da nuvem para atender somente as demandas específicas da Black Friday.

Por que AWS

Para suportar os acessos durante a Black Friday, em 2015 o time de Batista  buscou um provedor que se posicionasse como líder do mercado. “Escolhemos a AWS por isso. É uma empresa que sempre lançou serviços inovadores e fazia todo sentido contar com um parceiro que nos trouxesse essa inovação”, lembra.

Com isso, na Black Friday daquele ano parte do tráfego do site da Mobly foi transbordado para a nuvem da AWS. Para suportar os acessos naquele momento, foram criados servidores no Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2). “A iniciativa foi um sucesso e nos fez decidir pela migração total de nosso ambiente web para a AWS”, diz Batista, lembrando que o processo foi realizado ao longo de 2016.

Na nova estrutura, a Mobly passou a contar com serviços gerenciados como o Amazon Relational Database Service (Amazon RDS), Amazon ElastiCache e o AWS Application AutoScaling. “Naquele momento paramos de nos preocupar com a infraestrutura de base e passamos a nos ocupar da arquitetura em si”, lembra. Nesse processo, a companhia evoluiu para a utilização de serviços como o Amazon Elastic Container Service (Amazon ECS) e o AWS Lambda. Ao final de 2017, 100% da infraestrutura da Mobly estava na AWS, agora totalmente automatizada e escalável.

No início do processo de migração, a Mobly contou com o suporte de um parceiros de implementação, mas aos poucos a companhia foi desenvolvendo seu próprio time de nuvem. “O time próprio nos dá a agilidade que precisamos e ele conta bastante com a ajuda do Enterprise Support da AWS, que hoje é como uma consultoria que nos conhece e provê as melhores soluções que precisamos”, ressalta.

Com esse foco, a Mobly vem tirando proveito da nuvem para o desenvolvimento de uma série de soluções específicas. Um exemplo é a aplicação utilizada nos totens de suas lojas físicas, que liga os mundos físico e digital. “Abrimos nossa primeira loja em 2019 e já pensávamos em ser uma loja conceito, onde o mundo digital seria uma extensão de nosso estoque na loja. No totem, os clientes conseguem consultar os mais de 200 mil produtos que temos em nosso portfólio”.

Outro exemplo é o serviço de recálculo de datas, que resolveu uma demanda que a Mobly tinha sobre a visibilidade de potenciais atrasos na entrega em qualquer etapa do processo de supply. Batista lembra que a informação sobre um potencial atraso estava em algum dos vários sistemas envolvidos e era preciso que ela estivesse centralizada. “Aqui criamos um processo baseado no AWS Lambda que varre o banco para capturar os itens de pedidos que estão com entrega atrasada, e uma lista de eventos é disparado com esses itens”, diz.

Além do desenvolvimento dos novos serviços, a Mobly também utiliza o marketplace da AWS para buscar parceiros que complementem seu portfólio. “Um exemplo ocorreu durante a pandemia: hoje todos os colaboradores da Mobly acessam nosso ambiente por meio de um firewall que está na AWS. Usamos um fabricante que já estava no marketplace, o que facilitou bastante nossa migração para o home office”, lembra.

Benefícios

Hoje 100% na nuvem, a Mobly consegue apontar uma série de benefícios gerados pela migração. O primeiro deles é a redução de custos que, de acordo com Batista, foi de cerca de 20% em relação ao modelo anterior, de uso do data center.

Outro ponto positivo foi o ganho de agilidade no desenvolvimento e implementação de novo serviços. Na estrutura anterior, levava semanas para que uma nova aplicação fosse colocada no ar, processo que hoje é feito em minutos. “O desenvolvedor roda e já sobe a aplicação seguindo padrões preestabelecidos de infraestrutura e segurança. Não precisamos mais da infraestrutura para criar isso. O processo fica todo na mão do time de desenvolvimento”, explica

Outra métrica apontada é de uma melhora de 30% no tempo de resposta do e-commerce da companhia, que hoje está em um ambiente mais estável também. O monitoramento da AWS acabou com os picos existentes no modelo anterior. Hoje o time de Batista é alertado sobre qualquer aumento no volume de acessos e notificado caso haja risco para a estabilidade do site.

O monitoramento automatizado permite que a Mobly tenha relatórios de billing que permitem acompanhar o custo da infraestrutura por visita. “Recebemos alertas caso esse custo saia do padrão e procuramos entender o motivo. Se identificamos que determinado grupo de servidores escalou muito, precisamos entender o motivo. Aí vamos na raiz para resolver o problema”, explica.

Próximos passos

A Mobly continua sua jornada de transformação de arquitetura. De acordo com Batista, o foco do time de TI é finalizar a migração das aplicações para microsserviços, processo que foi 50% realizado. Além disso, há o objetivo de colocar mais inteligência nas operações. “Hoje estamos olhando mais para machine learning e inteligência artificial. Inicialmente em nossa operação logística”, explica, lembrando que a companhia conta hoje com três centros de distribuição e deve abrir mais em outras regiões do País.


Sobre a Mobly

A Mobly nasceu em 2011 e hoje é referência em móveis e decoração em todo o País. A companhia foi idealizada por empreendedores que, enquanto estudavam no exterior, se interessaram por modelos de negócios digitais. Ao voltar para o Brasil, viram uma oportunidade de vender móveis e artigos decorativos para deixar os lares dos brasileiros ainda mais com o jeito deles. Com isso, a Mobly recebeu investimentos do grupo Rocket Internet e também de outros investidores que acreditaram no negócio. Sem nunca perder seu DNA, a Mobly quer encantar o cliente, conhecendo-o como ninguém, desenvolvendo parceiros e time para garantir experiência e serviços de alto nível, com produtos e ofertas para todos os gostos e bolsos.

Benefícios

  • 100% da infraestrutura em nuvem;
  • 50% dos aplicativos em microsserviços;
  • 20% de redução de custos em relação ao ambiente em data center:
  • Mais agilidade no desenvolvimento e implementação de novos serviços;
  • Ganho de 30% no tempo de resposta do site.

Serviços AWS utilizados

Amazon RDS

O Amazon RDS facilita a configuração, a operação e a escalabilidade de bancos de dados relacionais na nuvem.

Saiba mais »

Amazon ElastiCache

Com o Amazon ElastiCache, você pode configurar, executar e escalar sem problemas conhecidos repositórios de dados na memória compatíveis com código aberto na nuvem.

Saiba mais »

AWS Lambda

AWS Lambda permite que você execute código sem provisionar ou gerenciar servidores. Você paga apenas pelo tempo de computação consumido.

Saiba mais »

AWS RedShift

Com o Redshift, você pode consultar e combinar exabytes de dados estruturados e semiestruturados em data warehouses, bancos de dados operacionais e seu data lake usando o SQL padrão.

Saiba mais »


Comece agora

Empresas de todos os tamanhos e setores estão transformando seus negócios todos os dias usando a AWS. Entre em contato com nossos especialistas e comece hoje sua jornada na nuvem.