As perguntas frequentes a seguir não se aplicam ao AWS Key Management Service na região da AWS China (Pequim), operada pela Sinnet, e na região da AWS China (Ningxia), operada pela NWCD. Acesse o link de perguntas frequentes para conhecer o conteúdo relevante para essas duas regiões da China.

Geral

O que é o AWS KMS?
O AWS KMS é um serviço gerenciado que ajuda a criar e controlar com mais facilidade as chaves usadas para operações criptográficas. O serviço oferece uma solução de geração, armazenamento, gerenciamento e auditoria de chaves altamente disponível para que você criptografe ou assine digital--mente dados nos suas próprias aplicações ou controle a criptografia de dados nos serviços da AWS.

P: Por que eu devo usar o AWS KMS?
Se você é responsável por proteger seus dados nos serviços da AWS, use-os para gerenciar centralmente as chaves de criptografia que controlam o acesso aos seus dados. Se você é um desenvolvedor que precisa criptografar dados em suas aplicações, deve usar o SDK de criptografia da AWS com o AWS KMS para gerar, usar e proteger mais facilmente as chaves de criptografia simétricas no seu código. Se você é um desenvolvedor que precisa assinar ou verificar dados digitalmente usando chaves assimétricas, deve usar o serviço para criar e gerenciar as chaves privadas necessárias. Se você procura uma infraestrutura de gerenciamento de chave escalonável para auxiliar seus desenvolvedores e seu número crescente de aplicações, deve usá-lo para reduzir seus custos de licenciamento e carga operacional. Se você é responsável por provar a segurança dos dados para fins regulatórios ou de conformidade, deve usá-lo, pois isso facilita a comprovação de que seus dados estão sempre protegidos. Também está no escopo de um amplo conjunto de regimes de conformidade regional e do setor.

P: Como faço para começar a usar o AWS KMS?
A forma mais fácil de começar a usar o AWS KMS é optar por criptografar seus dados com serviços da AWS que usam chaves raiz de propriedade da AWS que são criadas automaticamente por cada serviço. Se quiser ter controle total sobre o gerenciamento das suas chaves, inclusive a capacidade de compartilhar acesso às chaves entre contas ou serviços, é possível criar suas próprias chaves gerenciadas do cliente AWS KMS no AWS KMS. Você também pode usar as chaves KMS que cria diretamente em suas próprias aplicações. O AWS KMS pode ser acessado do console do KMS, que está agrupado em Segurança, Identidade e Conformidade, na página inicial dos serviços da AWS do console do AWS KMS. As APIs do AWS KMS também podem ser diretamente acessadas pela interface de linha de comando (CLI) do AWS KMS ou pelo AWS SDK para acesso programático. As APIs do AWS KMS também podem ser usadas diretamente para criptografar dados em suas próprias aplicações usando o SDK de criptografia da AWS. Acesse a página Conceitos básicos para saber mais.

P: Em que regiões o AWS KMS está disponível?
A disponibilidade está listada em nossa página global de Produtos e serviços por região.

P: Quais são os principais recursos de gerenciamento de chave disponíveis no AWS KMS?

Você pode realizar as seguintes funções de gerenciamento de chave:

  • Criar chaves simétricas, assimétricas e HMAC em que o material da chave é usado apenas no serviço
  • Crie chaves simétricas em que o material da chave é gerado e usado em um armazenamento de chaves personalizadas sob seu controle e respaldado pelo AWS CloudHSM ou em seu próprio gerenciador de chaves externo fora da AWS.
  • Importar seu próprio material de chave simétrica para uso dentro do serviço
  • Definir quais usuários e funções do AWS Identity and Access Management (IAM) podem gerenciar chaves
  • Definir quais usuários e funções do IAM podem usar chaves para criptografar e descriptografar dados
  • Fazer a rotação automaticamente das chaves que foram geradas pelo serviço a cada ano
  • Desabilitar chaves temporariamente para que elas não possam ser usadas por ninguém
  • Habilitar novamente as chaves desabilitadas
  • Agendar a exclusão de chaves que você não usa mais
  • Auditar o uso de chaves inspecionando os logs do AWS CloudTrail
 
P: Como funciona o AWS KMS?
Você pode começar a usar o serviço solicitando a criação de uma chave do AWS KMS. Você controla o ciclo de vida de qualquer chave KMS gerenciada pelo cliente e quem pode usá-la ou gerenciá-la. Depois de criar uma chave KMS, você pode enviar dados diretamente ao serviço AWS KMS para serem criptografados, descriptografados, assinados, verificados ou para gerar ou verificar um HMAC usando essa chave KMS. Você define políticas de uso dessas chaves que determinam quais usuários podem realizar determinadas ações e em quais condições.
 
Os serviços da AWS e os kits de ferramentas do cliente integrados ao AWS KWS usam um método conhecido como criptografia envelopada para proteger os dados. Com esse método, o AWS KMS gera chaves de dados usadas para criptografar dados localmente no serviço da AWS ou na sua aplicação. As chaves de dados são criptografadas em uma chave do AWS KMS que você define. As chaves de dados não são retidas nem gerenciadas pelo AWS KMS. Os serviços da AWS criptografam os dados e armazenam uma cópia criptografada da chave de dados em conjunto com os dados criptografados. Quando um serviço precisa descriptografar os dados, solicita que o AWS KMS descriptografe a chave de dados usando sua chave KMS. Se o usuário que solicitou os dados do serviço da AWS estiver autorizado a descriptografá-los pela chave KMS, o serviço da AWS receberá a chave de dados descriptografada do AWS KMS. O serviço da AWS descriptografa os dados e os retorna em texto simples. Todas as solicitações para usar chaves KMS são registradas em log no CloudTrail, para que você entenda quem usou qual chave, em qual contexto e quando.

P: Onde meus dados são criptografados se eu uso o AWS KMS?
Normalmente, há três cenários como os dados são criptografados usando o AWS KMS. Primeiro, você pode usar as APIs do AWS KMS para criptografar e descriptografar os dados diretamente usando suas chaves KMS armazenadas no serviço. Segundo, você pode escolher que os serviços da AWS criptografem os seus dados usando suas chaves KMS armazenadas no serviço. Nesse caso, os dados são criptografados usando chaves de dados protegidas pelas suas chaves KMS. Terceiro, você pode usar o SDK de criptografia da AWS, que é integrado ao AWS KMS, para criptografar dentro das suas próprias aplicações, sejam operados na AWS ou não.

P: Que serviços da Nuvem AWS são integrados ao AWS KMS?
O AWS KMS é facilmente integrado à maioria dos serviços da AWS para tornar a criptografia de dados nesses serviços mais fácil. Em alguns casos, os dados são criptografados por padrão usando chaves que são armazenadas no AWS KMS, mas de propriedade e gerenciadas pelo serviço da AWS em questão. Em muitos casos, as chaves do AWS KMS são de sua propriedade e são gerenciadas por você dentro da sua conta. Alguns serviços oferecem a opção de gerenciar as chaves você mesmo ou permitir que o serviço gerencie as chaves em seu nome. Consulte a lista de serviços da AWS atualmente integrados ao AWS KMS. Consulte o Guia do desenvolvedor do AWS KMS para obter mais informações sobre como os serviços integrados usam o AWS KMS.

P: Por que usar a criptografia de envelope? Por que não apenas enviar os dados para o AWS KMS para criptografar diretamente?
Embora o AWS KMS ofereça suporte ao envio de dados de até 4 KB para criptografia diretamente, a criptografia de envelope pode oferecer benefícios significativos de performance. Quando você criptografa diretamente os dados com o AWS KMS, eles precisam ser transferidos pela rede. A criptografia de envelope reduz a carga de rede, pois apenas a solicitação e a entrega da chave de dados muito menor são transmitidas pela rede. A chave de dados é usada localmente em sua aplicação ou serviço de criptografia da AWS, evitando a necessidade de enviar o bloco de dados inteiro para o AWS KMS e sofrer latência de rede.

P: Qual é a diferença entre uma chave KMS que eu crio e as chaves KMS criadas automaticamente para mim por outros serviços da AWS?
Você tem a opção de selecionar uma chave KMS específica para usar quando quiser que um serviço da AWS criptografe dados em seu nome. Elas são conhecidas como chaves KMS gerenciadas pelo cliente, e você tem total controle sobre elas. Você define o controle de acesso e a política de uso para cada chave e pode conceder permissões para outras contas e serviços para usá-las. Além das chaves gerenciadas pelo cliente, o AWS KMS também fornece dois tipos de chaves gerenciadas pela AWS: (1) chaves KMS gerenciadas pela AWS são chaves criadas em sua conta, mas gerenciadas pela AWS; e (2) chaves de propriedade da AWS são chaves de propriedade total e operadas a partir de contas da AWS. Você pode monitorar as chaves gerenciadas pela AWS em sua conta, e todo o uso é registrado no CloudTrail, mas você não tem controle direto sobre as chaves em si. As chaves de propriedade da AWS são as mais automatizadas e fornecem criptografia de seus dados na AWS, mas não oferecem controles de política ou logs do CloudTrail em suas principais atividades.

Q: Por que devo criar minhas próprias chaves do AWS KMS?
Criar sua própria chave do KMS oferece a você mais controle do que com as chaves do KMS gerenciadas pela AWS. Quando você cria uma chave do KMS simétrica gerenciada pelo cliente, pode optar por usar o material da chave gerado pelo AWS KMS, gerado em um cluster do AWS CloudHSM ou armazenamento de chave externo (por meio do armazenamento de chave personalizada) ou importar seu próprio material de chave. Você pode definir um alias e uma descrição para a chave e escolher a opção de a chave passar por rotação automática uma vez por ano se tiver sido gerada pelo AWS KMS. Você também pode definir todas as permissões na chave para controlar quem pode usar ou gerenciar a chave. Com as chaves do KMS assimétricas gerenciadas pelo cliente, existem algumas ressalvas no gerenciamento: o material principal pode ser gerado apenas nos HSMs do AWS KMS e não há opção para a rotação automática de chaves.

P: Posso trazer minhas próprias chaves para o AWS KMS?
Sim. Você pode importar uma cópia da chave usando sua própria infraestrutura de gerenciamento de chave para o AWS KMS e usá-la com qualquer serviço da AWS integrado ou em suas próprias aplicações. Você não pode importar chaves KMS assimétricas para o AWS KMS.

P: Quando posso usar uma chave importada?
Você pode usar uma chave importada para obter maior controle sobre a criação, o gerenciamento do ciclo de vida e a resiliência da chave no AWS KMS. As chaves importadas foram criadas para ajudá-lo a atender aos seus requisitos de conformidade, os quais podem incluir a capacidade de gerar ou manter uma cópia segura da chave na sua infraestrutura, como também a capacidade de excluir a cópia importada da chave sob demanda por meio da infraestrutura da AWS quando você não precisar mais dela.

P: Que tipo de chaves posso importar?
Você pode importar chaves simétricas de 256 bits.

P: Como a chave importada para o AWS KMS é protegida quando em trânsito?
Durante o processo de importação, sua chave deve estar encapsulada por uma chave pública fornecida pelo AWS KMS usando um dos dois esquemas RSA PKCS#1. Dessa forma, você verifica se a chave criptografada pode ser descriptografada apenas pelo AWS KMS.

P: Qual é a diferença entre uma chave importada e uma chave gerada para mim no AWS KMS?
Há duas diferenças principais:

  1. Você é responsável por manter de modo seguro uma cópia das chaves importadas na infraestrutura de gerenciamento de chaves para poder importá-las novamente a qualquer instante. Entretanto, a AWS verifica a disponibilidade, a segurança e a resiliência das chaves geradas pelo AWS KMS em seu nome até que você programe sua exclusão.
  2. Você pode definir um período de expiração para uma chave importada. O AWS KMS excluirá automaticamente o material da chave depois do período de expiração. Você também pode excluir o material da chave importada sob demanda. Em ambos os casos, o próprio material da chave é excluído, mas a referência da chave KMS no AWS KMS e os metadados associados são retidos para que o material da chave possa ser reimportado no futuro. As chaves geradas pelo AWS KMS não têm um tempo de expiração e não podem ser imediatamente excluídas, há um período de espera obrigatório de 7 a 30 dias. Todas as chaves KMS gerenciadas pelo cliente, independentemente de o material da chave ter sido importado ou não, podem ser manualmente desativadas ou programadas para exclusão. Nesse caso, a chave KMS em si é excluída, não apenas o material da chave subjacente.

P: Posso fazer a rotação das minhas chaves?
Sim. Você pode deixar o AWS KMS fazer automaticamente a rotação das chaves KMS todo ano, desde que essas chaves tenham sido geradas nos HSMs do AWS KMS. A rotação automática da chave não tem suporte para chaves importadas, assimétricas ou geradas em um cluster do CloudHSM usando o recurso de armazenamento de chave personalizada do AWS KMS. Se você optar por importar chaves para o AWS KMS ou chaves assimétricas ou usar um armazenamento de chave personalizada, poderá fazer a rotação manual criando uma nova chave KMS e mapeando um alias de chave existente da chave KMS antiga para a nova chave KMS.

P: Precisarei criptografar novamente meus dados depois que as chaves no AWS KMS forem alternadas?
Se você optar pela rotação automática de chaves pelo AWS KMS, não será necessário criptografar novamente os dados. O AWS KMS mantém automaticamente as versões anteriores das chaves para usar para descriptografar dados criptografados em uma versão anterior da chave. Todas as novas solicitações de criptografia contra uma chave no AWS KMS são criptografadas na versão mais recente da chave.

Se você fizer a rotação manual das chaves importadas ou de armazenamento de chave personalizada, poderá ser necessário criptografar novamente seus dados, dependendo de se você decidir manter as versões anteriores das chaves disponíveis.

P: Posso excluir uma chave do AWS KMS?
Sim. Você pode programar uma chave do AWS KMS e dos metadados associados criados no AWS KMS com um período de espera configurável de 7 a 30 dias. Esse período de espera ajuda você a verificar o impacto da exclusão de uma chave sobre suas aplicações e seus usuários que dependem dela. O período de espera padrão é de 30 dias. Você pode cancelar a exclusão da chave durante o período de espera. A chave não pode ser usada se for programada para exclusão até que você a cancele durante o período de espera. A chave é excluída no final do período de espera, caso você não cancele a exclusão. Quando uma chave é excluída, você não pode mais usá-la. Todos os dados protegidos por uma chave root excluída tornam-se inacessíveis.

Para chaves AWS KMS do cliente com material de chave importado, é possível excluir o material da chave sem que seja necessário excluir o ID da chave AWS KMS ou os metadados de duas maneiras. Primeiro, você pode excluir seu material de chave importada sob demanda sem um período de espera. Segundo, no momento da importação do material da chave para a chave do AWS KMS, defina um horário de expiração para definir o tempo que a AWS pode usar seu material de chave importada antes de sua exclusão. Você pode importar novamente seu material de chave para a chave do AWS KMS, caso precise usá-lo de novo.

P: O que devo fazer se meu material de chave importada expirar ou for excluído acidentalmente?
Você pode importar novamente sua cópia do material de chave com um período de expiração válido para o AWS KMS com a chave AWS KMS original para permitir o seu uso.

P: Posso ser alertado de que preciso importar a chave novamente?
Sim. Depois de importar a sua chave para uma chave do AWS KMS, você receberá uma métrica do CloudWatch de poucos em poucos minutos, fazendo a contagem regressiva até o momento da expiração da chave importada. Você também receberá um evento do CloudWatch quando a chave importada com a sua chave do AWS KMS expirar. Você pode criar uma lógica que atue nessas métricas, ou nesses eventos, e que importe novamente de modo automático a chave com um novo período de expiração para evitar riscos de disponibilidade.

P: Posso usar o AWS KMS para gerenciar a criptografia de dados fora dos serviços de nuvem da AWS?
Sim. O AWS KMS é compatível com os AWS SDKs, o SDK de criptografia da AWS, a criptografia do lado do cliente do Amazon DynamoDB e do Amazon Simple Storage Service (S3) para facilitar a criptografia de dados em seus próprios aplicativos, sempre que eles forem executados. Visite os sites do AWS Crypto Tools e de desenvolvimento na AWS para obter mais informações.

P: Há um limite para o número de chaves que posso criar no AWS KMS?
Você pode criar até 100 mil chaves KMS por conta por região. Como tanto as chaves KMS ativadas quanto as desativadas são contabilizadas com relação ao limite, recomendamos excluir as chaves desativadas que você já não usa mais. As chaves KMS gerenciadas pela AWS criadas em seu nome para uso em serviços da AWS compatíveis não contam nesse limite. Não há limite para o número de chaves de dados que podem ser derivadas usando uma chave KMS e usadas em sua aplicação ou pelos serviços da AWS para criptografar dados em seu nome. Você pode solicitar um aumento de limite de chaves KMS acessando o Centro de Suporte da AWS.

P: Quais tipos de algoritmos e de chave simétrica são permitidos?
O AWS KMS permite chaves de 256 bits ao criar uma chave KMS. As chaves de dados geradas retornadas ao chamador podem ser de 256 bits, 128 bits ou um valor arbitrário de até 1024 bits. Quando o AWS KMS usa uma chave KMS de 256 bits em seu nome, o algoritmo AES no Galois Counter Mode (AES-GCM) é usado.

P: Que tipos de chave assimétrica são permitidos?
O AWS KMS é compatível com os seguintes tipos de chave assimétrica: RSA 2048, RSA 3072, RSA 4096, ECC NIST P-256, ECC NIST P-384, ECC NIST-521 e ECC SECG P-256k1.

P: Que tipos de algoritmos de criptografia assimétrica são permitidos?
O AWS KMS dá suporte aos algoritmos de criptografia RSAES_OAEP_SHA_1 e RSAES_OAEP_SHA_256 com os tipos de chave RSA 2048, RSA 3072 e RSA 4096. Os algoritmos de criptografia não podem ser usados com os tipos de chave de curva elíptica (ECC NIST P-256, ECC NIST P-384, ECC NIST-521 e ECC SECG P-256k1).

P: Que tipos de algoritmos de assinatura assimétrica são permitidos?
Ao usar tipos de chave RSA, o AWS KMS dá suporte aos algoritmos de assinatura RSASSA_PSS_SHA_256, RSASSA_PSS_SHA_384, RSASSA_PSS_SHA_512, RSASSA_PKCS1_V1_5_SHA_256, RSASSA_PKCS1_V1_5_SHA_384 e RSASSA_PKCS1_V1_5_SHA_512.
Ao usar os tipos de chave de curva elíptica, o AWS KMS dá suporte aos algoritmos de assinatura ECDSA_SHA_256, ECDSA_SHA_384 e ECDSA_SHA_512.

P: Qualquer chave KMS pode ser exportada para fora do serviço em texto simples? 
Não. Todas as chaves KMS ou a parte privada de uma chave KMS assimétrica não podem ser exportadas em texto simples dos HSMs. Apenas a parte pública de uma chave KMS assimétrica pode ser exportada do console ou chamando a API “GetPublicKey”.

P: As chaves de dados e os pares de chaves de dados podem ser exportados dos HSMs em texto simples?
Sim. As chaves de dados simétricas podem ser exportadas usando a API GenerateDataKey ou a API GenerateDataKeyWithoutPlaintext. Além disso, as partes privada e pública dos pares de chaves de dados assimétricas podem ser exportadas do AWS KMS usando a API GenerateDataKeyPair ou a API GenerateDataKeypairWithoutPlaintext.

P: Como as chaves de dados e os pares de chaves de dados são protegidos para armazenamento fora do serviço?
A chave de dados simétrica ou a parte privada da chave de dados assimétrica é criptografada na chave KMS simétrica definida por você ao solicitar o AWS KMS para gerar a chave de dados.

P: Como uso a parte pública de uma chave KMS assimétrica?
A parte pública do material da chave assimétrica é gerada no AWS KMS e pode ser usada para verificação de assinatura digital chamando a API “Verify” ou para criptografia de chave pública chamando a API “Encrypt”. A chave pública também pode ser usada fora do AWS KMS para verificação ou criptografia. Você pode chamar a API GetPublicKey para recuperar a parte pública da chave KMS assimétrica.

P: Qual é o limite de tamanho dos dados enviados ao AWS KMS para operações assimétricas? 
O limite de tamanho é de 4 KB. Se você deseja assinar digitalmente dados maiores que 4 KB, tem a opção de criar um resumo da mensagem e enviá-los ao AWS KMS. A assinatura digital é criada sobre o resumo dos dados e retornada. Você especifica se está enviando a mensagem completa ou um resumo da mensagem como parâmetro na solicitação de API Sign. Quaisquer dados enviados às APIs Encrypt, Decrypt ou Re-Encrypt que exigem o uso de operações assimétricas também devem ser menores que 4 KB.

P: Como posso distinguir entre as chaves KMS assimétricas ou simétricas que criei?
No console, cada chave terá um novo campo chamado Key Type. Ele terá o valor Asymmetric Key ou Symmetric Key para indicar o tipo de chave. A API DescribeKey retornará um campo KeyUsage que especificará se a chave pode ser usada para assinar, gerar HMACs ou criptografar.

P: A rotação automática de chaves KMS assimétrica ou HMAC é permitida? 
Não há suporte para a mudança de chave automática de chaves KMS assimétricas ou HMAC. Você pode fazer a rotação manual delas criando uma nova chave KMS e mapeando um alias de chave existente da chave KMS antiga para a nova chave KMS.

P: Uma única chave KMS assimétrica pode ser usada para criptografia e assinatura? 
Não. Ao criar uma chave KMS, você deve especificar se a chave pode ser usada para operações de assinatura ou criptografia. Um tipo de chave RSA pode ser usado para operações de assinatura ou criptografia, mas não ambas. Os tipos de chave de curva elíptica podem ser usados apenas para operações de assinatura.

P: Existem limites de serviço relacionados a chaves assimétricas? 
Sim. Os limites de taxa de solicitação por segundo são diferentes para diferentes tipos de chave e algoritmos. Consulte a página limites do AWS KMS para obter detalhes.

P: As chaves assimétricas funcionam com os armazenamentos de chave personalizada do AWS KMS ou com o recurso Import Key? 
Não. Você não pode usar a funcionalidade de armazenamento de chave personalizada com chaves assimétricas nem importar chaves assimétricas para o AWS KMS.

P: Posso usar chaves KMS assimétricas para aplicações de assinatura digital que exigem certificados digitais?
Não diretamente. O AWS KMS não armazena nem associa certificados digitais a chaves KMS assimétricas criadas por ele. Você pode optar por fazer com que uma autoridade de certificação, como o AWS Private Certificate Authority, emita um certificado para a parte pública da sua chave do KMS assimétrica. Isso permitirá que as entidades que estão consumindo sua chave pública verifiquem se a chave pública realmente pertence a você.

P: Para quais cenários de uso devo usar o AWS Private Certificate Authortity, em vez do AWS KMS?
O principal motivo para usar o serviço AWS Private CA é fornecer uma infraestrutura de chave pública (PKI) com o objetivo de identificar entidades e proteger conexões de rede. A PKI fornece processos e mecanismos, principalmente usando certificados X.509, para colocar a estrutura em torno das operações criptográficas de chave pública. Os certificados fornecem uma associação entre uma identidade e uma chave pública. O processo de certificação no qual uma autoridade de certificação emite um certificado permite que a autoridade de certificação confiável afirme a identidade de outra entidade assinando um certificado. A PKI fornece identidade, confiança distribuída, gerenciamento do ciclo de vida das chaves e status do certificado adquirido por meio de revogação. Essas funções adicionam processos e infraestrutura importantes às chaves e aos algoritmos criptográficos assimétricos subjacentes fornecidos pelo AWS KMS.

O AWS Private CA ajuda você a emitir certificados para identificar servidores da Web e de aplicações, malhas de serviço, usuários de VPN, endpoints internos da API e dispositivos AWS IoT Core. Os certificados ajudam a estabelecer a identidade desses recursos e criar canais de comunicação TLS/SSL criptografados. Se você estiver pensando em usar chaves assimétricas para terminação TLS em servidores da Web ou de aplicações, balanceadores de carga elásticos, endpoints de gateway da API, instâncias ou contêineres do Amazon Elastic Compute Cloud (EC2), considere usar AWS Private CA para emitir certificados e fornecer uma infraestrutura de PKI.

Por outro lado, o AWS KMS ajuda a gerar, gerenciar e usar chaves assimétricas para operações de assinatura e criptografia digital que não exigem certificados. Embora os certificados possam permitir a verificação da identidade do remetente e do destinatário entre partes não confiáveis, o tipo de operações assimétricas brutas oferecidas pelo AWS KMS geralmente são úteis quando você possui outros mecanismos para provar a identidade ou não precisa provar isso para obter o benefício de segurança você deseja.

P: Posso usar os provedores de API criptográfica das minhas aplicações, como OpenSSL, JCE, Bouncy Castle ou CNG, com o AWS KMS?
Não há integração nativa oferecida pelo AWS KMS para outros fornecedores de API criptográfica. Você deve usar as APIs do AWS KMS diretamente ou por meio do AWS SDK para integrar os recursos de assinatura e criptografia às suas aplicações.

P: O AWS KMS oferece um SLA (Acordo de Nível de Serviço)?
Sim. O SLA do AWS KMS oferecerá um crédito de serviço se a porcentagem mensal de tempo de disponibilidade ficar abaixo do nosso compromisso de serviço em qualquer ciclo de faturamento.

Segurança

P: Quem pode usar e gerenciar minhas chaves no AWS KMS?
O AWS KMS recomenda políticas de uso e gerenciamento que você define. Você pode escolher se permite que usuários e funções do IAM da sua conta ou de outras contas usem e gerenciem suas chaves.

P: Como a AWS protege as chaves KMS criadas por mim?
O AWS KMS foi projetado para que ninguém, nem mesmo os funcionários da AWS, possam recuperar as chaves KMS em texto simples do serviço. O AWS KMS usa módulos de segurança de hardware (HSMs) validados ou em processo de validação pelo FIPS 140-2 para proteger a confidencialidade e a integridade das chaves. Suas chaves do KMS de texto simples nunca saem dos HSMs, nunca são gravadas em disco e são usadas exclusivamente na memória volátil dos HSMs pelo tempo necessário para executar as operações criptográficas solicitadas. As atualizações de software nos hosts do serviço e no firmware do HSM do AWS KMS são controladas por um controle de acesso com vários participantes, auditado e revisado por um grupo independente dentro da Amazon, além de um laboratório com certificação NIST em conformidade com a FIPS 140-2.auditoria.

Mais detalhes sobre esses controles de segurança podem ser encontrados no tech paper Detalhes criptográficos do AWS KMS. Além disso, você pode examinar o certificado FIPS 140-2 do HSM do AWS KMS e a política de segurança associada para obter mais detalhes sobre como o HSM do AWS KMS cumpre os requisitos de segurança do FIPS 140-2. Além disso, você pode fazer download de uma cópia do relatório de Service Organization Controls (SOC – Controle de organização de serviços) disponível no AWS Artifact para saber mais sobre os controles de segurança usados pelo serviço para proteger suas chaves KMS.

P: Como faço para migrar minhas chaves do AWS KMS existentes para usar HSMs validados pelo FIPS 140-2?
Todas as chaves do AWS KMS, independentemente da data de criação ou origem, são protegidas automaticamente por meio de HSMs que foram validados no FIPS 140-2 ou que estão em processo de validação. Nenhuma ação é necessária de sua parte para usar os HSMs validados pelo FIPS 140-2.

P: Quais regiões da AWS têm HSMs validados pelo FIPS 140-2?
Os HSMs validados pelo FIPS 140-2 estão disponíveis em todas as regiões da AWS nas quais o AWS KMS é oferecido.

P: Qual é a diferença entre os endpoints validados pelo FIPS 140-2 e os HSMs validados pelo FIPS 140-2 no AWS KMS?
O AWS KMS é um serviço em duas camadas. Os endpoints da API recebem solicitações de clientes por uma conexão HTTPS usando apenas pacotes de cifras TLS que oferecem suporte à Perfect Forward Secrecy. Esses endpoints de API autenticam e autorizam a solicitação antes de enviá-la para uma operação criptográfica nos HSMs do AWS KMS ou seu cluster do AWS CloudHSM se você estiver usando o recurso de armazenamento de chave personalizada.

P: Como faço solicitações de API para o AWS KMS usando endpoints validados pelo FIPS 140-2?
Você configura as aplicações para conexão aos endpoints HTTPS regionais únicos validados pelo FIPS 140-2. Os endpoints HTTPS validados pelo FIPS 140-2 do AWS KMS usam o OpenSSL FIPS Object Module. Você pode consultar a política de segurança do módulo OpenSSL aqui. Os endpoints de API validados pelo FIPS 140-2 estão disponíveis em todas as regiões comerciais onde o AWS KMS é oferecido.

P: Posso usar o AWS KMS como ajuda para cumprir os requisitos de criptografia e gerenciamento de chaves do Payment Card Industry Data Security Standard (PCI DSS – Padrão de segurança de dados do setor de cartões de pagamento) (PCI DSS 3.2.1)?
Sim. O AWS KMS foi validado por dispor de funcionalidade e controles de segurança para ajudar a cumprir os requisitos de criptografia e gerenciamento de chaves (mencionados principalmente nas seções 3.5 e 3.6) do PCI DSS 3.2.1.

Para obter mais detalhes sobre os serviços em conformidade com o PCI DSS na AWS, consulte as perguntas frequentes sobre o PCI DSS.

P: Como o AWS KMS protege as chaves de dados que eu exporto e uso em meu aplicativo?
Você pode solicitar que o AWS KMS gere chaves de dados e as retorne para uso em seu próprio aplicativo. As chaves de dados são criptografadas em uma chave raiz que você define no AWS KMS para que possa armazenar com segurança a chave de dados criptografada com seus dados criptografados. Sua chave de dados criptografados (e, portanto, seus dados de origem) podem ser descriptografados somente por usuários com permissões para usar a chave raiz original usada para descriptografar a chave de dados criptografada.

P: Posso exportar uma chave do AWS KMS e usá-la em minhas próprias aplicações?
Não, As chaves do AWS KMS são criadas e usadas apenas no serviço para ajudar a verificar sua segurança, permitir que suas políticas sejam aplicadas de maneira consistente e fornecer um log centralizado do seu uso.

P: Em qual região geográfica minhas chaves estão armazenadas?
Uma chave KMS de região única gerada pelo AWS KMS é armazenada e usada apenas na região em que foi criada. Com as chaves multirregionais AWS KMS, você pode escolher replicar uma chave primária multirregional em várias regiões na mesma partição AWS.

P: Como posso saber quem usou ou alterou a configuração das minhas chaves no AWS KMS?
Os logs no AWS CloudTrail mostrarão todas as solicitações da API do AWS KMS, inclusive solicitações de gerenciamento (como criação, rotação, desabilitação, edições na política) e solicitações criptográficas (como criptografar/descriptografar). Ative o CloudTrail na sua conta para ver esses logs.

P: Como o AWS KMS se compara com o CloudHSM?
O CloudHSM disponibiliza um cluster de HSM de locatário único validados pelo FIPS 140-2 nível 3 geral em uma Amazon Virtual Private Cloud (VPC) para armazenar e usar suas chaves. Você tem controle exclusivo sobre como as chaves são usadas por meio de um mecanismo de autenticação independente da AWS. Você interage com as chaves no seu cluster do CloudHSM de forma semelhante à interação com os aplicativos executados no Amazon EC2. O CloudHSM pode ser usado para oferecer suporte a diversos casos de uso, como gerenciamento de direitos digitais (DRM), infraestrutura de chaves públicas (PKI), assinatura de documentos e funções criptográficas usando interfaces PKCS#11, Java JCE ou Microsoft CNG.

O AWS KMS ajuda você a criar e controlar as chaves de criptografia usadas por aplicações e serviços da AWS compatíveis em várias regiões em todo o mundo usando um único console. O serviço usa um HSM FIPS que foi validado no FIPS 140-2 ou está em processo de validação para proteger a segurança de suas chaves. O gerenciamento centralizado de todas as suas chaves no AWS KMS ajuda você a decidir quem pode usar suas chaves, em que condições elas são usadas, quando elas são mudadas e quem pode gerenciá-las. A integração do AWS KMS com o CloudTrail oferece a capacidade de auditar o uso de suas chaves para apoiar suas atividades regulatórias e de conformidade. Você interage com o AWS KMS nas aplicações usando o AWS SDK para chamar diretamente as APIs de serviço, via outros serviços da AWS integrados ao AWS KMS ou usando o SDK de criptografia da AWS se quiser realizar criptografia do lado do cliente.

Faturamento

P: Como será a cobrança e o faturamento relacionados ao uso que eu fizer do AWS KMS?
Com o AWS KMS, você paga somente por aquilo que usa e não há tarifa mínima. Não há taxas de instalação ou compromissos para começar a usar o serviço. No final do mês, seu cartão de crédito receberá a cobrança automática referente ao uso daquele mês.

Você será cobrado por todas as chaves KMS que criar e por todas as solicitações de API feitas ao serviço mensalmente que ultrapassarem o nível gratuito.

Para obter informações sobre a definição de preço atual, visite a página de definição de preço do AWS KMS.

P: Há um nível gratuito?
Sim. Com o nível gratuito da AWS, você pode começar a usar o AWS KMS gratuitamente* em todas as regiões. As chaves do AWS KMS gerenciadas pela AWS criadas em seu nome pelos serviços da AWS são gratuitas para armazenar na sua conta. Há um nível gratuito para uso que fornece um número gratuito de solicitações para o serviço por mês. Para obter informações atualizadas sobre definição de preço, inclusive o nível gratuito, visite a página de preço do AWS KMS.

*As solicitações de API que envolvem chaves KMS assimétricas e as solicitações de API para as APIs GenerateDataKeyPair e GenerateDataKeyPairWithoutPlaintext são excluídas do nível gratuito.

P: Os preços incluem impostos?
Salvo indicação em contrário, nossos preços excluem impostos e taxas aplicáveis, incluindo o IVA e o imposto sobre vendas aplicável. Para clientes com endereço de pagamento no Japão, o uso da AWS está sujeito ao imposto sobre consumo japonês. Você pode saber mais aqui.

Integração com o CloudHSM

P: Como posso conectar o AWS KMS ao CloudHSM?
O recurso de armazenamento de chave personalizada do AWS KMS combina os controles fornecidos pelo CloudHSM com a integração e a facilidade de uso do AWS KMS. Você pode configurar seu próprio cluster do CloudHSM e autorizar o AWS KMS a usá-lo como armazenamento de chave dedicada para suas chaves, em vez do armazenamento padrão de chave do AWS KMS. Quando você cria chaves no AWS KMS, pode escolher gerar o material da chave em seu cluster do CloudHSM. As chaves KMS geradas em seu armazenamento de chave personalizada nunca deixam os HSMs no cluster do CloudHSM em texto simples e todas as operações do AWS KMS que usam essas chaves são realizadas apenas nos seus HSMs. Em todos os outros aspectos, as chaves KMS em seu armazenamento de chave personalizada são consistentes com outras chaves do AWS KMS.

Encontre orientação adicional para decidir se o uso de um armazenamento de chave personalizado é ideal para você neste blog.

P: Por que eu precisaria usar um CloudHSM?
Como você controla seu cluster do CloudHSM, tem a opção de gerenciar o ciclo de vida das suas chaves KMS independentemente do AWS KMS. Há quatro motivos pelos quais você pode achar útil usar o armazenamento de chave personalizada. Primeiro, você deve ter chaves que precisam de proteção explícita em um HSM monolocatário ou em um HSM sobre o qual você tem controle direto. Segundo, você pode ter chaves que precisam ser armazenadas em um HSM validado para o nível 3 geral FIPS 140-2 (HSMs usados no armazenamento de chave padrão do AWS KMS são validados ou estão no processo de validação para nível 2 com nível 3 em várias categorias). Terceiro, você pode precisar ter capacidade de remover imediatamente o material da chave do AWS KMS e comprovar que o fez por meios independentes. Finalmente, você pode ter a necessidade de conseguir auditar todo o uso de suas chaves independentemente do AWS KMS ou do CloudTrail.

P: Como o CloudHSM muda a forma de gerenciamento das chaves KMS?
Há duas diferenças ao gerenciar chaves em um armazenamento de chave personalizada respaldado pelo CloudHSM em comparação com o armazenamento de chave padrão do AWS KMS. Você não pode importar material de chave em seu armazenamento de chave personalizada e não pode fazer o AWS KMS executar a rotação automática das chaves. Em todos os outros aspectos, inclusive o tipo de chaves que podem ser geradas, a forma como as chaves usam aliases e como as políticas são definidas, as chaves armazenadas em um armazenamento de chave personalizada são gerenciadas da mesma forma como qualquer outra chave KMS gerenciada pelo cliente do AWS KMS.

P: Posso usar um armazenamento do CloudHSM para armazenar uma chave KMS gerenciada pela AWS?
Não, apenas chaves KMS gerenciadas pelo gerente podem ser armazenadas e gerenciadas em um armazenamento de chave personalizada do AWS KMS respaldado pelo CloudHSM. As chaves KMS gerenciadas pela AWS criadas em seu nome por outros serviços da AWS para criptografar seus dados são sempre geradas e armazenadas no armazenamento padrão de chave do AWS KMS.

P: A integração com o CloudHSM afeta o funcionamento das APIs de criptografia no KMS?
Não, as solicitações de API para o AWS KMS usar uma chave KMS para criptografar e descriptografar dados são tratadas da mesma forma. Os processos de autenticação e autorização operam independentemente de onde a chave está armazenada. Toda a atividade que utiliza uma chave em um armazenamento de chave personalizada respaldado pelo CloudHSM também é registrado no CloudTrail da mesma forma. No entanto, as operações criptográficas reais acontecem exclusivamente no armazenamento de chave personalizada ou no armazenamento de chave padrão do AWS KMS.

P: Como posso auditar o uso das chaves em um armazenamento de chave personalizada?
Além da atividade registrada no CloudTrail pelo AWS KMS, o uso de um armazenamento de chave personalizada oferece três mecanismos adicionais de auditoria. Primeiro, o CloudHSM também registra todas as atividades da API no CloudTrail, como a criação de clusters e a adição ou remoção de HSMs. Segundo, cada cluster também captura seus próprios logs locais para registrar atividade do usuário e de gerenciamento de chave. Terceiro, cada instância do CloudHSM copia os logs de atividades do usuário local e de gerenciamento de chave para o AWS CloudWatch.

P: Qual é o impacto de usar o CloudHSM sobre a disponibilidade das chaves?
O uso de um armazenamento de chave personalizada do AWS KMS ajuda você a ser o responsável por verificar se as chaves estão disponíveis para uso do AWS KMS. Erros na configuração do CloudHSM e exclusão acidental do material de chave em um cluster do CloudHSM podem afetar a disponibilidade. O número de HSMs usados e sua escolha de zonas de disponibilidade (AZs) também podem afetar a resiliência do seu cluster. Como em qualquer sistema de gerenciamento, é importante compreender como a disponibilidade das chaves pode afetar a recuperação de seus dados criptografados.

P: Quais são as limitações de performance associadas com o CloudHSM?
A taxa na qual as chaves armazenadas no armazenamento de chave personalizada do AWS KMS respaldado pelo CloudHSM podem ser usadas por meio de chamadas de API do AWS KMS é menor do que para as chaves armazenadas no armazenamento de chave padrão do AWS KMS. Consulte o Guia do desenvolvedor do AWS KMS para ver os limites de performance atuais.

P: Quais são os custos associados ao uso de um armazenamento de chave personalizada respaldado pelo CloudHSM?
Os preços do AWS KMS não são afetados pelo uso de um armazenamento de chave personalizada. No entanto, cada armazenamento de chave personalizada exige que você mantenha um cluster do AWS CloudHSM que contenha pelo menos dois HSMs. Esses HSMs são cobrados conforme os preços padrão do AWS CloudHSM. Não há cobranças adicionais para usar um armazenamento de chave personalizada.

P: Que habilidades e recursos adicionais são necessários para configurar o CloudHSM?
Os usuários do AWS KMS que quiserem usar um armazenamento de chave personalizada precisarão configurar um cluster do AWS CloudHSM, adicionar HSMs, gerenciar usuários dos HSMs e, possivelmente, restaurar HSMs para backup. Essas são tarefas que precisam de segurança, e você pode verificar se tem os recursos apropriados e se os controles organizacionais estão disponíveis.

P: Posso importar chaves para um armazenamento de chave personalizada?
Não, não há suporte para a capacidade de importar seu próprio material de chave para um armazenamento de chave personalizada do AWS KMS. As chaves armazenadas em um armazenamento de chave personalizada só podem ser geradas nos HSMs que formam seu cluster do CloudHSM.

P: Posso migrar chaves entre o armazenamento de chave padrão do AWS KMS e um armazenamento de chave personalizada?
Não, atualmente não há suporte para a capacidade de migrar chaves entre os diferentes tipos de armazenamento de chave do AWS KMS. Todas as chaves devem ser criadas no armazenamento de chave onde serão usadas, exceto nos casos em que você importar seu próprio material de chave no armazenamento de chave padrão do AWS KMS.

P: Posso fazer a rotação das chaves armazenadas em um armazenamento de chave personalizada?
Não há suporte para a capacidade de fazer rotação automática do material de chave em um armazenamento de chave personalizada do AWS KMS. A rotação de chave deve ser realizada manualmente criando novas chaves e remapeando os aliases de chave do AWS KMS usados para o código da aplicação para usar as novas chaves para futuras operações de criptografia.

P: Posso usar meu cluster do CloudHSM para outras aplicações?
Sim, o AWS KMS não exige acesso exclusivo ao seu cluster do CloudHSM. Se você já tem um cluster, pode usá-lo como armazenamento de chave personalizada e continuar a usar para suas outras aplicações. No entanto, se o seu cluster estiver suportando cargas de trabalho altas e que não são do AWS KMS, você pode ter uma taxa de transferência reduzida para operações que usam chaves KMS em seu armazenamento de chave personalizada. Da mesma forma, uma alta taxa de solicitação do AWS KMS para seu armazenamento de chave personalizada pode afetar suas outras aplicações.

P: Como posso saber mais sobre o AWS CloudHSM?
Visite o site do AWS CloudHSM para consultar uma visão geral do serviço. Para obter mais detalhes sobre configuração e uso do serviço, leia o Guia do usuário do AWS CloudHSM.  

Armazenamento de chave externo

P: O que é um armazenamento de chaves externo (XKS)?
Um armazenamento de chave externo é um armazenamento de chave personalizado respaldado por uma infraestrutura de gerenciamento de chave externa que você possui e gerencia fora da AWS. Todas as operações de criptografia ou descriptografia que usam uma chave KMS em um armazenamento de chave externo são executadas em seu gerenciador de chaves com chaves criptográficas e operações que estão sob seu controle e são fisicamente inacessíveis para a AWS.

P: Por que eu usaria um armazenamento de chaves externo?
O XKS pode ajudar você a cumprir regras ou regulamentos que exigem que as chaves de criptografia sejam armazenadas e usadas fora da AWS sob seu controle.

P: Como o AWS KMS se conecta ao meu gerenciador de chaves externo?
As solicitações para o AWS KMS de serviços integrados da AWS em seu nome ou de suas aplicações são encaminhadas para um componente em sua rede chamado XKS Proxy. O XKS Proxy é uma especificação de API de código aberto que ajuda você e seu fornecedor de gerenciamento de chaves a criar um serviço que aceite essas solicitações e as encaminhe para sua infraestrutura de gerenciamento de chaves para usar suas chaves para criptografia e descriptografia.

P: Quais fornecedores externos são compatíveis com a especificação XKS Proxy?
Thales, Entrust, Salesforce, T-Systems, Atos, Fortanix e HashiCorp começaram a desenvolver soluções que se integram com a especificação XKS Proxy. Para obter informações sobre disponibilidade, preços e como usar soluções desses fornecedores, consulte a documentação disponibilizada por eles. Incentivamos você e seu parceiro de infraestrutura de gerenciamento de chaves a aproveitar a especificação XKS Proxy de código aberto para criar uma solução que atenda às suas necessidades. A especificação da API para XKS Proxy está publicada aqui.

P: Quais recursos do AWS KMS são compatíveis com chaves externas?
As chaves externas são compatíveis as seguintes operações de criptografia simétrica: Encrypt, ReEncrypt, Decrypt e GenerateDataKey.

P: Como o XKS funciona com os serviços da AWS que se integram ao AWS KMS para criptografia de dados?
Você pode usar chaves XKS para criptografar dados em qualquer serviço da AWS que se integre ao AWS KMS usando chaves gerenciadas pelo cliente. Veja uma relação dos serviços compatíveis aqui. Os serviços da AWS chamam a API GenerateDataKey do AWS KMS para solicitar uma chave de dados de texto simples exclusiva para criptografar seus dados. A chave de dados em texto simples é devolvida ao serviço com uma cópia criptografada da chave de dados a ser armazenada com seus dados criptografados. Para produzir a cópia criptografada da chave de dados, a chave de dados em texto simples é primeiro criptografada por uma chave armazenada no AWS KMS exclusiva para sua conta da AWS. Essa chave de dados criptografada é então encaminhada para sua implementação XKS Proxy conectada ao gerenciador de chaves externo para ser criptografada uma segunda vez sob a chave definida por você no gerenciador de chaves externo. A chave de dados duplamente criptografada resultante é retornada na resposta à solicitação da API GenerateDataKey.

P: O que é criptografia dupla e como ela funciona?
A conexão de rede entre o AWS KMS, sua implementação do XKS Proxy e seu gerenciador de chaves externo deve ser protegida com um protocolo de criptografia ponto a ponto como o TLS. No entanto, para proteger seus dados da saída do AWS KMS até chegarem ao gerenciador de chaves externo, o AWS KMS primeiro os criptografa com uma chave KMS gerenciada internamente em sua conta específica para cada chave KMS definida em seu armazenamento de chaves externo. O texto cifrado resultante é encaminhado para o gerenciador de chaves externo, que o criptografa usando a chave contida nele. A criptografia dupla fornece o controle de segurança de que nenhum texto cifrado pode ser descriptografado sem usar o material da chave em seu gerenciador de chaves externo. Ele também oferece o controle de segurança de que o texto cifrado que sai da rede da AWS é criptografado usando os HSMs KMS da AWS com certificação FIPS 140. Como seu gerenciador de chaves externo deve ser usado para descriptografar dados, se você revogar o acesso ao AWS KMS, os dados criptografados subjacentes ficarão inacessíveis.

P: Posso usar chaves XKS em minhas aplicações que implementam criptografia do lado do cliente?
Sim. As chaves XKS também podem ser usadas em suas aplicações ao usar uma solução de criptografia simétrica do lado do cliente com o AWS KMS como provedor de chaves. As soluções de criptografia do lado do cliente de código aberto da AWS, como o SDK de criptografia da AWS, o AWS S3 Encryption Client e o AWS DynamoDB Encryption Client, são compatíveis com XKS.

P: Já uso o AWS KMS com chaves KMS padrão, chaves KMS importadas ou chaves armazenadas em meu cluster CloudHSM. Posso migrar essas chaves KMS para XKS ou criptografar novamente as existentes já criptografadas em chaves XKS?
Todas as chaves XKS devem ser criadas como novas chaves no KMS. Você não pode migrar chaves KMS existentes para chaves XKS hospedadas em seu gerenciador de chaves externo.

Você pode criptografar novamente os dados existentes em chaves XKS recém-geradas, supondo que o serviço da AWS ou sua própria aplicação ofereça suporte a essa ação. Muitos serviços da AWS ajudarão você a copiar um recurso criptografado e designar uma nova chave KMS a ser usada para criptografar a cópia. Você pode configurar a chave XKS no comando COPY fornecido pelo serviço da AWS. Você pode criptografar novamente os dados criptografados do lado do cliente em suas aplicações chamando a API KMS ReEncrypt e configurando a chave XKS.

P: Qual o preço do XKS no KMS?
Como todas as chaves gerenciadas pelo cliente, as chaves XKS custam 1 USD por mês por chave até que sejam excluídas. As solicitações de chaves XKS são cobradas da mesma forma que qualquer outra chave simétrica do AWS KMS. Saiba mais sobre preços na página de preço do AWS KMS.

P: A rotação automática de chaves é possível com as chaves XKS?
Não. A rotação automática de chaves fornecida pelo AWS KMS não é compatível com chaves XKS. Isso ocorre porque o AWS KMS não pode gerar um novo material de chave em seu nome, pois você controla o gerenciador de chaves externo que executa a geração e o armazenamento de chaves. Para rotacionar uma chave XKS no AWS KMS, você precisa criar uma nova chave XKS em seu gerenciador de chaves externo e configurar essa chave para uma nova chave KMS criada usando o AWS KMS. Em seguida, você pode configurar seus serviços da AWS ou aplicações de criptografia do lado do cliente para usar a nova chave XKS para futuras operações de criptografia. Contanto que as chaves XKS anteriores usadas para criar textos cifrados ainda estejam habilitadas no AWS KMS e disponíveis em seu gerenciador de chaves externo, você poderá fazer a solicitação de API Decrypt sob essas chaves XKS com êxito.

P: Se eu desabilitar, bloquear ou excluir chaves no armazenamento de chaves externo, onde meus dados ainda estarão acessíveis na nuvem?
Para serviços que não armazenam chaves em cache, a próxima chamada de API usando essa chave XKS KMS falhará. Alguns serviços implementam cache de chave de dados ou outros esquemas de derivação de chave para performance, latência ou gerenciamento de custos KMS. O armazenamento em cache dessas chaves pode variar de 5 minutos a 24 horas. Qualquer recurso protegido que esteja em uso no momento (como banco de dados RDS ou instância do EC2) responderá de maneira diferente depois que você negar o acesso à chave. Consulte a documentação do serviço da AWS relevante para obter detalhes.

P: Como autentico solicitações do XKS Proxy do AWS KMS para meu gerenciador de chaves externo?
Para autenticar para seu proxy de armazenamento de chaves externo, o AWS KMS assina todas as solicitações para o proxy usando credenciais AWS SigV4, que você configura em seu proxy e fornece ao KMS. O AWS KMS autentica seu proxy de armazenamento de chaves externo usando certificados TLS do lado do servidor. Ou seu proxy pode habilitar TLS mútuo para garantia adicional de que ele só aceita solicitações do AWS KMS.

P: Que tipos de política de autorização posso criar para chaves XKS?
Todos os mecanismos de autorização usuais do AWS KMS (políticas do IAM, políticas de chave do AWS KMS, concessões) que você usa com outras chaves KMS funcionam da mesma maneira para chaves KMS em armazenamentos de chaves externos.

Além disso, você e/ou seus parceiros de gerenciamento de chaves externo têm a capacidade de implementar uma camada secundária de controles de autorização com base nos metadados de solicitação incluídos em cada solicitação enviada do AWS KMS ao XKS Proxy. Esses metadados incluem o usuário/função da AWS de chamada, o ARN da chave KMS e a API KMS específica que foi solicitada. Isso permite que você aplique uma política de autorização refinada no uso de uma chave em seu gerenciador de chaves externo, em vez de simplesmente confiar em qualquer solicitação do AWS KMS. A escolha da aplicação da política usando esses atributos de solicitação é deixada para suas implementações individuais do XKS Proxy.

P: Como o log e a auditoria funcionam com o XKS?
O ID exclusivo gerado para cada solicitação que chega ao AWS KMS envolvendo chaves XKS também é encaminhado para o XKS Proxy. Você pode usar os dados de log (se disponíveis) do XKS Proxy ou o gerenciador de chaves externo para reconciliar as solicitações feitas ao AWS KMS com aquelas feitas ao seu gerenciador de chaves externo. Esse recurso permite verificar se todas as solicitações de uso de chaves em seu gerenciador de chaves externo foram originadas de uma chamada iniciada por você para o AWS KMS diretamente ou por meio de um serviço integrado da AWS.

P: Quais riscos eu aceito se escolher XKS em vez de usar chaves KMS padrão geradas e armazenadas no AWS KMS?
Risco de disponibilidade: 
Você é responsável pela disponibilidade do XKS Proxy e do material de chave externo. Este sistema deve ter alta disponibilidade para verificar que sempre que você precisar de uma chave XKS para descriptografar um recurso criptografado ou criptografar novos dados, o AWS KMS pode se conectar com êxito ao XKS Proxy, que, por sua vez, pode se conectar ao gerenciador de chaves externo para concluir a operação criptográfica necessária usando a chave. Por exemplo, suponha que você criptografou um volume EBS usando uma chave XKS e agora deseja iniciar uma instância do EC2 e anexar esse volume criptografado. O serviço EC2 passará a chave de dados criptografada exclusiva desse volume para o AWS KMS para que ela seja descriptografada, para que possa ser provisionada na memória volátil do cartão Nitro para descriptografar e criptografar operações de leitura/gravação no volume. Se o XKS Proxy ou gerenciador de chaves externo não estiver disponível para descriptografar a chave de volume, a inicialização de sua instância do EC2 falhará. Nesses tipos de falha, o AWS KMS retorna um KMSInvalidStateException, informando que o XKS Proxy não está disponível. Agora, cabe a você determinar por que o XKS Proxy e o gerenciador de chaves estão indisponíveis com base nas mensagens de erro fornecidas pelo KMS.

Risco de durabilidade: como as chaves estão sob seu controle em sistemas fora da AWS, você é o único responsável pela durabilidade de todas as chaves externas que cria. Se a chave externa de uma chave XKS for permanentemente perdida ou excluída, todo o texto cifrado criptografado sob a chave XKS se tornará irrecuperável.

Risco de performance: você é responsável por verificar se o XKS Proxy e a infraestrutura externa de armazenamento de chaves foram projetados com características de desempenho suficientes para atender às suas necessidades. Como cada solicitação usando chaves XKS requer uma conexão com seu armazenamento de chaves externo, seu XKS Proxy poderá se tornar um gargalo se a taxa de solicitação do AWS KMS exceder a taxa de solicitação que o XKS Proxy ou o gerenciador de chaves externo pode suportar. Além disso, se o tempo decorrido de uma única solicitação (incluindo uma nova tentativa) do AWS KMS para o XKS Proxy for superior a 500 ms*, o AWS KMS retornará um erro 400 para o cliente autor da chamada, comunicando efetivamente que a chave XKS não está disponível e que o cliente não deve tentar novamente. Esse comportamento é projetado para minimizar o risco de serviços upstream da AWS ou de suas próprias aplicações precisarem reagir à latência excessiva esporádica causada por problemas de conectividade com a infraestrutura.

*O AWS KMS fará uma única tentativa para qualquer solicitação que leve 250 ms. Se a solicitação de nova tentativa também demorar mais de 250 ms, um erro 400 será retornado ao cliente autor da chamada.

P: Quais são os impactos da disponibilidade de nível de serviço (SLA) do uso do armazenamento de chaves externo?
Como a AWS não pode controlar a disponibilidade de ponta a ponta da conexão entre o AWS KMS e sua infraestrutura externa de armazenamento de chaves, excluímos especificamente o uso de XKS em nossa SLA pública de disponibilidade do KMS. Além disso, as chaves XKS são excluídas da SLA de disponibilidade para qualquer serviço da AWS no qual uma chave XKS é configurada por você para criptografar dados no serviço.

Saiba mais sobre preços

Veja exemplos de definição de preço e calcule os seus custos.

Saiba mais 
Cadastre-se para obter uma conta gratuita

Obtenha acesso instantâneo ao nível gratuito da AWS. 

Cadastrar-se 
Comece a criar no console

Comece a criar com o AWS Key Management Service no Console AWS.

Fazer login