O que é o AWS Wavelength?

O AWS Wavelength combina a largura de banda alta e a latência ultrabaixa de redes 5G aos serviços de armazenamento e computação da AWS para que desenvolvedores possam inovar e desenvolver uma nova classe de aplicações. As zonas Wavelength estão disponíveis em colaboração com a Verizon, nos Estados Unidos, a KDDI, no Japão, a SK Telecom, na Coreia do Sul, a Vodafone, no Reino Unido e na Alemanha, e a Bell, no Canadá.

O que é uma zona Wavelength?

As zonas Wavelength são implantações de infraestrutura da AWS que incorporam serviços de computação e armazenamento da AWS aos datacenters dos provedores de telecomunicações na borda da rede 5G, para que o tráfego de aplicações alcance os servidores de aplicações em execução nas zonas Wavelength sem sair da rede dos provedores móveis. Isso evita a latência resultante de vários saltos na Internet e permite que os clientes aproveitem ao máximo as redes 5G. As zonas Wavelength expandem a AWS para a borda 5G, proporcionando uma experiência de desenvolvedor consistente entre várias redes 5G ao redor do mundo. As zonas Wavelength também permitem que os desenvolvedores construam a nova geração de aplicações de latência ultrabaixa usando os mesmos produtos da AWS, APIs, ferramentas e funcionalidades que já usam no momento.

Quem deve usar o AWS Wavelength?

Você deve usar o AWS Wavelength quando precisar implantar aplicações de alta performance acessadas por usuários finais de dispositivos móveis e dispositivos que exijam latência de milissegundo de dígito único. Os clientes da AWS que desejam desenvolver aplicações públicas, como transmissão de jogos e serviços de realidade aumentada/virtual (AR/VR), podem usar o Wavelength para alcançar usuários finais com conexões de milissegundos, otimizando a experiência do usuário e a performance das aplicações.

Os clientes corporativos da AWS podem usar o Wavelength para fornecer soluções de baixa latência para casos de uso, como Internet das Coisas (IoT), produção de conteúdo ao vivo e automação industrial. Os clientes com necessidades de processamento de dados de borda, como reconhecimento de imagem e vídeo, inferência, agregação de dados e análise responsiva, podem usar o Wavelength para executar operações e processamento de baixa latência exatamente onde seus dados são gerados. Isso reduz a necessidade de mover grandes quantidades de dados para serem processados em locais centralizados.

Por que devo usar o AWS Wavelength?

O AWS Wavelength permite ir do dispositivo na rede 5G aos recursos da sua aplicação na Nuvem AWS com o menor número de saltos de rede, pois a computação e o armazenamento são hospedados diretamente nas redes 5G dos provedores de telecomunicações. Isso reduz a latência ocasionada pela congestão de rede ou encaminhamentos mais longos, o que seria exigido para acessar recursos de aplicações fora da rede 5G.

Isso permite novas classes de latência de aplicações sensíveis à latência e computação intensiva. Por exemplo, uma frota de carros autônomos interagindo com sensores de vias para prevenir colisões, robôs industriais inteligentes avaliando e reagindo a condições de fábricas em ambientes perigosos de fabricação, ou varejistas oferecendo promoções personalizadas para celulares de consumidores em tempo real ao passarem por exibições de produtos.

O Wavelength leva o poder da AWS para a borda de rede para habilitar casos de uso sensíveis à latência que exigem respostas quase em tempo real. O processamento na borda de rede pode ajudar a evitar a transmissão de grandes volumes de dados pela infraestrutura do provedor de rede, assim como o descarregamento do processamento de hardware de dispositivos móveis.

Como devo avaliar quando usar o AWS Wavelength, AWS Local Zones ou AWS Outposts para aplicações que exigem baixa latência ou processamento de dados local?

A AWS ajuda os clientes a oferecer uma experiência consistente para oferecer suporte a aplicações que apresentam requisitos de processamento de baixa latência ou dados locais onde quer que sejam implantadas.

O AWS Wavelength foi projetado para fornecer aplicações de latência ultrabaixa para dispositivos 5G, ampliando a infraestrutura, serviços, APIs e ferramentas da AWS para redes 5G. O Wavelength incorpora armazenamento e computação às redes 5G dos provedores de telecomunicações para ajudar os desenvolvedores a criar novas aplicações para os usuários finais de 5G que precisam de latência de milissegundo de dígito único, como dispositivos de IoT, transmissão de jogos, veículos autônomos e produção de conteúdo ao vivo.

O AWS Local Zones é um novo tipo de infraestrutura da AWS projetada para executar workloads que exigem latência de milissegundo de dígito único em mais locais, incluindo aplicações de desktop virtual de renderização de vídeo e uso intenso de gráficos. Nem todo cliente deseja operar seu próprio datacenter on-premises, mas alguns podem querer se livrar totalmente do seu datacenter local. As zonas locais permitem que os clientes aproveitem todos os benefícios da execução de recursos de computação e armazenamento mais próximos dos usuários finais, sem a necessidade de ter e operar sua própria infraestrutura de datacenter.

O AWS Outposts foi projetado para workloads que precisam permanecer on-premises devido a requisitos de latência, mas em circunstâncias em que clientes querem que as workloads on-premises sejam executadas sem problemas com suas workloads da AWS. O AWS Outposts consiste em racks de computação e armazenamento totalmente gerenciados e configuráveis, desenvolvidos com hardware desenvolvido pela AWS para que os clientes possam executar tarefas de computação e armazenamento on-premises se conectando facilmente à grande variedade de serviços de nuvem da AWS.

Quais são os exemplos de workloads do AWS Wavelength?

Aplicações interativas emergentes, como transmissão de jogos, transmissão de vídeos e eventos ao vivo e inferência de vídeo de machine learning (ML). Essas workloads exigem tarefas de computação e armazenamento perto da borda para garantir latência ultrabaixa para usuários finais e dispositivos que se conectem por de redes móveis. Além disso, casos de uso como automação industrial, cidades inteligentes, IoT e veículos autônomos exigem que o processamento e recuperação de dados ocorram perto da borda para atender aos requisitos de performance das aplicações. Todos esses casos de uso podem se beneficiar com o AWS Wavelength e as zonas Wavelength.

Como começo a usar o AWS Wavelength?

As zonas Wavelength são extensões de uma região da AWS, permitindo que você use as mesmas ferramentas e funcionalidades da AWS que já utiliza, minimizando a necessidade de reprojetar a sua aplicação para reduzir a latência. Se você tiver uma aplicação existente, precisará apenas selecionar a sua Amazon Virtual Private Cloud (VPC) no console da VPC. No menu Actions (Ações), escolha a criação de uma sub-rede em uma zona Wavelength. Por padrão, o assistente de gateway de operadora habilita zonas Wavelength para todas as operadoras e localidades disponíveis na região, ou você pode escolher algumas opções específicas. O assistente ajuda você a configurar sub-redes para cada zona Wavelength. Você pode iniciar instâncias do Amazon Elastic Compute Cloud (EC2) nas novas sub-redes e executar aplicações em contêineres no Amazon Elastic Container Service (ECS) e Amazon Elastic Kubernetes Service (EKS). Se você não tiver uma VPC, a maneira mais fácil de começar é selecionar o assistente Create VPC (Criar VPC) no console da VPC.

Quais produtos da AWS estão disponíveis no AWS Wavelength?

Você pode criar instâncias do Amazon EC2, volumes do Amazon Elastic Block Store (EBS) e sub-redes e gateways de operadora da Amazon VPC em zonas Wavelength. Você também pode usar serviços que se orquestram ou funcionam com o EC2, o EBS e a VPC. Isso inclui o Amazon EC2 Auto Scaling, clusters do Amazon EKS, clusters do Amazon ECS, Amazon EC2 Systems Manager, Amazon CloudWatch, AWS CloudTrail e AWS CloudFormation. Os serviços oferecidos no Wavelength são parte de uma VPC conectada por meio de uma conexão confiável de alta largura de banda a uma região da AWS para facilitar o acesso a serviços, incluindo o Amazon DynamoDB e o Amazon Relational Database Service (RDS).

Posso reservar capacidade para o Amazon EC2 em uma zona Wavelength?

Sim, você também pode usar as Reservas de capacidade sob demanda para reservar capacidade para as suas instâncias do Amazon EC2 em uma zona Wavelength.

Que modelos de preço são aceitos nas zonas Wavelength do Amazon EC2?

Há duas maneiras de pagar por instâncias do Amazon EC2 em zonas Wavelength: sob demanda e Savings Plans.

Quais tipos de instância do Amazon EC2 estão disponíveis?

O Wavelength oferece suporte aos seguintes tipos de instâncias para workloads de borda: t3.medium, t3.xlarge e r5.2xlarge para aplicações que exigem computação de uso geral econômica; g4dn.2xlarge para aplicações que exigem GPUs, como transmissão de jogos e inferência por ML na borda. Todas as instâncias do EC2 são baseadas no EBS. As imagens de máquina da Amazon (AMIs) e os snapshots de volumes do EBS são armazenados na região primária. As instâncias do EC2 só são oferecidas sob demanda. Não é possível comprar instâncias reservadas em uma zona Wavelength.

Posso usar zonas Wavelength para distribuir aplicações para dispositivos 4G/LTE?

Sim. Aplicações executadas em celulares 4G/LTE e dispositivos conectados por redes 4G/LTE podem acessar servidores de aplicações em zonas Wavelength. Tais aplicações também se beneficiam com a infraestrutura de computação colocalizada na rede móvel. 

Como posso ver o meu uso nas zonas Wavelength?

Você pode usar o AWS Cost Explorer para filtrar o uso por zona de disponibilidade, incluindo as zonas Wavelength.

Como posso obter suporte para produtos da AWS em execução no AWS Wavelength?

Crie um caso no AWS Support para obter ajuda com os produtos da AWS em execução em zonas Wavelength.

Confira os recursos do produto
Saiba mais 
Cadastre-se para saber mais
Cadastre-se 
Confira a definição de preço do produto
Saiba mais