Geral

P: Os tamanhos de volume e ID de snapshot do Amazon EBS vão mudar em 2018?

Sim, acesse a página Perguntas frequentes do EC2 para obter mais detalhes.

P: O que acontece com os meus dados quando uma instância do Amazon EC2 termina?

Ao contrário dos dados salvos no armazenamento de instâncias local (que persiste apenas enquanto essa instância está ativa), os dados armazenados em um volume do Amazon EBS podem persistir independentemente da duração da instância. Por isso, recomendamos que você use o armazenamento de instâncias local apenas para dados temporários. Para os dados que exijam um nível mais alto de durabilidade, recomendamos usar os volumes do Amazon EBS ou fazer o backup dos dados no Amazon S3. Se você estiver usando um volume do Amazon EBS como partição-raiz, defina o sinalizador Excluir ao encerrar como “Não” caso queira que o volume do Amazon EBS persista fora da vida da instância.

P: Que tipo de performance posso esperar dos volumes do Amazon EBS?

O Amazon EBS disponibiliza sete tipos de volume: SSD de IOPS provisionadas (io2 Block Express, io2 e io1), SSD de uso geral (gp3 e gp2), HDD otimizado para taxa de transferência (st1) e Cold HDD (sc1). Esses tipos de volume diferem quanto às características de performance e preço, permitindo que você adapte o custo e a performance do armazenamento às necessidades das aplicações. A latência média entre as instâncias do EC2 e o EBS é de um único dígito em milissegundos. Para obter mais informações sobre performance, consulte a página de detalhes sobre o produto do EBS. Para obter mais informações sobre as diretrizes de performance do Amazon EBS, consulte Aumento da performance do EBS.

P: Que volume devo escolher?

O Amazon EBS inclui duas grandes categorias de armazenamento: armazenamento baseado em SSD para cargas de trabalho transacionais (a performance depende principalmente das IOPS, da latência e da durabilidade) e armazenamento sustentado por HDD para cargas de trabalho de taxa de transferência (a performance depende principalmente da taxa de transferência, medida em MB/s). Os volumes baseados em SSD são criados para workloads de bancos de dados transacionais com alto consumo de IOPS, volumes de inicialização e workloads que exigem IOPS elevadas. Os volumes baseados em SSD incluem SSD baseado em IOPS provisionadas (io1 e io2) e SSD de uso geral (gp3 e gp2). O io2 e o io2 Block Express dos volumes de SSD baseado em IOPS provisionadas são projetados para fornecer durabilidade 100X de 99,999%, tornando-os ideais para aplicações essenciais ao negócio que precisam de um tempo de atividade maior. O gp3 é a última geração de volumes SSD de uso geral que oferece equilíbrio entre preço e performance para a maioria das aplicações que não exige alta performance de IOPS ou durabilidade de 99,999%. Os volumes baseados em HDD são criados para workloads com alto consumo da taxa de transferência e de big data, E/S grandes e padrões de E/S sequenciais. Os volumes baseados em HDD incluem Throughput Optimized HDD (ST1) e Cold HDD (SC1).

P: Como o io2 oferece maior durabilidade de volume, ainda devo tirar instantâneos e planejar replicar os volumes do io2 nas zonas de disponibilidade (AZs) para alta durabilidade?

A alta durabilidade de volume, os instantâneos e os volumes de replicação em AZs protegem contra diferentes tipos de falhas, e os clientes podem escolher usar uma, duas ou todas essas abordagens com base em seus requisitos de durabilidade de dados. A maior durabilidade do volume reduz a probabilidade de perder a cópia primária de seus dados. Os instantâneos protegem contra o evento improvável de falha de volume. A replicação de volumes entre AZs protege contra uma falha de nível de AZ e também fornece recuperação mais rápida em caso de falha.

P: Como posso modificar a capacidade, a performance ou o tipo de um volume atual do EBS?

Alterar a configuração de um volume é fácil. O recurso de volumes elásticos permite que você aumente a capacidade, ajuste o desempenho ou altere o tipo de volume com uma única chamada de ILC, chamada de API ou alguns cliques no console.  Para obter mais informações sobre os volumes elásticos, consulte a documentação sobre os volumes elásticos.

P: Os volumes padrão do EBS ainda estão disponíveis?

Os volumes padrão do EBS foram renomeados e agora se chamam volumes magnéticos do EBS. Os volumes existentes não foram alterados em decorrência disso e não há diferenças funcionais na oferta de volume magnético do EBS em comparação com o volume padrão do EBS. O nome dessa oferta foi alterado para evitar confusão com o tipo de volume SSD de uso geral (gp2), que é o nosso tipo de volume padrão recomendado.

P: Os volumes SSD de IOPS provisionadas (io2 Block Express, io2 e io1) estão disponíveis para todos os tipos de instância do Amazon EC2?

Os volumes io1 de SSD de IOPS provisionadas estão disponíveis para todos os tipos de instância do Amazon EC2, ao passo que os volumes io2 de SSD de IOPS provisionadas estão disponíveis em todos os tipos de instância do EC2, com exceção da R5b. Os volumes io2 Block Express estão, atualmente, disponíveis somente em instâncias R5b. Use as instâncias do EC2 otimizadas para EBS para gerar IOPS consistente e previsível nos volumes io2 e io1. As instâncias otimizadas para o EBS disponibilizam taxas de transferência dedicadas entre o Amazon EC2 e o Amazon EBS, com opções entre 62,5 MB/s e 7.500 MB/s, dependendo do tipo de instância usada. Para alcançar o limite de taxa de transferência de 64.000 IOPS e 1.000 MB/s, o volume deve estar conectado a uma instância do EC2 baseada em Nitro System.

Performance

P: Que nível de estabilidade de performance posso esperar dos meus volumes SSD de IOPS provisionadas (io1 e io2)?

Quando vinculados a instâncias otimizadas para o EBS, os volumes Provisioned IOPS SSD (io2 e io1) são projetados para execução dentro de 10% da performance das IOPS provisionadas, 99,9% do tempo em um determinado ano. A performance exata depende dos requisitos de E/S da aplicação.

P: Que nível de latência de performance posso esperar de meus volumes SSD de IOPS provisionadas (io2 e io1)?

Quando conectados a instâncias otimizadas para EBS, os volumes de IOPS provisionadas podem atingir latências inferiores a 10 milissegundos. A performance exata depende dos requisitos de E/S da aplicação.

P: A extensão de E/S das leituras e gravações da minha aplicação afeta a taxa de IOPS que obtenho dos meus volumes SSD de IOPS provisionadas (io2 e io1)?

Sim, afeta. Quando você provisiona IOPS para os volumes io2 ou io1, a taxa de IOPS que você obterá dependerá do tamanho de E/S de leituras e gravações das aplicações. Os volumes de IOPS provisionadas têm um tamanho de E/S base de 16 KB. Portanto, se você provisionou um volume com 40.000 IOPS para um tamanho de E/S de 16 KB, ele alcançará até 40.000 IOPS nesse tamanho. Se o tamanho da E/S aumentar para 32 KB, você alcançará até 20.000 IOPS e assim por diante. Para obter mais detalhes, visite a documentação técnica sobre os volumes de IOPS provisionadas. Você pode usar o Amazon CloudWatch para monitorar sua taxa de transferência e tamanhos de E/S.

P: Que fatores podem afetar a estabilidade da performance que observo com volumes SSD de IOPS provisionadas (io2 e io1)?

Os volumes Provisioned IOPS SSD (io2 e io1) vinculados às instâncias otimizadas para o EBS são criados para oferecer uma performance estável, com execução dentro de 10% da performance das IOPS provisionadas, 99,9% do tempo em um determinado ano. Para obter a máximo consistência de performance com novos volumes criados a partir de um instantâneo, recomendamos habilitar o Fast Snapshot Restore (FSR) em seus instantâneos. Os volumes do EBS restaurados a partir de snapshots com a FSR habilitada receberão a performance total instantaneamente.

Outro fator que pode afetar sua performance é se sua aplicação não estiver enviando solicitações suficientes de E/S. Isso pode ser monitorado verificando o comprimento da fila do volume. O comprimento da fila é o número de solicitações pendentes de E/S do aplicativo para o volume. Para obter a máxima consistência, um volume de IOPS provisionadas precisa manter um comprimento médio de fila (arredondado para o número inteiro mais próximo) de um para cada 1.000 IOPS provisionadas em um minuto. Por exemplo, para um volume provisionado com 3.000 IOPS, a média de comprimento da fila deve ser três. Para obter mais informações sobre como garantir um desempenho consistente dos volumes, consulte Como aumentar a performance de EBS.

P: Que nível de estabilidade de performance posso esperar de meus volumes sustentados por HDD?

Ao serem vinculados a instâncias otimizadas para o EBS, volumes Throughput Optimized HDD (ST1) e Cold HDD (SC1) são criados para disponibilizar execução dentro de 10% do desempenho da taxa de transferência esperado, 99% do tempo em um determinado ano. Seu desempenho exato depende dos requisitos de E/S do aplicativo e do desempenho da instância do EC2.

P: A extensão de E/S das leituras e gravações do aplicativo afeta as taxas de transferência que eu obtenho de meus volumes sustentados por HDD?

Sim. A taxa de transferência que você obtém depende da extensão de E/S das leituras e gravações do seu aplicativo. Os volumes sustentados por HDD processam leituras e gravações em extensões de E/S de 1 MB. E/S sequenciais são combinadas e processadas como unidades de 1 MB, enquanto cada E/S não sequencial é processada com 1 MB, mesmo se a extensão de E/S for menor. Portanto, embora uma carga de trabalho transacional com E/S pequenas e aleatórias, como um banco de dados, não apresente um bom desempenho em volumes sustentados por HDD, E/S sequenciais e E/S extensas atingirão o desempenho anunciado de ST1 e SC1 por um período maior.

P: Que fatores podem afetar a estabilidade do desempenho dos meus volumes sustentados por HDD?

Os volumes Throughput Optimized HDD (ST1) e Cold HDD (SC1) vinculados às instâncias otimizadas para o EBS são criados para oferecer desempenho estável, disponibilizando execução dentro de 10% do desempenho da taxa de transferência esperado, 99% do tempo em um determinado ano. Há vários fatores que podem afetar o nível de estabilidade observado. Por exemplo, o equilíbrio relativo entre operações de E/S aleatórias e sequenciais no volume pode afetar seu desempenho. O excesso de operações de E/S aleatórias e pequenas esgotará rapidamente seus créditos de E/S e diminuirá seu desempenho até a taxa parâmetro. Sua taxa de transferência também pode ser menor, dependendo da instância selecionada. Embora o ST1 possa impulsionar a taxa de transferência a até 500 MB/s, o desempenho será restringido pelo limite do nível de instância separado para o tráfego do EBS. Outro fator é a criação de um snapshot, que diminuirá o desempenho de gravação esperado para a taxa parâmetro, até que o snapshot seja concluído. Esse fator é específico dos volumes ST1 e SC1.

Seu desempenho também pode ser afetado se o seu aplicativo não estiver enviando solicitações de E/S suficientes. Isso pode ser monitorado ao verificar o comprimento da fila e a extensão de E/S do seu volume. O comprimento da fila é o número de solicitações pendentes de E/S do aplicativo para o volume. Para consistência máxima, os volumes em HDD devem manter um comprimento médio de fila (arredondado para o número inteiro mais próximo) de quatro ou mais para cada 1 MB de E/S sequencial. Para obter mais informações sobre como garantir um desempenho consistente dos volumes, consulte Increasing EBS Performance.

P: Posso juntar vários volumes para obter uma performance melhor?

Sim. É possível juntar vários volumes para atingir até 260.000 IOPS ou 60,000 MB/s (ou 7.500 MB/s) quando vinculados a instâncias do EC2 maiores. No entanto, o desempenho dos volumes ST1 e SC1 é dimensionado de modo linear com o tamanho do volume, portanto, a junção desses volumes pode não ser tão vantajosa.

P: Como o Amazon EBS lida com problemas como contenção de armazenamento?

O EBS é um serviço multilocatário de armazenamento em bloco. Empregamos a limitação de taxas como um dos mecanismos para evitar a contenção de recursos. Isso começa com a presença de critérios definidos de desempenho para os volumes – nossos tipos de volume (GP2, PIOPS, ST1 e SC1) têm características de desempenho definidas em termos de IOPS e throughput. A próxima etapa é a definição do desempenho a nível de instância. Cada instância otimizada do EBS tem o desempenho definido (tanto throughput quanto IOPS) para o conjunto de volumes do EBS vinculado à instância. Portanto, um cliente pode dimensionar instâncias e volumes para obter o nível de desempenho desejado. Além disso, os clientes podem usar nossas métricas relatadas para observar o desempenho a nível de instância e a nível de volume. Eles podem definir alarmes para determinar se o que estão visualizando não corresponde ao desempenho esperado – as métricas também podem ajudar a determinar se os clientes estão ou não configurados no tipo correto de instância e com o montante correto de desempenho a nível de volume. Do lado do EBS, usamos o desempenho configurado para informar como alocamos a instância adequada e a infraestrutura do EBS para oferecer suporte aos volumes. Ao alocar a infraestrutura adequadamente, evitamos a contenção de recursos. Além disso, monitoramos constantemente nossa infraestrutura. Esse monitoramento nos permite detectar falhas na infraestrutura (ou falhas iminentes na infraestrutura) e, consequentemente, mover os volumes proativamente para hardware funcional enquanto a infraestrutura subjacente passa por reparos ou é substituída (conforme adequado).

P: Que nível de estabilidade de performance posso esperar dos volumes SSD de uso geral (gp3 e gp2)?

Quando vinculados a instâncias otimizadas para o EBS, os volumes SSD de uso geral (gp3 e gp2) são projetados para execução dentro de 10% da performance das IOPS provisionadas, 99% do tempo em um determinado ano. A performance exata depende dos requisitos de E/S da aplicação.

P: Que nível de latência de performance posso esperar dos volumes SSD de uso geral (gp3 e gp2)?

Quando conectados a instâncias otimizadas para EBS, os volumes SSD de uso geral (gp3 e gp2) podem atingir latências inferiores a 10 milissegundos. A performance exata depende dos requisitos de E/S da aplicação.

P: Os volumes SSD de uso geral (gp3) alcançaram o pico?

Não. Todos os volumes SSD de uso geral (gp3) incluem 3.000 IOPS e 125 MB/s de performance consistente sem custo adicional. Os volumes podem sustentar 3.000 IOPS e 125 MB/s indefinidamente.

P: Como o pico funciona em volumes SSD de uso geral (gp2)?

Volumes SSD de uso geral (gp2) que estão abaixo de 1.000 GB recebem um pico de performance de IOPS de até 3.000 IOPS por pelo menos 30 minutos de performance sustentada. Além disso, os volumes gp2 oferecem performance consistente de 3 IOPS por GB provisionado. Por exemplo, um volume de 500 GB é capaz de gerar 1.500 IOPS de modo consistente e fazer o bursting para 3.000 IOPS por 60 minutos (3.000 IOPS * 60 segundos * 30 minutos / 1.500 IOPS / 60 segundos).

P: Qual é a diferença entre io2 e io2 Block Express?

Os volumes io2 oferecem armazenamento em bloco de alta performance para todas as instâncias do EC2. Para aplicações que requerem uma performance ainda maior, é possível anexar volumes io2 ao tipo de instância R5b executada no Block Express e que fornece uma performance quatro vezes maior que o io2. Isso permitirá alcançar até 64 TiB de capacidade, 256.000 IOPS e 4.000 MB/s de taxa de transferência de um único volume io2 com latência média de IO abaixo de um milissegundo.

P: O que é o EBS Block Express?

O EBS Block Express é a próxima geração da arquitetura de servidor de armazenamento do Amazon EBS, criado especificamente para oferecer os mais altos níveis de performance com latência abaixo de um milissegundo para armazenamento em bloco em escala de nuvem. O Block Express faz isso usando o Scalable Reliable Datagrams (SRD), um protocolo de rede de baixa latência de alta performance, para se comunicar com instâncias do EC2 baseadas no Nitro System. Esta é a mesma interface de rede de alta performance e baixa latência usada para comunicação entre instâncias no Elastic Fabric Adapter (EFA) para workloads de High Performance Computing (HPC) e Machine Learning (ML). Além disso, o Block Express oferece blocos de construção de software e hardware modulares que podem ser montados de muitas maneiras diferentes, dando flexibilidade para projetar e fornecer performance aprimorada e novos recursos em um ritmo mais rápido.

P: Quais workloads são adequadas para o io2 Block Express?

O io2 Block Express é adequado para workloads com alta performance e capacidade que se beneficiam de latência mais baixa, IOPS mais alta, maior taxa de transferência ou maior capacidade em um único volume. Essas workloads incluem bancos de dados relacionais e NoSQL, como SAP HANA, Oracle, MS SQL, PostgreSQL, MySQL, MongoDB, Cassandra e workloads de operação empresarial crítica, como SAP Business Suite, NetWeaver, Oracle eBusiness, PeopleSoft, Siebel e workloads ERP, como Infor LN e Infor M3.

P: Como sei se um volume io2 está sendo executado no Block Express?

Se um volume io2 estiver anexado a uma instância R5b, ele estará sendo executado no Block Express, que oferece latência inferior a um milissegundo e capacidade para alcançar até 256.000 IOPS e 4.000 MB/s de taxa de transferência e até 64 TiB de tamanho para um único volume. Os volumes io2 anexados a todas as outras instâncias não são executados no Block Express e oferecem uma latência de um único dígito em milissegundos e capacidade para alcançar até 64 K IOPS e 1 GB/s de taxa de transferência e até 16 TiB de tamanho para um único volume.

Snapshots

P: Como eu posso usar as APIs diretas do EBS para o Snapshots?

Esse recurso pode ser usado por meio das seguintes APIs que podem ser chamadas usando o AWS CLI ou via AWS SDK.

  • Blocos de lista do snapshot: a operação da API ListSnapshotBlocks retorna os indexes e tokens dos blocos para blocos em snapshots específicos.
  • Bloco de listas mudadas: a operação da API ListChangedBlocks retorna os indexes e tokens de blocos para blocos que são diferentes entre dois snapshots específicos do mesmo volume/linhagem de snapshot.
  • Obtenha blocos de snapshot: a operação da API GetSnapshotBlock retorna dados em um bloco para o ID, índice e token de bloco de snapshot específico.
  • Inicie o snapshot: a operação StartSnapshot inicia um snapshot, seja como incremental a partir de um existente ou como um novo snapshot. O snapshot iniciado permanece no estado pendente até ser concluído usando a ação CompleteSnapshot.
  • Enviar bloco de snapshots: a operação PutSnapshot acrescenta dados na forma de blocos individuais a um snapshot iniciado que está no estado pendente. Especifique uma soma de verificação SHA256 codificada como Base64 para o bloco de dados transmitido. O serviço valida a soma de verificação após a conclusão da transmissão. A solicitação falha se a soma de verificação calculada pelo serviço não corresponde à que você especificou.
  • Conclua o snapshot: a operação CompleteSnapshot conclui um snapshot iniciado que está no estado pendente. Em seguida, os snapshots são alterados para um estado concluído.
 
Para obter mais informações, consulte a documentação técnica.

P: Quais são os tamanhos de blocos compatíveis com as APIs GetSnapshotBlock e PutSnapshotBlock?

As APIs GetSnapshotBlock e PutSnapshotBlock são compatíveis com o tamanho de bloco de 512 KiB.

P: Conseguirei acessar meus snapshots usando a API normal do Amazon S3?

Não, os snapshots estão disponíveis somente por meio das APIs do Amazon EC2.

P: Os volumes precisam ser desvinculados para a criação de um snapshot?

Não, os snapshots podem ser feitas em tempo real enquanto o volume está anexado e em uso. No entanto, os snapshots capturam somente os dados que foram gravados no volume do Amazon EBS, o que poderá excluir quaisquer dados que foram localmente armazenados em cache pelo aplicativo ou SO. Para assegurar snapshots consistentes em volumes anexados a uma instância, recomendamos desanexar completamente o volume, emitir o comando de snapshot e, em seguida, anexar novamente o volume. Para os volumes do Amazon EBS que atuam como dispositivos-raiz, recomendamos o desligamento da máquina para obter um snapshot nítido.

P: O snapshot de um volume completo de 16 TB demora mais que para um volume de 1 TB?

De acordo com a sua concepção, a criação de um snapshot do EBS de um volume inteiro de 16 TB não deve demorar mais do que a criação de um snapshot de um volume inteiro de 1 TB. No entanto, o tempo necessário real dependerá de vários fatores, como a quantidade de dados que foram alterados desde o último snapshot criado do volume do EBS em questão.

P: Os snapshots têm versões? Posso ler um snapshot mais antigo para fazer uma recuperação pontual?

Cada snapshot recebe um identificador exclusivo e os clientes podem criar volumes com base em qualquer um de seus snapshots existentes.

P: Como posso descobrir snapshots do Amazon EBS que foram compartilhados comigo?

Você pode localizar snapshots que foram compartilhados com você selecionando Snapshots privados na lista da seção Snapshots do Console de Gerenciamento da AWS. Esta seção lista tanto snapshot seus quanto snapshot compartilhados com você.

P: Como posso saber quais snapshots do Amazon EBS são compartilhados globalmente?

Você pode localizar snapshots globalmente compartilhados selecionando Snapshots públicos na lista da seção Snapshots do Console de Gerenciamento da AWS.

P: Como posso encontrar uma lista de bancos de dados públicos armazenados nos snapshots do Amazon EBS?

Você pode usar o Console de Gerenciamento da AWS para encontrar bancos de dados públicos armazenados como snapshots da Amazon. Faça login no Console, selecione Amazon EC2 Service, selecione Snapshots e aplique o filtro em Public Snapshots. Todas as informações sobre bancos de dados públicos estão disponíveis na nossa central de recursos de bancos de dados públicos da AWS.

P: Quando eu usaria a restauração rápida de snapshots (FSR)?

Você deve habilitar a FSR de snapshots se estiver preocupado com a latência do acesso a dados no processo de restauração de dados de um snapshot para um volume e quiser evitar a queda inicial de performance durante a inicialização. A FSR serve para ajudar em casos de infraestrutura de desktop virtual (VDI), backup e restauração, cópias de volumes de teste/desenvolvimento e inicialização a partir de AMIs personalizadas. Ao habilitar a FSR no snapshot, você perceberá que a performance fica melhor e previsível sempre que é necessário usar esse snapshot para restaurar dados.

P: Se eu habilitar a FSR para meu snapshot, o processo de criação de snapshot ficará mais rápido?

Não. Snapshots com FSR habilitada melhoram o processo de restauração de dados de backup do snapshot para seus volumes. Snapshots com FSR habilitada não aceleram o processo de criação de snapshot.

P: Como habilito a restauração rápida de snapshot (FSR)?

Para usar esse recursos, invoque a nova API enable-fast-snapshot-restores em um snapshot dentro da zona de disponibilidade (AZ) onde os volumes inicializados serão restaurados.

O snapshot com FSR habilitada pode estar com um dos estados a seguir: habilitando, otimizando, habilitado, desabilitando, desabilitado. Transições de estado são publicadas como eventos do CloudWatch e o estado da FSR pode ser verificado usando a API describe-fast-snapshot-restores.

Habilitar a FSR em um snapshot não altera as interações existentes do snapshot com API. Não é necessário mudar os fluxos de trabalhos atuais. A FSR só pode ser habilitada ou desabilitada em snapshots da conta. Não é possível aplicar a FSR em snapshots compartilhados. Você pode ver a lista dos snapshots com FSR habilitada pela API ou pelo console.

P: Como uso a restauração rápida de snapshot (FSR)?

Volumes criados a partir de um snapshot com FSR habilitada são totalmente inicializados. No entanto, o número de volumes que podem ser criados com performance imediata completa é limitado. Esses limites são expressados na forma de um bucket de crédito associado a um snapshot com FSR habilitada em uma determinada AZ. As coisas mais importantes que você precisa saber sobre créditos:

1. Cada operação de criação de volume consume um crédito
2. O número de créditos é uma função do tamanho do snapshot com FSR habilitada
3. Os créditos são renovados ao longo do tempo
4. O tamanho máximo do bucket de crédito é 10

Para estimativa do tamanho do bucket de crédito e da taxa de renovação, divida 1.024 pelo tamanho do snapshot. Por exemplo, um snapshot de 100 GiB com FSR habilitada terá um saldo máximo de 10 créditos com uma taxa de renovação de 10 créditos por hora. Um snapshot de 4 TiB terá um saldo máximo de 1 com taxa de renovação de 1 crédito a cada 4 horas.

É importante observar que o tamanho do bucket de crédito é uma função do tamanho do snapshot com FSR habilitada, não do tamanho dos volumes criados. Por exemplo, é possível criar até dez volumes de 1TiB a partir de um snapshot de 100GiB de uma só vez.

Por último, cada AZ em que o snapshot tiver a FSR habilitada receberá um bucket de crédito independente de outras AZs.

P: Quantos volumes concorrentes eu posso criar e o que acontece se eu ultrapassar esse limite?

O tamanho do bucket de crédito de criação representa o número máximo, enquanto o saldo do bucket de crédito representa o número disponível de criações. Quando estiver cheio, é possível criar até 10 volumes inicializados a partir de um snapshot com FSR habilitada de uma só vez. Tanto o tamanho máximo do bucket de crédito quando o saldo do bucket de crédito são publicados como métricas do CloudWatch. Caso sejam criados mais volumes do que o limite, o processo acontecerá como se a FSR não tivesse habilitada no snapshot.

P: Como sei quando um volume foi criado a partir de um snapshot com FSR habilitada?

Quando a FSR é usada, um novo atributo específico do EBS (fastRestored) é adicionado à API DescribeVolumes para denotar o status no momento da criação. Quando um volume for criado a partir de um snapshot com FSR habilitada sem créditos suficientes de criação de volumes, a criação será realizada com êxito, mas o volume não será inicializado.

P: O que acontece à FSR quando eu excluo um snapshot?

Quando você excluir um snapshot, a FSR dele será desabilitada automaticamente e o respectivo faturamento será encerrado.

P: Posso habilitar a FSR para snapshots públicos e privados compartilhados comigo?

Sim, é possível habilitar a FSR para snapshots públicos e snapshots privados na sua conta. Para habilitar a FSR de snapshots compartilhados, use o mesmo conjunto de chamadas de API que você usa para habilitar a FSR em seus próprios snapshots.

P: Como é feito o faturamento da FSR habilitada em um snapshot compartilhado comigo?

Quando você habilita a FSR no snapshot compartilhado, o faturamento segue as taxas padrão de FSR (consulte as páginas de definição de preço). Observe que somente a sua conta será faturada pela FSR do snapshot compartilhado. O proprietário do snapshot não será cobrado quando você habilitar a FSR no snapshot compartilhado.

P: O que ocorre à FSR de um snapshot compartilhado quando o respectivo proprietário deixa de compartilhá-lo ou o exclui?

Quando o proprietário do snapshot compartilhado o exclui ou deixa de compartilhá-lo com você revogando suas permissões para criar volumes a partir dele, a respectiva FSR é desabilitada automaticamente e o faturamento da FSR correspondente é encerrada.

Criptografia

P: O que é a criptografia do Amazon EBS?

A criptografia do Amazon EBS oferece criptografia contínua de volumes de dados, volumes de inicialização e snapshots do EBS, eliminando a necessidade de criar e manter uma infraestrutura segura de gerenciamento de chaves. A criptografia do EBS habilita a segurança de dados em repouso ao criptografar seus dados usando chaves gerenciadas pela Amazon ou chaves que você cria e gerencia usando o AWS Key Management Service (KMS). A criptografia ocorre nos servidores que hospedam instâncias do EC2, proporcionando criptografia de dados em trânsito entre as instâncias do EC2 e armazenamento do EBS. Para obter mais detalhes, consulte a criptografia do Amazon EBS no Guia do usuário do Amazon EC2.

P: O que é o AWS Key Management Service (KMS)?

O AWS KMS é um serviço gerenciado que facilita a criação e o controle de chaves de criptografia usadas para criptografar seus dados. O AWS Key Management Service está integrado a outros serviços da AWS, inclusive Amazon EBS, Amazon S3 e Amazon Redshift, para simplificar a criptografia de seus dados com chaves de criptografia gerenciadas por você. O AWS Key Management Service também está integrado ao AWS CloudTrail para fornecer logs contendo toda a utilização das chaves, ajudando a cumprir requisitos normativos e de conformidade. Para saber mais sobre o KMS, acesse a página de produto do AWS Key Management Service.

P: Por que devo usar a criptografia do EBS?

Você pode usar a criptografia do Amazon EBS para satisfazer requisitos de conformidade de segurança e criptografia de dados em repouso na nuvem. A combinação entre a criptografia e as políticas existentes de controle de acesso do IAM aprimora a estratégia de defesa completa da sua empresa.

P: Como são gerenciadas as chaves de criptografia do Amazon EBS?

A criptografia do Amazon EBS cuida do gerenciamento de chaves para você. Cada volume criado obtêm uma chave AES exclusiva de 256 bits. Os volumes criados a partir dos snapshots compartilham essa chave. Essas chaves são protegidas pela nossa própria infraestrutura de gerenciamento, que implementa controles robustos de segurança lógica e física para evitar acesso não autorizado. Seus dados e as chaves associadas são criptografados usando o algoritmo AES-256, padrão do setor.

P: A criptografia do EBS suporta volumes de inicialização?

Sim.

P: Posso criar um volume de dados criptografado no momento do início da instância?

Sim, usando chaves mestre do cliente (CMKs) gerenciadas pela AWS ou pelo cliente. Você pode especificar os detalhes e a criptografia do volume por meio de uma chamada para a API RunInstances com o parâmetro BlockDeviceMapping ou por meio do Assistente de execução no console do EC2.

P: Posso criar volumes adicionais de dados criptografados no momento da execução da instância que não façam parte da AMI?

Sim. Você pode criar um volume de dados criptografado com criptografia CMK padrão ou personalizada no momento da execução das instâncias. É possível especificar os detalhes e a criptografia do volume por meio do objeto BlockDeviceMapping na chamada da API RunInstances ou por meio de Launch Wizard no console do EC2.

P: Posso executar uma instância criptografada do EBS a partir de uma AMI não criptografada?

Sim. Consulte a documentação técnica para mais detalhes.

P: Posso compartilhar snapshots e AMIs criptografados com outras contas?

Sim. Você pode compartilhar snapshots e AMIs criptografados usando uma Customer Master Key (CMK – Chave mestra do cliente) gerenciada pelo cliente com outras contas da AWS. Consulte a documentação técnica para mais detalhes.

P: Posso garantir que todos os novos volumes criados estão criptografados?

Sim, você pode habilitar a Criptografia por padrão do EBS com uma única configuração por região. Isto garante que todos os novos volumes criados estão criptografados. Consulte a documentação técnica para obter mais detalhes. 

Faturamento e medição

P: Serei cobrado pelas IOPS provisionadas em um volume de IOPS provisionadas quando ele for desconectado de uma instância?

Sim, você será cobrado pelas IOPS provisionadas quando ele for desconectado de uma instância. Quando um volume é desacoplado, recomendamos que considere criar um snapshot e excluir o volume para reduzir os custos. Para obter mais informações, veja a verificação de otimização de custos para "Volumes subutilizados do Amazon EBS" no Trusted Advisor. Este item verifica as configurações do volume do Amazon Elastic Block Store (Amazon EBS) e alerta quando os volumes parecem estar subutilizados.

P: Os preços incluem impostos?

Salvo indicação em contrário, nossos preços excluem impostos e taxas aplicáveis, incluindo o IVA e o imposto sobre vendas aplicável. Para clientes com endereço de pagamento no Japão, o uso da AWS está sujeito ao imposto sobre consumo japonês. Saiba mais.

Multi-Attach

P: Existe uma taxa adicional para ativar o Multi-Attach?

Não. O Multi-Attach pode ser ativado em um volume de IOPS provisionadas do EBS io1 e haverá cobranças pelo armazenamento (GB-Mo) e as IOPS (IOPS-Mo) provisionadas.

P: Posso inicializar uma instância do EC2 usando um volume ativado para o Multi-Attach?

Não.

P: O que acontece se todas as minhas instâncias anexadas não tiverem o sinalizador 'deleteOnTermination' definido?

O comportamento do deleteOnTermination do volume é determinado pela configuração da última instância anexada que é finalizada. Para garantir a exclusão previsível no comportamento de finalização, ative ou desative o 'deleteOnTermination' para todas as instâncias às quais o volume está anexado.

Se desejar que o volume seja excluído quando as instâncias anexadas forem encerradas, ative 'deleteOnTermination' para todas as instâncias às quais o volume está anexado. Se desejar reter o volume após o término das instâncias anexadas, desative 'deleteOnTermination' para todas as instâncias anexadas. Para obter mais informações, consulte a documentação técnica do Multi-Attach.

P: Meu aplicativo pode usar o Multi-Attach?

Se o aplicativo não exigir a coordenação da camada de armazenamento das operações de gravação, como um aplicativo somente leitura, ou se forçar as cercas IO no nível do aplicativo, ele poderá usar o Multi-Attach.

Saiba mais sobre a definição de preço do Amazon EBS

Acesse a página de definição de preço
Pronto para criar?
Comece a usar o Amazon EBS
Mais dúvidas?
Entre em contato conosco