GRAPHIC_Orange-rule_01

Infundindo inovação na empresa:

Uma conversa com Christa Koenen, diretora de tecnologia da informação do Deutsche Bahn AG e CEO da DB Systel


Quando Christa Koenen assumiu o cargo de diretora de tecnologia da informação da Deutsche Bahn em 2018, além de sua função como CEO da divisão interna de TI, a DB Systel, não estava claro para a empresa por que algo precisava ser mudado. Mas o que começou como uma questão de saber se a empresa precisava executar seus próprios datacenters evoluiu para um plano para uma migração massiva de nuvem e reequipamento da cultura e dos processos da organização. A estrategista empresarial da AWS, Miriam McLemore conversou com Koenen sobre a jornada.

Prefere ouvir o podcast? Acesse o episódio no Spotify ou no Apple Podcasts.

GRAPHIC_Orange-rule_01

O começo de algo novo

Miriam McLemore: Como essa transformação começou?

Christa Koenen: Quando eu comecei a trabalhar na DB Systel, TI não era o foco principal da Deutsche Bahn. A empresa sempre esteve bem e estável. Subsequentemente, ela começou a pensar mais em digitalização. Por esse motivo, dentro da Systel, percebemos rapidamente que o nosso comportamento como um provedor de serviços de TI não era mais suficiente. Começamos então a nossa transformação para uma empresa de inovação e integração digital. Foi uma transformação completa (tanto tecnológica quanto culturalmente). Adotamos métodos ágeis em tudo o que fazemos.

 

GRAPHIC_Orange-rule_01

Impulsionar mudanças de cima para baixo e de baixo para cima

Miriam McLemore: Como você conseguiu fazer os seus funcionários aceitarem as mudanças?

Christa Koenen: Com muita comunicação. Todo mundo diz isso, mas especialmente em um momento de incerteza, temos que dizer aos nossos funcionários: “Não sabemos como a empresa vai ficar quando isso terminar, mas se você quiser fazer parte da mudança, terá uma função e será bem-vindo para trabalhar conosco.” Acima de tudo, seja honesto sobre o que funciona e o que não funciona. No passado, não era aceitável dizer que uma coisa não estava funcionando e voltar alguns passos para tentar uma direção diferente.


quote-marks

Ser capaz de influenciar como a cultura e a empresa se desenvolvem e quais tecnologias são implementadas cria um senso de propriedade entre os funcionários.”


Com uma equipe selecionada de pessoas, definimos as oito áreas que achávamos que precisavam mudar e encarregamos duas pessoas para supervisionar a transformação. Por exemplo, colocamos uma pessoa de vendas e outra de operações para abordar os aspectos de "cultura e liderança" na empresa. Com base nisso, eles criaram metas internas ou voltadas para o cliente para monitorar cada trimestre. Em seguida, buscaram pessoas interessadas nesses assuntos para ajudar a mudar a empresa.

A abordagem do tipo "nossa transformação" em vez da transformação da equipe de gerenciamento foi importante. Ser capaz de influenciar como a cultura e a empresa se desenvolvem e quais tecnologias estão sendo implementadas cria um senso de propriedade entre os funcionários.

 

GRAPHIC_Orange-rule_01

Superar interrupções com agilidade

Miriam McLemore: Que vantagens você observou com essa transformação?

Christa Koenen: Tudo o que implementamos (desde a mudança na forma em que nos organizamos até o aumento na adoção da nuvem) foi importante para a rápida adaptação a essa incrível interrupção pela qual estamos passando. Por exemplo, no início da pandemia do coronavírus, conseguimos aumentar nossa infraestrutura de VPN de 12.000 para 60.000 usuários simultâneos em algumas semanas e fazer com que todos pudessem trabalhar em casa em um ou dois dias. A produtividade está pelo menos tão alta quanto antes e, em alguns casos, tivemos até que pedir às pessoas que parassem de trabalhar à noite.

 

GRAPHIC_Orange-rule_01

Deixar a inovação florescer

Miriam McLemore: A transformação na sua empresa ajudou a estimular a inovação?

Christa Koenen: Com certeza. Anteriormente, a empresa era organizada em silos e funcionava de forma clássica e sob medida. Por esse motivo, foi difícil reunir pessoas com diferentes tipos de conhecimento para inovar. Agora temos, por exemplo, o Sky Deck, onde trabalhamos com nossos clientes para analisar desafios de negócios sob uma nova perspectiva. Em vez de simplesmente aplicar a tecnologia a um problema, eles podem se unir para entender qual é o problema. Às vezes, a solução pode ser uma abordagem de baixa tecnologia.

Fecharemos nossos datacenters no fim do ano (um ano antes do previsto). Estamos passando por várias mudanças simultaneamente. Não estamos mudando a forma como trabalhamos porque gostamos de trabalhar de forma autônoma ou porque é legal usar ferramentas ágeis. Estamos fazendo isso porque precisamos trabalhar dessa forma com tecnologias baseadas na nuvem para podermos nos adaptar mais rapidamente. Após décadas focando em gerenciar nossos datacenters, entramos em uma nova era na qual podemos nos concentrar na inovação.

Os 5 segredos de Christa para uma transformação empresarial bem-sucedida

  1. Envolver a organização na definição da direção
  2. Muita comunicação durante os períodos de maior mudança e agir como um modelo para aceitar as mudanças
  3. Migrar de uma rede para equipes autônomas
  4. Oferecer aos funcionários tempo, ferramentas e espaço para a solução de problemas
  5. Incentivar assumir riscos; permitir aprender com os erros

quote-marks

Não estamos mudando a forma como trabalhamos porque gostamos de trabalhar de forma autônoma ou porque é legal usar ferramentas ágeis. Estamos fazendo isso porque estamos convencidos de que precisamos trabalhar dessa forma para sermos eficiente com tecnologias baseadas na nuvem para podermos nos adaptar mais rapidamente."


Sobre nossos convidados

Christa Koenen, diretora de tecnologia da informação do Deutsche Bahn AG e CEO da DB Systel

Christa Koenen
CIO, Deutsche Bahn AG e CEO, DB Systel

Após concluir seus estudos em Economia em Mainz e Freiburg, Christa Koenen trabalhou em várias empresas, inclusive como consultora de estratégia, e obteve seu MBA no IESE em Barcelona. Christa começou a trabalhar na Deutsche Bahn em 2004, inicialmente em Desenvolvimento Estratégico localmente e, posteriormente, como Chefe de Controle e Chefe de Desenvolvimento de Negócios na unidade de negócios de serviços. Em 2011, ela assumiu o cargo de CFO da DB Kommunikationstechnik e, em maio de 2014, ingressou na DB Systel como Diretora Administrativa e CFO. Desde 2015, Christa exerce o cargo de CEO da DB Systel e, em 2018, também assumiu a função de CIO do DB Group.

Miriam McLemore, estrategista empresarial, Amazon Web Services

Miriam McLemore
Estrategista empresarial da Amazon Web Services

Antes de ingressar na Amazon, Miriam foi diretora de tecnologia da informação, de tecnologias corporativas e para consumidores e líder na divisão de tecnologia da informação global da The Coca-Cola Company. Nesse cargo, ela apresentou liderança global em toda a empresa para tratar de todas as questões de tecnologia em apoio às áreas de marketing global, liderança comercial e do consumidor, pesquisa e desenvolvimento de produtos, recursos humanos, jurídico, sustentabilidade, assuntos públicos e segurança estratégica.

Saiba mais sobre Miriam »


Histórias relacionadas

Andrea Lachnik, mestre em agilidade, e Rene Schneider, proprietário de produto e especialista de nuvem, conversaram com o líder de inovação digital da AWS, Thomas Blood, para compartilhar suas experiências na liderança de negócios e transformação de tecnologia no Deutsche Bahn Systel.

CONVERSAS COM LÍDERES
Parte 1 - Promovendo mudanças por meio da comunicação:
Andrea e Rene descrevem como a clareza de visão, comunicação bidirecional e os objetivos claros da equipe ajudaram a atingir suas metas
CONVERSAS COM LÍDERES
Parte 2 - Cultivando uma cultura de inovação e aprendizado:
Thomas explora como uma cultura de tentativas e aprendizagem contribuiu para o sucesso da transformação comercial do Deutsche Bahn Systel

Qual é o segredo dos bons líderes?

Ouça como outros líderes impulsionaram mudanças.