AWS Partner Network (APN) Blog – Brasil

Cursos atualizados de AWS Business Accreditation e AWS Technical Accreditation

Uma das chaves para a construção de um negócio bem sucedido na AWS é garantir que você esteja devidamente treinado em tudo que a AWS tem para oferecer. A AWS continua a inovar em um ritmo rápido e é crucial que disponibilizemos recursos de treinamento atualizados à medida que você embarca e constrói seu negócio na AWS. Para isso lançamos versões substancialmente atualizadas em inglês de nossos cursos de Accreditation gratuitos e on-line para Parceiros APN. Esses cursos são projetados para ajudar os novos parceiros APN a aprender como articular os benefícios dos serviços e soluções da AWS para os clientes. Atualizamos o conteúdo* nas versões 2016 para adicionar cobertura de novos serviços e recursos da AWS.

AWS Business Professional (Lançado em novembro de 2016)

O que você vai aprender: Conhecimento fundamental sobre os principais serviços da AWS e as principais propostas de valor de negócios.
Público-alvo: Funções de negócios responsáveis ​​por articular sobre os benefícios dos serviços da AWS e como a AWS e as soluções de parceiros ajudam a solucionar problemas comerciais comuns.

AWS Technical Professional (Lançado em novembro de 2016)

O que você vai aprender: Principais conceitos técnicos fundamentais em torno da AWS, incluindo infra-estrutura global, serviços, soluções comuns, migração, segurança e conformidade.
Público-alvo: Funções técnicas responsáveis ​​por ajudar os clientes a tomar decisões sobre as soluções de TI.

Tenha acesso aos treinamentos pelo Portal APN.

*Atualização disponível em inglês.

Agilidade no varejo: como a tecnologia AWS e o suporte da Linux Place otimizam as vendas das Lojas Baby

Uma das varejistas mais tradicionais de Belo Horizonte, em Minas Gerais, as Lojas Baby são referência em qualidade no mercado de artigos infantis desde 1965, e suas onze filiais chegam a vender 30 mil peças por mês. Com grande fluxo de operações, em especial em datas de maior lucro para o varejo como o Natal, qualquer indisponibilidade em seus sistemas pode gerar problemas como lojas paradas, clientes insatisfeitos e perda de vendas.

Em busca de mais segurança e agilidade na prestação de serviços, a empresa encontrou na Amazon Web Services a solução de baixo custo para obter alta disponibilidade de servidores que fazem a gestão de seu ERP. A aplicação na nuvem conecta via VPN todas as filiais, com total independência de acesso pela matriz, além de otimizar as vendas via e-commerce.

“Nossas necessidades eram a aquisição de uma estrutura para o ERP de baixo custo, disponibilidade dos acessos para as lojas, independente da matriz, ganho na estrutura e desempenho do banco de dados da empresa, facilidade de criar uma estrutura de homologação, e a segurança física dos dados e servidores”, explica o empresário Claus Malumud. A garantia de segurança dos dados dos clientes da empresa também foi fundamental para a escolha da Amazon Web Services.

(more…)

O futuro das PMEs do Brasil está na nuvem: investimento em mobilidade cresce até sete vezes mais rápido que o das tecnologias tradicionais

Uma em cada três pequenas e médias empresas do Brasil já começou a migração para a nuvem, e os investimentos de TI nesse setor deve saltar de R$ 48 bilhões este ano para até R$ 68 bilhões em 2020, com as tecnologias baseadas em computação em nuvem e mobilidade crescendo de três a sete vezes mais rápido do que as tecnologias tradicionais on premise. Essa expansão, que já está em ritmo acelerado, ainda tem um grande mercado pela frente: cerca de 70% das PMEs que ainda não estão na nuvem devem migrar nos próximos anos.

Esses e outros insights foram apontados pela pesquisa 2016 Brazil Small & Medium Business: ICT & Cloud Services Tracker Overview, realizada pela AMI Partners a pedido da Intel Brasil, com o objetivo de mapear tendências e perspectivas na migração para novas tecnologias em todo o universo brasileiro de pequenos e médios negócios.

As áreas de investimento em nuvem e mobilidade incluem as DaaS (Data as a Service), IaaS (segurança, storage e servidores), PaaS (Plataform as a Service) e aplicações SaaS (Software as a Service). As preferências por estes modelos variam de 10% a 35% dos entrevistados, enquanto soluções on premise não passam dos 10%.

O estudo revelou ainda que os tomadores de decisões do setor têm planejado mais investimentos em tecnologia com foco em maior eficiência e redução de custos: 48% das empresas médias e 30% das pequenas consideram esse investimento como prioridade nos próximos 12 meses. Entre as corporações que já adotaram serviços de tecnologia, 49% das pequenas empresas e 62% das médias responderam que a economia nos custos operacionais foram os maiores retornos.

Saiba mais informações sobre a pesquisa aqui.

 

Amazon Web Services anuncia disponibilidade do Amazon Redshift na região de São Paulo

São Paulo – 4 de novembro de 2016 – Amazon Web Services Inc., uma companhia da Amazon.com (NASDAQ: AMZN), anuncia a disponibilidade do Amazon Redshift na região de São Paulo. O serviço de armazenamento de dados na nuvem é uma solução rápida e poderosa, totalmente gerenciada, que suporta escala em petabytes e permite aos clientes aumentar drasticamente a velocidade e desempenho das análises de conjuntos de dados de qualquer tamanho, usando as mesmas ferramentas de BI baseadas em SQL, normalmente usadas no mercado hoje. Com alguns cliques no AWS Management Console, os clientes podem lançar um cluster Redshift, começando com algumas centenas de gigabytes e escalando para um petabyte ou mais – pagando apenas um décimo do preço da maioria das soluções de data warehouse disponíveis.

Data warehouses on-premise requerem um tempo significativo e muitos recursos para administrar, especialmente para grandes conjuntos de dados. Carregamento, monitoramento, regulação, backups e recuperação de falhas são tarefas complexas e demoradas, e o custo financeiro associado à construção, manutenção e escala em armazéns de dados tradicionais é muito alto. Grandes empresas assumiram o custo elevado para armazenamento de dados, enquanto para as pequenas corporações, muitas vezes, os gastos com hardware e software são proibitivos, deixando a maioria dessas organizações sem uma boa capacidade de armazenamento de dados. O Amazon Redshift foi desenhado para mudar esse cenário e gerenciar todo o trabalho necessário para configurar, operar e escalar um armazém de dados, automatizando desde o provisionamento da capacidade de infraestrutura ao monitoramento e o backup do cluster, corrigindo patches e atualizações. Dimensionar um cluster para melhorar o desempenho ou aumentar a capacidade no Amazon Redshift é simples e não gera tempo de inatividade, já que o serviço monitora continuamente a saúde do cluster e substitui automaticamente qualquer componente necessário. O Amazon Redshift é muito mais econômico (custa um décimo do preço dos armazéns de dados tradicionais) e permite que mesmo empresas maiores reduzam substancialmente seus custos, e que as menores possam aproveitar melhor os insights provenientes de análises de um poderoso data warehouse.

“Nos últimos anos, um dos pedidos mais frequentes que ouvimos de clientes é para a AWS construir um serviço de armazenamento de dados”, disse Raju Gulabani, vice-presidente de Serviços de Banco de Dados da AWS. “As empresas estão cansadas de pagar preços tão elevados para os seus data warehouses, e as pequenas empresas não podem nem se dar ao luxo de analisar a vasta quantidade de dados que coletam (muitas vezes jogando fora 95% dos seus dados). Isso frustra os clientes, já que eles sabem como a nuvem tornou mais fácil e menos caro do que nunca coletar, armazenar e analisar dados. O Amazon Redshift reduz não só significativamente o custo de um data warehouse, mas também torna mais fácil a análise de grandes quantidades de dados, muito rapidamente. Embora o desempenho real mude de acordo com os critérios de consulta específicos de cada cliente, nossos testes internos mostraram um resultado até 10 vezes melhor quando comparado aos bancos de dados relacionais padrão. Ter a capacidade de analisar rapidamente petabytes de dados a um custo baixo muda o jogo para os nossos clientes.”

O Amazon Redshift utiliza várias técnicas para alcançar um desempenho significativamente melhor que o de modelos tradicionais, incluindo o armazenamento de dados colunar, compactação avançada e alto desempenho E/S e de rede. Com a distribuição e paralelização de consultas através de um cluster de nós de baixo custo, o Amazon Redshift torna mais fácil obter alto desempenho de análises, sem exigir dos clientes consultas manuais. Amazon Redshift é ainda certificado por ferramentas de Business Intelligence (BI) populares, incluindo Jaspersoft e MicroStrategy.

(more…)

Caso Zazcar


“Só pelo fato da gente conseguir ditar o que vai acontecer, quais são as features que vão ser implementadas e como elas vão ser implementadas, isso é um ganho enorme para a gente. Com a AWS, a gente ganhou mais flexibilidade, principalmente na decisão de como o sistema vai funcionar.”

– Helio Nagamachi, Engenheiro de Software e Arquiteto de Solução da Zazcar

 

A Zazcar é uma empresa de carsharing que já nasceu, em 2010, inserida na tendência de economia compartilhada e se antecipando às mudanças trazidas por uma geração mais aberta ao conceito de compartilhar bens ao invés de comprar. Após seis anos de operação com um sistema fornecido por empresas estrangeiras, os sócios da startup decidiram desenvolver seu próprio sistema para ganhar mais flexibilidade, independência e reduzir custos. Desde julho de 2016, a Zazcar migrou para a nuvem e já começou a investir nas ferramentas de IoT da Amazon Web Services para monitorar o uso de sua frota e obter informações valiosas para seu negócio.

(more…)

Em 2016, obtenha sua certificação da AWS

by Aline Vazzoler | on | Permalink | Comments |  Share

Faça o simulado e a prova de certificação por nossa conta

A oferta expira no dia 18 de novembro de 2016. Seu código exclusivo será enviado por e-mail a você dentro de 1 a 2 dias úteis.

Regras:

1. Válido para parceiros APN Standard, Advanced e Premier

2. Solicite seu voucher do simulado Associate pelo email aws-latam-partners@amazon.com

3. Você passou no simulado? Envie o comprovante do resultado para aws-latam-partners@amazon.com e solicite o voucher da prova de certificação Associate

 

Saiba mais sobre a Certificação AWS
Em dúvida sobre os treinamentos e as certificações da AWS? Faça o download do Plano de Aprendizagem para Parceiro APN.

Tecnologia na gestão de recursos humanos com a LinuxPlace: o caso de sucesso da ARH

O setor de recursos humanos acompanha a evolução do mundo e das empresas com a consolidação das novas tecnologias, e cada vez mais torna-se parte essencial da área de negócios, contribuindo para a diminuição da burocracia e agilizando operações.

Há 21 anos neste mercado em constante evolução, a ARH, com sede em Belo Horizonte, aposta na inovação, e tornou-se referência no uso da tecnologia para revolucionar o departamento de RH de grandes empresas no Brasil.

A empresa é responsável pela gestão de Folha de Pagamento e RH de 6.500 funcionários, e migrou este ano para a nuvem da Amazon Web Services para prestar serviços terceirizados de ponta, com muito mais segurança e disponibilidade.

Entre seus clientes estão grandes construtoras como a CIMCORP, ECP e Ápia, a operadora Brasil Telecomunicações, e a Líder Táxi Aéreo.

Como a empresa utiliza os serviços da AWS?

Antes da nuvem, ARH usava o sistema do software FPW, da empresa LG, em ambiente interno, e buscou a Amazon Web Services para obter mais agilidade, disponibilidade e segurança. Sua aplicação é construída em três camadas e integrada à nuvem da Amazon via VPN. O processo de migração, desde a fase de testes, durou apenas dois meses.

“O maior desafio era garantir a segurança dos dados. Paralelo a isto aumentar a disponibilidade do sistema, pois isto impacta diretamente na produtividade da empresa”, explica a analista de informações da ARH, Elizete Oliveira.

A companhia possui duas instâncias no Amazon EC2, uma para alocar o servidor VPN Linux, e outra para o servidor de aplicação Windows. A empresa usa uma instância no Amazon RDS para alocar o banco de dados SQL, e o sistema tem um módulo web configurado na Amazon que é acessado pelos clientes da ARH.

Qual foi a redução de custos da ARH com a AWS?

Ao migrar sua infraestrutura para a nuvem da Amazon, a ARH reduziu em 95% os gastos de CAPEX, garantiu maior segurança dos dados e maior escalabilidade, podendo ampliar seus negócios gastando menos. Além disso, o custo de OPEX diminuiu até 50%.

“O maior ganho foi com a garantia de segurança dos dados. Porém, hoje temos mais perspectivas de crescimentos com um menor custo. Devido ao tamanho atual do nosso banco de dados foi possível utilizar o SQL Express, fato que reduziu muito o custo.”

Novo paradigma: segurança e escalabilidade

A mudança no paradigma das operações da ARH com a migração completa para a nuvem também permitiu implantar módulos novos, interconectados, independentes e totalmente online, tanto para a operação interna da empresa quanto para a entrega de melhores serviços aos seus clientes.

“No início do processo tivemos receio e algumas dificuldades em abandonar nosso ambiente interno. No entanto, o ganho com a segurança dos dados e a possibilidade de escalabilidade, com excelente custo-benefício, nos mostrou que tomamos a decisão correta”, argumenta a analista de informação.

“Somos 100% responsáveis em manter os dados de nossos clientes e a AWS foi a melhor ferramenta que nos proporcionou segurança, disponibilidade com o melhor custo-benefício.”

O suporte da Linux Place: do planejamento à implementação

Consulting Partner Standard da AWS, a Linux Place possui mais de 16 anos existência em consultoria, suporte e manutenção de serviços de Cloud Computing. As soluções criadas para seus clientes incluem suporte local, equipe treinada e altamente qualificada para projetos de todos os tamanhos.

A empresa foi responsável por orientar a migração de toda a infraestrutura da ARH para a nuvem, dando suporte durantes os testes e validações dos ambientes, auxiliando a configuração do VPN e os testes com firewall local, assim como a validação das instâncias no Amazon EC2 e Amazon RDS.

 

 

Novidade: mais uma zona de estabilidade em Ohio, nos Estados Unidos

Por Jeff Bar

 

Como parte de nossa estratégia de expandir ainda mais o alcance global da AWS, estamos felizes em anunciar mais uma nova zona de disponibilidade no leste dos Estados Unidos, em Ohio. Agora, junto com a zona de disponibilidade da Virgínia, nossos clientes dessa região terão acesso ainda mais rápido e de baixa latência aos serviços da infraestrutura oferecida pela AWS.

Os Detalhes

A nova zona de disponibilidade de Ohio, EUA, oferece total suporte ao Amazon EC2 e serviços relacionados como Amazon Elastic Block Store (EBS), Amazon Virtual Private Cloud (VPC), Auto Scaling, Amazon Elastic Load Balancing, NAT Gateway, Spot Instances e Hosts Dedicados.

A nova zona de disponibilidade suporta ainda uma extensa gama de serviços como Amazon API Gateway, AWS Certificate Manager, AWS CloudFormation, Amazon CloudFront, AWS CloudHSM, Amazon CloudWatch (inclusive eventos e logs), AWS CloudTrail, AWS CodeCommit, AWS CodeDeploy, AWS CodePipeline, AWS Config, AWS Database Migration Service, AWS Direct Connect, Amazon DynamoDB, EC2 Container Registry, Amazon EC2 Container Service (ECS), Amazon Elastic File System, Amazon ElasticCache, AWS Elastic Beanstalk, Amazon EMR, Amazon ElasticSearch Service, Amazon Glacier, AWS Identity And Acess Management (IAM), AWS Import/Export Snowball, AWS Key Management Service (KMS), Amazon Kinesis, AWS Lambda, AWS Marketplace, Mobile Hub, AWS OpsWorks, Amazon Relational Database Service (RDS), Amazon Redshift, Amazon Route 53, Amazon Simple Storage Service (S3), AWS Service Catalog, Amazon Simple Notification Service (SNS), Amazon Simple Queue Service (SQS), AWS Storage Gateway, Amazon Simple Workflow Service (SFW), AWS Trusted Advisor, VM Import/Export, e AWS Web Application Firewall.

A zona de Ohio sustenta todos os tamanhos de instâncias C4, D2, I2, M4, R3, T2 e X1. Assim como em cada nova região, as instâncias devem ser migradas através de uma Virtual Private Cloud (saiba mais detalhes aqui.).

Alta conexão

Veja algumas métricas interessantes sobre as conexões entre regiões (os nomes são denominados por códigos de aeroportos, como é comum em todo o mundo; todos os tempos de latência giram em torno de 2ms):

  • 10 ms para ORD (base de duas redes Direct Connect locais hospedadas pela QTS e Equinix, e um Internet exchange point).
  • 12 ms para IAD (base para a região leste dos EUA (Virgínia).
  • 18 ms para JFK (base para outro Internet exchange point).
  • 52 ms to SFO (base para a região oeste dos EUA (Califórnia).
  • 68 ms para PDX (base para a região oeste dos EUA (Oregon)

Com apenas 12 ms de latência de ida e volta entre Ohio e Virgínia, você pode fazer bom uso de benefícios únicos da AWS entre as regiões, como replicar instâncias do Amazon S3, ou fazer réplicas de leitura para Amazon Aurora. A transferência de dados entre as duas regiões custa o preço Inter-AZ (US$ 0,01 por GB), tornando as suas conexões entre as regiões ainda mais econômicas.

Também estamos trabalhando em conjunto com Universidade do Estado de Ohio para fornecer AWS Direct Connect para acesso ao OARnet. Esta rede de 100 gigabityes conecta faculdades, escolas, hospitais de pesquisa médica, e o governo do estado, fornecendo conexão de alta velocidade em rede dedicada da AWS para professores locais, estudantes e pesquisadores.

14 regiões, 38 zonas de disponibilidade, e muito mais a caminho

O lançamento dessa nova zona de disponibilidade em Ohio (3-AZ) expande nosso alcance global para um total de 14 regiões e 38 zonas de disponibilidade. Nós já estamos prontos para inaugurar também uma segunda região AWS na China, assim como outras novas regiões AWS no Canadá, França e no Reino Unido.

Como tem ocorrido algumas confusões no mercado sobre as diferenças entre as regiões e zonas de disponibilidade, é importante esclarecer as diferenças entre esses dois termos. Cada Região AWS é uma localidade física onde temos uma ou mais Zonas de Disponibilidade ou AZs. Cada Zona de Disponibilidade, por sua vez, consiste em um ou mais data centers, e cada um deles possui sua própria energia de redundância, rede e conexões, sendo todos alojados em instalações separadas. Ter duas ou mais zonas de disponibilidade em cada região, como agora no leste dos EUA, possibilita ao seu negócio executar aplicações com muito mais disponibilidade, tolerantes à falhas e duráveis do que em áreas com somente uma AZ.

Nós gostamos de brincar com algumas analogias sobre a diferença entre os dois termos, como, por exemplo, “hotéis vs. quartos de hotéis”, ou “macieiras vs. maçãs”. Independente da analogia, o importante é saber o que significam. Para maiores detalhes, acesse nossa página sobre todas as regiões AWS e ZAs do mundo aqui.

 

Obtenha sua certificação da AWS

As certificações da AWS reconhecem profissionais de TI com habilidades técnicas e expertise para projetar, implantar e operar aplicações e infraestrutura na AWS. Os exames são oferecidos em vários idiomas em centros de testes em todo o mundo, inclusive em português.

Por que obter a certificação AWS?

Mostre que você é um expert – A certificação da AWS é uma credencial reconhecida pelo setor que mostra que você tem os conhecimentos necessários para projetar, implantar ou operar aplicações e infraestrutura na AWS.

Participe da comunidade – Inclua o logotipo do AWS Certified no seu perfil do LinkedIn, e-mail e site. Além disso, torne-se um membro da nossa comunidade do AWS Certified no LinkedIn.

Eventos exclusivos para parceiros certificados – Não perca os bootcamps, workshops e eventos para parceiros certificados em AWS.

Prepare-se para a sua certificação!

Faça o workshop para o exame
Download do guia do exame
Download de exemplos de perguntas e respostas
Faça um exame prático

 

Novo serviço: VMware Cloud na AWS

A forte tendência de transformação de estruturas on-premises em sistemas totalmente virtuais tem ajudado diversas empresas a aumentarem a eficiência operacional e a obter o maior desempenho possível de seus data centers. Ao longo do tempo, essas organizações construíram um repertório grande de habilidades de arquitetura e experiência operacional, mas agora enfrentam dificuldades para conciliar as economias da nuvem pública com o acelerado passo de inovações da Amazon Web Services.

Por causa disso, muitas companhias começaram a olhar mais atentamente para a nuvem da AWS e gostaram do que encontraram: a AWS possui data centers em 35 zonas de disponibilidade, em 13 regiões diferentes em todo o mundo (e segue construindo mais cinco). Essas empresas já reconhecem o valor da extensa gama de serviços oferecidos pela AWS e da flexibilidade do modelo pague conforme o uso, e agora buscam novas maneiras de seguir em direção ao futuro investindo na virtualização de seus sistemas, que muitas vezes remonta uma década ou mais.

VMware + AWS = Mais vantagens

(more…)