Author: Paula Pimentel


O futuro das PMEs do Brasil está na nuvem: investimento em mobilidade cresce até sete vezes mais rápido que o das tecnologias tradicionais

Uma em cada três pequenas e médias empresas do Brasil já começou a migração para a nuvem, e os investimentos de TI nesse setor deve saltar de R$ 48 bilhões este ano para até R$ 68 bilhões em 2020, com as tecnologias baseadas em computação em nuvem e mobilidade crescendo de três a sete vezes mais rápido do que as tecnologias tradicionais on premise. Essa expansão, que já está em ritmo acelerado, ainda tem um grande mercado pela frente: cerca de 70% das PMEs que ainda não estão na nuvem devem migrar nos próximos anos.

Esses e outros insights foram apontados pela pesquisa 2016 Brazil Small & Medium Business: ICT & Cloud Services Tracker Overview, realizada pela AMI Partners a pedido da Intel Brasil, com o objetivo de mapear tendências e perspectivas na migração para novas tecnologias em todo o universo brasileiro de pequenos e médios negócios.

As áreas de investimento em nuvem e mobilidade incluem as DaaS (Data as a Service), IaaS (segurança, storage e servidores), PaaS (Plataform as a Service) e aplicações SaaS (Software as a Service). As preferências por estes modelos variam de 10% a 35% dos entrevistados, enquanto soluções on premise não passam dos 10%.

O estudo revelou ainda que os tomadores de decisões do setor têm planejado mais investimentos em tecnologia com foco em maior eficiência e redução de custos: 48% das empresas médias e 30% das pequenas consideram esse investimento como prioridade nos próximos 12 meses. Entre as corporações que já adotaram serviços de tecnologia, 49% das pequenas empresas e 62% das médias responderam que a economia nos custos operacionais foram os maiores retornos.

Saiba mais informações sobre a pesquisa aqui.

 

Amazon Web Services anuncia disponibilidade do Amazon Redshift na região de São Paulo

São Paulo – 4 de novembro de 2016 – Amazon Web Services Inc., uma companhia da Amazon.com (NASDAQ: AMZN), anuncia a disponibilidade do Amazon Redshift na região de São Paulo. O serviço de armazenamento de dados na nuvem é uma solução rápida e poderosa, totalmente gerenciada, que suporta escala em petabytes e permite aos clientes aumentar drasticamente a velocidade e desempenho das análises de conjuntos de dados de qualquer tamanho, usando as mesmas ferramentas de BI baseadas em SQL, normalmente usadas no mercado hoje. Com alguns cliques no AWS Management Console, os clientes podem lançar um cluster Redshift, começando com algumas centenas de gigabytes e escalando para um petabyte ou mais – pagando apenas um décimo do preço da maioria das soluções de data warehouse disponíveis.

Data warehouses on-premise requerem um tempo significativo e muitos recursos para administrar, especialmente para grandes conjuntos de dados. Carregamento, monitoramento, regulação, backups e recuperação de falhas são tarefas complexas e demoradas, e o custo financeiro associado à construção, manutenção e escala em armazéns de dados tradicionais é muito alto. Grandes empresas assumiram o custo elevado para armazenamento de dados, enquanto para as pequenas corporações, muitas vezes, os gastos com hardware e software são proibitivos, deixando a maioria dessas organizações sem uma boa capacidade de armazenamento de dados. O Amazon Redshift foi desenhado para mudar esse cenário e gerenciar todo o trabalho necessário para configurar, operar e escalar um armazém de dados, automatizando desde o provisionamento da capacidade de infraestrutura ao monitoramento e o backup do cluster, corrigindo patches e atualizações. Dimensionar um cluster para melhorar o desempenho ou aumentar a capacidade no Amazon Redshift é simples e não gera tempo de inatividade, já que o serviço monitora continuamente a saúde do cluster e substitui automaticamente qualquer componente necessário. O Amazon Redshift é muito mais econômico (custa um décimo do preço dos armazéns de dados tradicionais) e permite que mesmo empresas maiores reduzam substancialmente seus custos, e que as menores possam aproveitar melhor os insights provenientes de análises de um poderoso data warehouse.

“Nos últimos anos, um dos pedidos mais frequentes que ouvimos de clientes é para a AWS construir um serviço de armazenamento de dados”, disse Raju Gulabani, vice-presidente de Serviços de Banco de Dados da AWS. “As empresas estão cansadas de pagar preços tão elevados para os seus data warehouses, e as pequenas empresas não podem nem se dar ao luxo de analisar a vasta quantidade de dados que coletam (muitas vezes jogando fora 95% dos seus dados). Isso frustra os clientes, já que eles sabem como a nuvem tornou mais fácil e menos caro do que nunca coletar, armazenar e analisar dados. O Amazon Redshift reduz não só significativamente o custo de um data warehouse, mas também torna mais fácil a análise de grandes quantidades de dados, muito rapidamente. Embora o desempenho real mude de acordo com os critérios de consulta específicos de cada cliente, nossos testes internos mostraram um resultado até 10 vezes melhor quando comparado aos bancos de dados relacionais padrão. Ter a capacidade de analisar rapidamente petabytes de dados a um custo baixo muda o jogo para os nossos clientes.”

O Amazon Redshift utiliza várias técnicas para alcançar um desempenho significativamente melhor que o de modelos tradicionais, incluindo o armazenamento de dados colunar, compactação avançada e alto desempenho E/S e de rede. Com a distribuição e paralelização de consultas através de um cluster de nós de baixo custo, o Amazon Redshift torna mais fácil obter alto desempenho de análises, sem exigir dos clientes consultas manuais. Amazon Redshift é ainda certificado por ferramentas de Business Intelligence (BI) populares, incluindo Jaspersoft e MicroStrategy.

(more…)

Caso Zazcar


“Só pelo fato da gente conseguir ditar o que vai acontecer, quais são as features que vão ser implementadas e como elas vão ser implementadas, isso é um ganho enorme para a gente. Com a AWS, a gente ganhou mais flexibilidade, principalmente na decisão de como o sistema vai funcionar.”

– Helio Nagamachi, Engenheiro de Software e Arquiteto de Solução da Zazcar

 

A Zazcar é uma empresa de carsharing que já nasceu, em 2010, inserida na tendência de economia compartilhada e se antecipando às mudanças trazidas por uma geração mais aberta ao conceito de compartilhar bens ao invés de comprar. Após seis anos de operação com um sistema fornecido por empresas estrangeiras, os sócios da startup decidiram desenvolver seu próprio sistema para ganhar mais flexibilidade, independência e reduzir custos. Desde julho de 2016, a Zazcar migrou para a nuvem e já começou a investir nas ferramentas de IoT da Amazon Web Services para monitorar o uso de sua frota e obter informações valiosas para seu negócio.

(more…)

Tecnologia na gestão de recursos humanos com a LinuxPlace: o caso de sucesso da ARH

O setor de recursos humanos acompanha a evolução do mundo e das empresas com a consolidação das novas tecnologias, e cada vez mais torna-se parte essencial da área de negócios, contribuindo para a diminuição da burocracia e agilizando operações.

Há 21 anos neste mercado em constante evolução, a ARH, com sede em Belo Horizonte, aposta na inovação, e tornou-se referência no uso da tecnologia para revolucionar o departamento de RH de grandes empresas no Brasil.

A empresa é responsável pela gestão de Folha de Pagamento e RH de 6.500 funcionários, e migrou este ano para a nuvem da Amazon Web Services para prestar serviços terceirizados de ponta, com muito mais segurança e disponibilidade.

Entre seus clientes estão grandes construtoras como a CIMCORP, ECP e Ápia, a operadora Brasil Telecomunicações, e a Líder Táxi Aéreo.

Como a empresa utiliza os serviços da AWS?

Antes da nuvem, ARH usava o sistema do software FPW, da empresa LG, em ambiente interno, e buscou a Amazon Web Services para obter mais agilidade, disponibilidade e segurança. Sua aplicação é construída em três camadas e integrada à nuvem da Amazon via VPN. O processo de migração, desde a fase de testes, durou apenas dois meses.

“O maior desafio era garantir a segurança dos dados. Paralelo a isto aumentar a disponibilidade do sistema, pois isto impacta diretamente na produtividade da empresa”, explica a analista de informações da ARH, Elizete Oliveira.

A companhia possui duas instâncias no Amazon EC2, uma para alocar o servidor VPN Linux, e outra para o servidor de aplicação Windows. A empresa usa uma instância no Amazon RDS para alocar o banco de dados SQL, e o sistema tem um módulo web configurado na Amazon que é acessado pelos clientes da ARH.

Qual foi a redução de custos da ARH com a AWS?

Ao migrar sua infraestrutura para a nuvem da Amazon, a ARH reduziu em 95% os gastos de CAPEX, garantiu maior segurança dos dados e maior escalabilidade, podendo ampliar seus negócios gastando menos. Além disso, o custo de OPEX diminuiu até 50%.

“O maior ganho foi com a garantia de segurança dos dados. Porém, hoje temos mais perspectivas de crescimentos com um menor custo. Devido ao tamanho atual do nosso banco de dados foi possível utilizar o SQL Express, fato que reduziu muito o custo.”

Novo paradigma: segurança e escalabilidade

A mudança no paradigma das operações da ARH com a migração completa para a nuvem também permitiu implantar módulos novos, interconectados, independentes e totalmente online, tanto para a operação interna da empresa quanto para a entrega de melhores serviços aos seus clientes.

“No início do processo tivemos receio e algumas dificuldades em abandonar nosso ambiente interno. No entanto, o ganho com a segurança dos dados e a possibilidade de escalabilidade, com excelente custo-benefício, nos mostrou que tomamos a decisão correta”, argumenta a analista de informação.

“Somos 100% responsáveis em manter os dados de nossos clientes e a AWS foi a melhor ferramenta que nos proporcionou segurança, disponibilidade com o melhor custo-benefício.”

O suporte da Linux Place: do planejamento à implementação

Consulting Partner Standard da AWS, a Linux Place possui mais de 16 anos existência em consultoria, suporte e manutenção de serviços de Cloud Computing. As soluções criadas para seus clientes incluem suporte local, equipe treinada e altamente qualificada para projetos de todos os tamanhos.

A empresa foi responsável por orientar a migração de toda a infraestrutura da ARH para a nuvem, dando suporte durantes os testes e validações dos ambientes, auxiliando a configuração do VPN e os testes com firewall local, assim como a validação das instâncias no Amazon EC2 e Amazon RDS.

 

 

Novidade: mais uma zona de estabilidade em Ohio, nos Estados Unidos

Por Jeff Bar

 

Como parte de nossa estratégia de expandir ainda mais o alcance global da AWS, estamos felizes em anunciar mais uma nova zona de disponibilidade no leste dos Estados Unidos, em Ohio. Agora, junto com a zona de disponibilidade da Virgínia, nossos clientes dessa região terão acesso ainda mais rápido e de baixa latência aos serviços da infraestrutura oferecida pela AWS.

Os Detalhes

A nova zona de disponibilidade de Ohio, EUA, oferece total suporte ao Amazon EC2 e serviços relacionados como Amazon Elastic Block Store (EBS), Amazon Virtual Private Cloud (VPC), Auto Scaling, Amazon Elastic Load Balancing, NAT Gateway, Spot Instances e Hosts Dedicados.

A nova zona de disponibilidade suporta ainda uma extensa gama de serviços como Amazon API Gateway, AWS Certificate Manager, AWS CloudFormation, Amazon CloudFront, AWS CloudHSM, Amazon CloudWatch (inclusive eventos e logs), AWS CloudTrail, AWS CodeCommit, AWS CodeDeploy, AWS CodePipeline, AWS Config, AWS Database Migration Service, AWS Direct Connect, Amazon DynamoDB, EC2 Container Registry, Amazon EC2 Container Service (ECS), Amazon Elastic File System, Amazon ElasticCache, AWS Elastic Beanstalk, Amazon EMR, Amazon ElasticSearch Service, Amazon Glacier, AWS Identity And Acess Management (IAM), AWS Import/Export Snowball, AWS Key Management Service (KMS), Amazon Kinesis, AWS Lambda, AWS Marketplace, Mobile Hub, AWS OpsWorks, Amazon Relational Database Service (RDS), Amazon Redshift, Amazon Route 53, Amazon Simple Storage Service (S3), AWS Service Catalog, Amazon Simple Notification Service (SNS), Amazon Simple Queue Service (SQS), AWS Storage Gateway, Amazon Simple Workflow Service (SFW), AWS Trusted Advisor, VM Import/Export, e AWS Web Application Firewall.

A zona de Ohio sustenta todos os tamanhos de instâncias C4, D2, I2, M4, R3, T2 e X1. Assim como em cada nova região, as instâncias devem ser migradas através de uma Virtual Private Cloud (saiba mais detalhes aqui.).

Alta conexão

Veja algumas métricas interessantes sobre as conexões entre regiões (os nomes são denominados por códigos de aeroportos, como é comum em todo o mundo; todos os tempos de latência giram em torno de 2ms):

  • 10 ms para ORD (base de duas redes Direct Connect locais hospedadas pela QTS e Equinix, e um Internet exchange point).
  • 12 ms para IAD (base para a região leste dos EUA (Virgínia).
  • 18 ms para JFK (base para outro Internet exchange point).
  • 52 ms to SFO (base para a região oeste dos EUA (Califórnia).
  • 68 ms para PDX (base para a região oeste dos EUA (Oregon)

Com apenas 12 ms de latência de ida e volta entre Ohio e Virgínia, você pode fazer bom uso de benefícios únicos da AWS entre as regiões, como replicar instâncias do Amazon S3, ou fazer réplicas de leitura para Amazon Aurora. A transferência de dados entre as duas regiões custa o preço Inter-AZ (US$ 0,01 por GB), tornando as suas conexões entre as regiões ainda mais econômicas.

Também estamos trabalhando em conjunto com Universidade do Estado de Ohio para fornecer AWS Direct Connect para acesso ao OARnet. Esta rede de 100 gigabityes conecta faculdades, escolas, hospitais de pesquisa médica, e o governo do estado, fornecendo conexão de alta velocidade em rede dedicada da AWS para professores locais, estudantes e pesquisadores.

14 regiões, 38 zonas de disponibilidade, e muito mais a caminho

O lançamento dessa nova zona de disponibilidade em Ohio (3-AZ) expande nosso alcance global para um total de 14 regiões e 38 zonas de disponibilidade. Nós já estamos prontos para inaugurar também uma segunda região AWS na China, assim como outras novas regiões AWS no Canadá, França e no Reino Unido.

Como tem ocorrido algumas confusões no mercado sobre as diferenças entre as regiões e zonas de disponibilidade, é importante esclarecer as diferenças entre esses dois termos. Cada Região AWS é uma localidade física onde temos uma ou mais Zonas de Disponibilidade ou AZs. Cada Zona de Disponibilidade, por sua vez, consiste em um ou mais data centers, e cada um deles possui sua própria energia de redundância, rede e conexões, sendo todos alojados em instalações separadas. Ter duas ou mais zonas de disponibilidade em cada região, como agora no leste dos EUA, possibilita ao seu negócio executar aplicações com muito mais disponibilidade, tolerantes à falhas e duráveis do que em áreas com somente uma AZ.

Nós gostamos de brincar com algumas analogias sobre a diferença entre os dois termos, como, por exemplo, “hotéis vs. quartos de hotéis”, ou “macieiras vs. maçãs”. Independente da analogia, o importante é saber o que significam. Para maiores detalhes, acesse nossa página sobre todas as regiões AWS e ZAs do mundo aqui.

 

Novo serviço: VMware Cloud na AWS

A forte tendência de transformação de estruturas on-premises em sistemas totalmente virtuais tem ajudado diversas empresas a aumentarem a eficiência operacional e a obter o maior desempenho possível de seus data centers. Ao longo do tempo, essas organizações construíram um repertório grande de habilidades de arquitetura e experiência operacional, mas agora enfrentam dificuldades para conciliar as economias da nuvem pública com o acelerado passo de inovações da Amazon Web Services.

Por causa disso, muitas companhias começaram a olhar mais atentamente para a nuvem da AWS e gostaram do que encontraram: a AWS possui data centers em 35 zonas de disponibilidade, em 13 regiões diferentes em todo o mundo (e segue construindo mais cinco). Essas empresas já reconhecem o valor da extensa gama de serviços oferecidos pela AWS e da flexibilidade do modelo pague conforme o uso, e agora buscam novas maneiras de seguir em direção ao futuro investindo na virtualização de seus sistemas, que muitas vezes remonta uma década ou mais.

VMware + AWS = Mais vantagens

(more…)

Novas campanhas APN Marketing Central: Cloud Security e IoT

É com entusiasmo que anunciamos o lançamento de duas campanhas muito aguardadas do APN Marketing Central, AWS Cloud Security e AWS IoT, além de uma nova língua, o francês. Disponível através do Portal APN para todos os parceiros, o APN Marketing Central oferece acesso à campanhas de marketing self-service e à diversas agências que podem ajudá-los a criar campanhas mais personalizadas.

Duas novas campanhas: Cloud Security e AWS IoT

Para cada nova campanha, os parceiros podem usufruir de emails de geração de demanda, landing pages personalizadas, conteúdos sindicados, resumo das soluções AWS, anúncios em banners, imagens e posts para publicações em redes sociais, textos para cópia e modelos de estudos de caso para ajudar a divulgar histórias de sucesso da empresa. Todos os conteúdos estão prontos para serem compartilhados como co-branding ou campanhas individuais, ou mesmo como campanhas multi-touch integradas.

  • AWS Cloud Security: Auxilia parceiros a divulgarem aos clientes como a sua empresa oferece ferramentas, serviços e recursos da AWS para manter seus ambientes de trabalho totalmente seguros e sob rígido controle.

Convide seus clientes para conhecer o AWS Cloud Security campaign »

  • AWS IoT: Ajuda parceiros APN a informar aos clientes sobre as vantagens de se promover projetos de IoT (Internet das Coisas) e sobre como as empresas parceiras da AWS podem ajudá-los.

Convide seus clientes para conhecer o AWS IoT campaign »

Novo idioma – Francês

O APN Marketing Central agora também está disponível em Francês! Ao selecionar a opcão “Escolha seu idioma” na página do APN Marketing Central, os parceiros podem alterar as configurações para visualizar a plataforma toda em francês, e lançar campanhas de Big Data ou de Migração para a nuvem.

 

 

Agilidade no varejo: como a tecnologia AWS e a expertise da Linuxplace otimiza as vendas das Lojas Baby

Uma das varejistas mais tradicionais de Belo Horizonte, em Minas Gerais, as Lojas Baby são referência em qualidade no mercado de artigos infantis desde 1965, e suas onze filiais chegam a vender 30 mil peças por mês. Com grande fluxo de operações, em especial em datas de maior lucro para o varejo como o Natal, qualquer indisponibilidade em seus sistemas pode gerar problemas como lojas paradas, clientes insatisfeitos e perda de vendas.

Em busca de mais segurança e agilidade na prestação de serviços, a empresa encontrou na Amazon Web Services a solução de baixo custo para obter alta disponibilidade de servidores que fazem a gestão de seu ERP. A aplicação na nuvem conecta via VPN todas as filiais, com total independência de acesso pela matriz, além de otimizar as vendas via e-commerce.

“Nossas necessidades eram a aquisição de uma estrutura para o ERP de baixo custo, disponibilidade dos acessos para as lojas, independente da matriz, ganho na estrutura e desempenho do banco de dados da empresa, facilidade de criar uma estrutura de homologação, e a segurança física dos dados e servidores”, explica o empresário Claus Malumud. A garantia de segurança dos dados dos clientes da empresa também foi fundamental para a escolha da Amazon Web Services.

(more…)

Grupo L2R e IPsense – SAP HANA AWS


No mercado desde 2008, a Rodando Legal é uma empresa de soluções em mobilidade urbana, prestando serviços de remoção, armazenagem e organização de leilões de veículos apreendidos no Estado do Rio de Janeiro.

Hoje atua também em municípios da Bahia e Paraná. A empresa rapidamente se destacou no segmento e ampliou seu atendimento para novos órgãos e municípios, atingindo um faturamento de R$ 80 milhões por ano.

Conheça mais Sobre a Rodando Legal

A Rondando Legal é referência na prestação de serviços relacionados à gestão de veículos apreendidos. Saiba mais:

“A Rodando Legal é a maior empresa do Grupo L2R. O nosso maior negócio é a apreensão e guarda de veículos, e dentro desse grupo, com alguns pátios em vários municípios do Rio de Janeiro, Bahia e Paraná. Em um primeiro momento, os veículos vão para um pátio. Se o proprietário não o retira, conforme a legislação, o veículo vai à leilão, e ele pode ser arrematado por qualquer pessoa. Aqueles que estão em pior estado, que não são arrematados, eles vão para uma outra empresa do grupo chamada Genesis, que faz a logística reversa, que descontamina e amassa esses veículos, produzindo uma massa de metal, que é vendida para uma outra empresa, permitindo o descarte correto e sustentável”, explica o gerente de TI, Luciano Soares, responsável pela reconfiguração de todo o sistema do grupo L2R.

O crescimento acelerado trouxe a necessidade de implementar novas tecnologias e soluções que agilizassem todos os processos nos pátios da empresa, cujo negócio é extremamente sensível. A solução, como explica Soares, era a Nuvem.

“É um negócio, digamos assim, ‘nervoso’. Nós temos um cliente que não decidiu ser nosso cliente, e nós estamos com um bem dele em nossa guarda, então é um negócio que, na ponta da operação, é muito nervoso. Exatamente por isso que nós buscamos a Amazon, para suportar esse negócio mais sensível, com segurança e transparência.”

O Desafio Da Nuvem

Há cerca de sete meses, a companhia iniciou sua jornada na Nuvem, a partir da implantação de um ambiente chamado SAP HANA AWS hospedado na Amazon Web Services, em busca de mais agilidade e segurança dos dados da empresa.

“A SAP HANA AWS chegou no ano passado. Nós começamos o projeto de implantação de SAP HANA AWS e precisaríamos estar homologando isso na Nuvem, para não ter isso dentro de casa, garantindo maior segurança e acessibilidade, sempre à disposição. Nós orçamos com várias empresas e optamos pela Amazon”, conta Luciano Soares.

O processo envolveu a modernização dos processos internos da empresa, que precisava de mais suporte ao rápido crescimento em várias cidades do país. Era urgente planejar um sistema de informação que integrasse todos os dados e processos em um único sistema.

“Nós fomos para a Nuvem porque nós não tínhamos nenhum ERP (Enterprise Resource Planning) aqui na empresa. E nós decidimos que, se íamos implantar um ERP, nós não faríamos uma estrutura dentro de casa, nós queríamos um passo à frente, que era ir para a Nuvem. Até porque um dos principais motivadores era colocar a SAP HANA AWS, adotando um modelo RDS, que já traz uma configuração embutida e era preciso ter muita velocidade na implantação. Então, por isso, nós fomos direto para a Nuvem”, justifica Soares.

“Hoje, todo o nosso back office está sistematizado. Eu agora tenho, por exemplo, módulos de financeiro, contábil, faturamento e toda a parte de suprimentos dentro do sistema. Claro que isso me dá uma excelente qualidade da informação, uma fruição de processo muito mais claro e dentro das melhores práticas. O suporte de toda essa infraestrutura é o Cloud da Amazon.”

Os Benefícios Do SAP HANA AWS

A Rodando Legal precisava investir em tecnologias que garantissem mais agilidade nos processos envolvendo seus clientes finais, os donos de veículos. Com o SAP HANA AWS, a empresa conseguiu revolucionar processos de emissão de notas, organização interna de dados, e tudo isso com total segurança.

“Antes, para se ter uma ideia, nós tínhamos um cliente de pátio que, para ele receber uma nota fiscal de uma apreensão, uma diária, um reboque que ele tenha utilizado, essa nota fiscal tinha que ser pedida aqui, para depois, internamente, a gente fazer essa emissão, mandar para a pessoa do pátio e só depois entregar ao cliente. Então, na maioria dos casos, o cliente até acabava saindo sem a nota fiscal da unidade. Hoje, com a implementação do SAP HANA AWS na Amazon, essa nota fiscal sai direto na ponta, na hora, para o cliente levar.”

O gerente de TI da Rodando Legal ficou impressionado com a capacidade da nuvem. Acostumado a trabalhar com servidores internos, ele sabia que precisava de um suporte para planejar a implantação do SAP HANA AWS.

“A possibilidade de você expandir ou reconfigurar muito rapidamente o seu ambiente são grandes vantagens. Eu sou uma pessoa que vem de um ambiente de estrutura em casa, então a questão do Cloud na L2R, para mim, também foi uma novidade. Mas essa flexibilidade do ambiente é excelente. Hoje você está com oito servidores, amanhã você pode estar com dez, pode reduzir ou aumentar o processamento de forma muito rápida, sem maiores impactos. Nós rodamos os módulos de financeiro, contas a pagar, contas a receber, bancos. Estamos rodando toda a parte de controladoria, como a contabilidade, livros fiscais. Estamos rodando também toda a parte de suprimentos que envolvem compra de estoque. O volume de dados processados é alto. Nós estamos falando, por exemplo, de inúmeros atendimentos, em vários pátios que temos espalhados pelo Brasil inteiro”, ressalta o gerente de TI.

A Migração DO SAP HANA AWS

Para implementar o SAP HANA AWS, a Rodando Legal contou com a ajuda da IPsense. Desde a análise da solução até o fim do trabalho foram apenas três meses.

“O que teve um peso muito grande foi a consultoria que trabalhou conosco na implantação de SAP, a Ábaco, que também acabou reforçando o nome da AWS, até porque a Amazon é certificada para SAP HANA. A gente viu que o pessoal da IPsense também estava preparado para ampliar esse ambiente e a adoção da Amazon não deixaria, tecnicamente, nenhuma dúvida no nosso projeto com relação à implantação. E isso hoje é um fato. Nós estamos já em produção, desde janeiro, e não temos tido problemas.”

“A IPsense nos ajudou tecnicamente a chegar no melhor modelo de configuração do servidor. Nós estamos muito satisfeitos. Se eu fosse tocar a TI de outro cenário, em outra empresa, eu levaria, de novo, a IPsense. A interface da consultoria entre nós e Amazon foi fundamental. Eles nos ajudaram a definir configuração, definir servidor, definir backup, enfim, todo o ambiente de infraestrutura, inclusive ao nos aconselhar tecnicamente. Essa parte foi muito importante. Sem essa parceria com a IPsense, se eu tivesse tentado migrar sozinho, não ia acontecer. Porque nós não temos pessoal interno, uma equipe de analistas, especialistas, voltados para esse tipo de ferramenta, que pudesse fazer essa orientação. O nosso pessoal de TI está muito mais voltado ao suporte do nosso dia a dia, então essa parte mais especializada na nuvem ficou com a IPsense”, explica Luciano Soares.

“A implementação de um projeto de SAP ECC com banco HANA na AWS foi um desafio grande para a IPsense. Trabalhamos juntos com a consultoria de SAP para estabelecer toda a automação do ambiente, principalmente no que diz respeito às rotinas de backup, segurança e monitoramento”, explica o CEO da IPsense, George Randolph. “Hoje, o ambiente se encontra extremamente estável e automatizado, e é totalmente gerenciado pela IPsense.”

Próximos Passos

A Rodando Legal utiliza a linguagem SAP ECC em sua solução, com um total de 11 instâncias em Amazon EC2, sendo duas com 244GB de RAM para rodar os bancos HANA. A empresa também usa o CloudFormation no Data Center da Virgínia, e adotou uma VPN (Virtual Private Network) para incorporar a AWS na arquitetura de TI.

“Nós temos ainda uma área grande de backup no Amazon S3. Nós temos também uma VPN fechada com a Amazon, até porque a gente depende disso para transmitir notas fiscais. E todo o SAP HANA, que está nos servidores da Amazon. A VPN é crucial para a segurança, pois, sem ela, a empresa não emite nenhuma nota.”

Como disponibilizar seu produto no AWS Marketplace?

 

Se você é um fornecedor independente de software (ISV), o AWS Marketplace oferece a oportunidade de lucrar com a já ampla migração para a computação na nuvem, simplificando e agilizando suas vendas para um maior crescimento dos seus negócios. Muitas empresas já vendem suas soluções no AWS Marketplace, um canal excelente para atingir clientes que já utilizam a infraestrutura da AWS. Neste post vamos apresentar como funciona o AWS Marketplace, e apontar as melhores práticas e dicas importantes para quem está se preparando para oferecer seus serviços no AWS Marketplace.


O que é o AWS Marketplace?

AWS Marketplace é uma loja de software on-line que ajuda os clientes a localizarem, comprarem e começarem imediatamente a usar o software e serviços que são executados na AWS. Assim como nossos produtos, com pagamento por demanda. Como um vendedor independente de software, o AWS Marketplace te ajuda a reduzir custos de prospecção de novos clientes e vender suas soluções em escala global, a clientes do mundo inteiro. Para se ter uma ideia, mais de 2.700 ofertas estão listadas no AWS Marketplace, por mais de 925 vendedores independentes de software. O clientes AWS que usam mais de 205 milhões de horas por mês no servidor Amazon EC2 (Amazon Elastic Compute Cloud) buscam soluções no AWS Marketplace. Esses números revelam o poder de negócios do AWS Marketplace, tanto para clientes como para vendedores.

Os clientes adquirem produtos no AWS Marketplace de acordo com suas necessidades, e podem usar o software escolhido em suas próprias contas AWS. A AWS mede e cobra de acordo com o uso, descrito e refletido em suas contas mensais. Esse método de compra de software permite aos clientes AWS unificar gastos, sem a necessidade de pagar uma taxa fixa por uso de licença.

Além disso, no AWS Marketplace diferentes produtos podem ter métricas de medição de uso distintas. Por exemplo, alguns serviços são cobrados pelo número de usuários ativos, enquanto outros se baseiam na quantidade de dados utilizados por mês. Para facilitar ainda mais o pagamento, o AWS Marketplace agrega ainda mais opções de métricas de cobrança por uso: usuários, hospedagem, largura de banda e dados. Ao usar, por exemplo, o novo AWS Marketplace Metering Service, o vendedor pode cobrar seu cliente por hora, baseado no número de usuários ativos ou de dados utilizados.

(more…)