O blogue da AWS

#AWS Summit Insights: Construindo uma solução de segurança baseada em Big Data e Machine Learning com Intel Open Network Insights


Uma das sessões que a Intel apresentou durante o AWS Summit 2016 em São Paulo trouxe uma novidade em open source para uma das áreas que mais preocupa os gestores da nuvem: a segurança. O especialista em tecnologia Rogério Gelamo mostrou que um dilema de segurança de empresas de todo o tamanho pode ser resolvido com Big Data através da solução em nuvem do Cloudera Enterprise, que usa algoritmo para antever, por meio da análise de dados, riscos e ataques antes mesmo deles acontecerem.

“As ferramentas tradicionais para suportar soluções de TI acabam não sendo suficientes para analisar dados de centenas de bilhões de eventos por dia. As ferramentas não escalam economicamente”, destacou Germano durante a sessão do Summit. “Uma coisa sempre esteve presente e foi uma preocupação dos principais executivos, e não só os de TI, mas os executivos das principais organizações é a segurança. Na medida em que a tecnologia vai avançando, mais e mais recursos estão à disposição. Iniciativas como essa que a Intel está fazendo, de ter uma plataforma aberta para estimular pequenas empresas, como essas que nós temos visto cada vez mais fortes nesse grande evento da Amazon. Há uma série de startups ganhando musculatura, ganhando relevância, para mudar de fato e criar novas culturas nesse panorama”, disse.

Com foco na segurança, desempenho, gestão e governança, o software foi otimizado para rodar em tecnologias de dados baseados em centros Intel para entregar o poder e velocidade necessária para grandes ambientes distribuídos de computação.

Como Big Data pode melhorar o desempenho dos gestores de segurança da informação?

Ao apresentar a solução da Intel, Gelamo fez uma provocação aos gestores de segurança presentes na sessão do Summit. “Vocês querem ser reconhecidos por darem respostas rápidas aos eventos de segurança do seu negócio, ou pela capacidade de antevê-los?”, perguntou o expert. A Intel usa tecnologias avançadas de Big Data com algoritmos avançados de Machine Learning para atingir esse objetivo.

“Em ataques extremamente sofisticados, o hacker não entra de uma vez no sistema. Ele entra hoje, planta uma sementinha, Entra amanhã planta outra. Aliás, existem alguns que conseguem nem deixar rastros”, alertou o especialista da Intel, ressaltando a importância do que ele chamou de “tecnologia probalística”, que permite maior visibilidade aos ataques mais sofisticados.

Como a nuvem tem contribuído para o avanço das tecnologias de segurança em FinTech?

“Por incrível que pareça, o setor bancário do Brasil lidera a indústria mundial por conta das escalas do número de clientes, por conta dos desafios que temos em relação às fraudes, e isso faz com que os setores de tecnologia dos bancos brasileiros estejam na vanguarda do mundo. A gente têm exemplos muito claros de bancos colocando toda a sua plataforma de abertura de contas, de atendimento, já na nuvem”, destacou Rogério. O futuro da FinTech no Brasil, segundo o especialista, avança a passos largos e tende a seguir na vanguarda.

“Essa é uma questão sempre de tempo. Da mesma forma que em outros setores você tem as startups colocando à prova qualquer indústria, no setor financeiro não é diferente. Você já vê startups do sistema financeiro mostrando a que vieram, e você já começa a ver resposta dos grandes bancos brasileiros que migraram para a nuvem”, analisou Gelamo.

Saiba mais sobre o sucesso dos bancos digitais com a AWS.